Warren
Escritório da plataforma Warren em Curitiba| Foto: Divulgação

Apostando em um modelo menos usual de gestão de investimentos, uma administradora gaúcha pretende se apoiar em Curitiba e no Paraná para alavancar seus negócios. A Warren, que gere uma plataforma digital de corretagem, gestão e administração de investimentos, apostou na capital para ter uma de suas nove unidades (na verdade, escritórios da plataforma) e projeta uma gestão de R$ 1 bilhão em ativos até 2022 somente no estado – atualmente, a empresa tem, no Paraná, cerca de 500 clientes e movimenta um volume na casa das poucas centenas de milhões.

De acordo com Gustavo Gubert, que é sócio do negócio em solo paranaense, o diferencial da corretora é a cobrança no modelo ‘fee-based’, em que a empresa cobra uma taxa para administrar os investimentos. O mais comum, de acordo com o profissional, é modelo baseado em comissões sobre performance, ‘comission-based’, em que a empresa recebe uma porcentagem dos ganhos do cliente.

Gubert se diz otimista com a amplitude de mercado para os investidores, que no Brasil ainda se mantêm, em sua grande maioria, em investimentos conservadores que, embora sejam os mais seguros, são pouco rentáveis. “Queremos simplificar esse universo [dos investimentos]”, diz. Com isso, prevê o empresário, os clientes devem olhar mais para novos gestores e diluir o mercado concentrado em grandes bancos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]