i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Palpite de Alice

Ver perfil

Mira Mama, sem os pedais e o freio da minha bicicletinha!

  • PorCynthia Duarte
  • [03/12/2016] [12:42]
Mira Mama, sem os pedais e o freio da minha bicicletinha!
| Foto:

Balance Bike CEI Dr.Adolfo Bezerra de MenezesE assim deve ser: A primeira bicicleta deve ser sem pedais e sem freio!

O medo clássico dos pais quando retiram as rodinhas da bicicletinha de seus filhos pode estar com os dias contados. O motivo são as revolucionárias bicicletas chamadas “balance bikes” ou “run bikes ” , traduzindo: Bicicletas de equilíbrio ou Bicicletas de correr.

A proposta e conceito destas bicicletas infantis são exatamente estes: Equilíbrio e domínio. São recomendadas para crianças a partir dos 18 meses, sem pedais e sem freios. A ideia é de que as crianças antes de colocar os pés nos pedais e comecem a pedalar, aprendam a ter o domínio da bicicleta – por este motivo sem freios – e a se equilibrar – justificando a ausências dos pedais.

As Bicicletas sem pedais potencializam o desenvolvimento da coordenação motora, do equilíbrio e da autoconfiança das crianças de dois a cinco anos, faixa etária para a qual a bicicleta é indicada. A criança consegue trabalhar de modo efetivo seus membros inferiores ao impulsioná-la para andar. Toda a energia da criança será investida no “caminhar” sentado na bicicleta. Ter seus pés sempre no chão, suas mãos ao guidão também proporcionam muita segurança e uma sensação natural de condução.

O processo de aprendizado é altamente instintivo. A criança desenvolve noções claras e avançadas de controle, equilíbrio, sensibilidades de direção e velocidade. É uma conquista natural de habilidades. O equilíbrio, que é o principal ganho, vem com poucas horas de uso.

A maioria das bicicletas infantis, destinadas às crianças menores, vem com rodinhas. Isso não significa que estas rodas de apoio sejam a única maneira, nem mesmo a melhor maneira de ensinar uma criança a pedalar. As rodinhas, posicionadas na parte traseira da bicicleta como apoio, são potencialmente a maneira mais confortável para aprender a andar de bicicleta, mas também é a mais lenta.

Marcia Pimentel Tozzeto observou, estudou, apostou nesta inovação na escola onde é diretora e, obteve enorme sucesso.

A ideia surgiu com a observação do surpreendente desenvolvimento motor do próprio neto. Ian é filho de pais atletas e com um ano de idade ganhou uma “balance bike” e, com quatro aninhos saltou direto para a bicicleta sem rodinhas. A vó, diretora de uma escola de crianças de dois a cinco anos de idade, conseguiu a aprovação do projeto e adquiriu as bicicletas para a instituição que trabalha há 30 anos.

O Centro de Educação Infantil Dr. Adolfo Bezerra de Menezes existe desde 1949 em Curitiba e, em período integral, atende 270 crianças. Fui até lá conferir esta novidade dentre as escolas municipais. Fiquei muito impressionada pela disputa dos pequeninos pelas 21 bicicletas durante os horários de recreação. Chamou-me a atenção a maneira habilidosa e a velocidade desenvolvida por meninos e meninas pilotando suas “run bikes” no amplo pátio da instituição. Observei também um completo descaso das crianças pelos triciclos – modelo ” velotrol” – e pelos outros tantos brinquedos deixados de lado por culpa da nova diversão em duas rodas. Marcia Tozzeto me conta que as crianças recém-chegadas ficam a princípio receosas quanto à novidade e, escolhem primeiramente o triciclo. As crianças mais ágeis levam apenas alguns dias para se familiarizarem com as bicicletinhas sem pedais e outros – menos ágeis , levam alguns meses. Mas todos acabam por migrar definitivamente para nova diversão!

Existem questionamentos quanto à segurança das “balance bikes”, uma vez que não existe outra forma de frear a bicicleta, exceto com os pés da criança. Mas por outro lado estudos indicam que crianças desta faixa etária apresentariam também dificuldades para utilizar os freios de forma eficaz e, com os pés no chão, elas teriam o total controle da velocidade e estariam também estáveis, diminuindo o risco de tombos e quedas.

Analisem vocês mesmos estes questionamentos, verificando a incrível habilidade apresentada por estes pequeninos ciclistas no pátio da escola Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, através do vídeo abaixo.

Finalizo este texto dizendo que, estudos mostram que as atividades físicas em ambiente externo melhoram significativamente os reflexos das crianças através de movimentos coordenados. Estes movimentos contribuem para o desenvolvimento da atenção, concentração, foco e comunicação. A atividade na bicicleta condiciona a criança a todo este aprendizado!

Incentive seus filhos a caminhar com uma “balance bike”, você ficará surpreso com o desenvolvimento deles!

Sou Cynthia Duarte – Atleta profissional de ciclismo por 20 anos, atualmente triatleta.

Facebook Fanpage –  https://www.facebook.com/cynthiaduartebike

Instagram – @cybike

ciclismocampeao@outlook.com

www.ciclismocampeao.com

Por Cynthia Duarte

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.