i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Paraná S.A

Foto de perfil de Paraná S.A
Ver perfil
União de esforços

O modelo de desenvolvimento de Maringá que Ratinho Jr. quer em todo o Paraná

  • 30/08/2020 18:00
Vista da Catedral de Maringá, principal ponto turístico da cidade
Vista da Catedral de Maringá, principal ponto turístico da cidade| Foto: Gazeta do Povo

Se enfrentar a crise é inevitável, estar preparado torna a batalha menos árdua. Nesta semana, a prefeitura de Maringá e o Sebrae local apresentaram o que chamaram de Plano de Retomada da economia da região para o durante e o pós-pandemia. O trabalho é fruto de um esforço coletivo de diversas entidades, mas que encontrou diálogo com as sociedades empresarial e civil graças ao poder de articulação do forte Conselho do Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem).

LEIA MAIS sobre economia e negócios no Paraná

Criado em 1996 por lei municipal, o conselho maringaense é um apoio à prefeitura na proposição e execução de políticas de desenvolvimento econômico. Reúne representantes de diversos segmentos da sociedade, como educação e empresariado.

Da década de 1990 para cá, foi fundamental para o desenvolvimento do município do Noroeste do estado. “Nos últimos anos, a cidade tem sustentado bons índices de qualidade de vida. Maringá liderou por dois anos [2018 e 2019] o índice Macroplan [que avalia cem cidades com mais de 273 mil habitantes em diversas áreas]”, contextualiza o economista Élcio Frade, também advogado e consultor empresarial na cidade.

Atualmente, a cidade ocupa a segunda posição neste ranking, que avalia serviços como um todo, não apenas o aspecto econômico. “Mas ele [o fator economia] tem um peso considerável. E muito pelo trabalho do Codem, que consegue unir os empresários, comerciantes e classe política, colocá-los em uma mesa e unificar as pautas importantes para a região”, destaca.

Um dos criadores do Programa Oeste em Desenvolvimento, que tem ajudado a região mais ocidental do estado a obter bons resultados econômicos, o ex-presidente da Itaipu Binacional Jorge Samek admite que a inspiração do consórcio no Oeste foi o modelo maringaense. “Levamos o pessoal [do Codem] para conversar com empresários da nossa região”, relembrou em entrevista recente à Gazeta do Povo. “Eles perguntaram qual era nossa prioridade. Aí o pessoal entendeu a importância de organizar as pautas”, apontou.

Vitórias no curto prazo e apostas no longo

Esse esforço coletivo resultou em uma série de vitórias ao longo desses 24 anos. A mais recente delas está em fase final de implementação. Há poucos dias, o município concluiu seu edital de chamamento público para empresas interessadas em participar de um laboratório do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) em Maringá. De acordo com o conselho, o objetivo é atrair empresas de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) na área de saúde, na qual o município tem se destacado.

“Ser um ambiente de inovação é uma das premissas do Parque Científico e Tecnológico do Tecpar em Maringá, que deve reunir empresas de base tecnológica com produtos e serviços que sejam resultados de atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico ou de inovação”, afirmou o diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, no mês passado. “Nosso objetivo é que este espaço seja referência na área de inovação para o país e um propulsor para a economia regional, com atração de investimentos que gerem empregos qualificados na região”, disse.

No início da negociação sobre o Tecpar maringaense com o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), em fevereiro de 2019, o chefe do Executivo rasgou elogios ao modelo de sociedade organizada. “Queremos implantar esse mesmo modelo [de conselho de desenvolvimento], que já é sucesso em Maringá, no Paraná. É para que a gente possa pensar o estado no futuro”, disse o governador.

Além das pautas de curto e médio prazo, o grupo investe em estudos para daqui a décadas. Com outras entidades, o Codem financiou uma pesquisa extensa e criou um plano estratégico chamado “Masterplan Metrópole de Maringá – Plano Socioeconômico”. O trabalho identificou potencialidades regionais e estabeleceu diretrizes para a cidade as explore nestes próximos anos. Uma destas áreas é justamente a tecnologia em saúde – foco da Tecpar na cidade.

Novo desafio é a pandemia

A organização parece apontar um caminho para que Maringá supere a crise causada pela pandemia. De acordo com pesquisa da força-tarefa do Plano de Retomada da cidade, 91,1% dos empresários locais tiveram seus negócios afetados. Neste universo, 27% precisaram suspender as atividades e 28% readequaram as atividades. A crise afetou setores como turismo e hotelaria, eventos, petshops e serviços veterinários, comércio de vestuário, calçados, acessórios e academias.

Embora 60% deles tenham declarado que não precisaram demitir, 36% tiveram de reduzir equipes de março para cá.

Para amenizar a situação, o Codem prevê uma série de ações, como o lançamento de um portal que funcionará como um centro de apoio ao empreendedor com informações importantes para o setor produtivo. Também serão fortalecidos serviços online e de capacitação. O Conselho pretende ainda criar uma plataforma de conexões, o Made in Maringá, para levar à cidade soluções de inovação, além de incentivar compras locais, elaborar vídeos de cases de sucesso e bancos de currículo.

Dentro dessa estratégia, o presidente do conselho, Wilson Matos Filho, indicou, em entrevistas recentes, que pretende, inclusive, juntar os municípios limítrofes. Muitos dos trabalhadores de Maringá moram em cidades da região, como Sarandi, Marialva e Mandaguaçu. Para isso, a entidade criou um Fórum de Integração Regional, uma câmara técnica que deve fazer essa interlocução, ampliando a cooperação para além da Cidade-Canção.

4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 4 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • F

    FRANCES

    ± 15 dias

    Isso tudo é marketing.... A realidade dessa cidade é totalmente diferente do que falam. Está conversa de qualidade de vida, é uma doença que ativa a miopia da população. Aqui não tem favela, em contrapartida só tem emprego pra salário de hum mil e quinhentos reais. O tecnopark aqui caiu no esquecimento, e estão criando esse novo projeto. Comércio da av Brasil, continua do mesmo jeito. O aeroporto da cidade vive até hoje em volta de uma roça de milho. E por aí vai....

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • A

      Armando

      ± 15 dias

      Eles nem conseguem terminar a linha vede...a obra já tem 13 anos....sem prazo para o término.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • I

        Intruso

        ± 15 dias

        Enquanto o governo não adotar um política de de desenvolvimento no interior (especialmente na região central do Estado) a desigualdade social continuará GALOPANTE. Nas cidades dessa pobre região quais oportunidades de trabalho existem aos jovens, a não ser manusear enxada, foice e machado??? E isso dá profissão a alguém??? E o q é pior grupos de pessoas disputam a unha e dente o cargo de prefeito "administrar" a grana q entra para o município. E o povo continua na miséria, excto os q fornecem as prefeituras..

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • T

          Thinker

          ± 15 dias

          Propaganda x Realidade: Aos Números: Dados de Maringá do IBGE 2018, quanto à posição no Estado do Paraná: Economia - PIB per capita 59’ colocado; Educação - taxa escolarização: 140’ ; Saúde - óbitos por 1000 nascidos vivos: 179’ . A pandemia nos leva a refletir sobre o papel dos governos e das mídias. É hora de menos discursos e propaganda e mais trabalho. Precisamos de uma nova forma de ver a realidade e superar os desafios!

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          Fim dos comentários.