i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Paraná S.A

Foto de perfil de Paraná S.A
Ver perfil
Mercado externo

Mesmo com a crise, Paraná aumenta as exportações. Entenda

  • Por Gazeta do Povo
  • 28/06/2020 13:00
Mesmo com a crise, Paraná aumenta as exportações. Entenda
| Foto: Jonathan Campos/Arquivo/Gazeta do Povo

Ainda que a pandemia do coronavírus tenha gerado uma crise econômica internacional, o Paraná manteve as exportações em ritmo de crescimento. De acordo com dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), ligado ao Ministério da Economia, o valor das exportações paranaenses, de janeiro a maio, fechou em US$ 6,5 bilhões, crescimento de quase 1% em relação ao mesmo período de 2019.

Foram determinantes para a manutenção do equilíbrio nas exportações do Paraná, o aumento expressivo de 24% nas exportações de soja (US$ 2,6 bilhões) e de produtos mecânicos (US$ 263 milhões), e de 13,4% de papel e celulose (US$ 253 milhões). O valor do dólar, em alta, tornou o mercado exterior mais atraente e ajudou a injetar dinheiro em algumas áreas de atividade.

Já as importações diminuíram. Com redução de 14% em comparação com o mesmo período do ano passado, somaram US$ 4,4 bilhões. Portanto, o saldo da balança comercial do Paraná nos cinco primeiros meses deste ano fechou com saldo positivo de US$ 2,1 bilhões, valor 50% maior que o registrado de janeiro a maio do ano anterior, que foi de US$ 1,4 bilhão. O que causou maior impacto nas importações foi a queda de 51% na compra de material de transportes, ligadas ao setor automotivo, de 13% em produtos químicos, e de 4,4% de petróleo.

Segundo o economista da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Evânio Felippe, fatores como a queda da atividade comercial em todo o mundo e grande oscilação do dólar no Brasil afetaram os resultados. A moeda americana subiu 37% de janeiro a maio, passando de R$ 4,15 em janeiro para R$ 5,64. “Com a instalação da crise também no Brasil, a partir da metade de março, o consumo interno também teve redução imediata e a estratégia das empresas foi de segurar os gastos e utilizar o que tinham de matéria-prima em estoque, sem fazer novas aquisições, para não correrem o risco de ficar com mercadoria parada e com orçamento em desequilíbrio”, explica.

Sinal positivo

O crescimento, mesmo que modesto, na alta nas exportações é um bom indicador, garante o economista. “Considerando o momento da economia mundial, ter saldo positivo na atividade de comércio exterior é um fator importante. Mostra que a diversificação da pauta de produtos exportados pelo Paraná faz a diferença e mostra que, mesmo diante de um cenário de dificuldade, o estado tem potencial para superar a crise nos próximos meses, quando tudo retomar à normalidade”, afirma.

O gerente executivo de Relações Institucionais e Assuntos Internacionais da Fiep, Reinaldo Tockus, avalia que o resultado acumulado da atividade de comércio exterior mostra que a indústria paranaense segue caminhando. “Apesar de os números do comércio internacional terem desabado nos últimos meses em razão da pandemia, e dos estudos da ONU apontarem para mais uma redução de 27% no 2º semestre, o Paraná consegue, ainda, manter-se em situação favorável, frente aos demais estados exportadores”, finaliza.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • C

    Celito Medeiros

    ± 0 minutos

    Que se preparem as Cooperativas e Empresas do Agronegócio, o Brasil estará em uma posição franca de Exportações crescentes, mesmo que a demanda é que direciona o mercado externo. Muita expectativa também na Fruticultura, negócios já estabilizados com a Índia e outros países. Atenção especial pode se voltar para a Agricultura Familiar, a que leva o Alimento às nossas mesas. Muito precisa ser feito em termos de assistência técnica para acabar com mau uso de defensivos e o desperdício que acontece nos Ceasas por aí...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]