i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Ricardo Amorim

Foto de perfil de Ricardo Amorim
Ver perfil

A reforma trabalhista trouxe conquistas importantes. Mas precisamos de mais

  • PorRicardo Amorim
  • 21/11/2018 11:00


A reforma trabalhista está completou um ano em novembro. Qual o saldo? Positivo, mas insuficiente. Antes da reforma, em maio de 2017, em um evento em Londres, o ministro do STF Luiz Roberto Barrozo afirmou que o Brasil tinha 98% de todos os processos trabalhistas do mundo. Em outras palavras, o Brasil sozinho tinha 49 vezes mais processos trabalhistas que todos os outros países do mundo somados. Depois da reforma, esse número diminuiu, mas o Brasil continua tendo muito mais processos que o resto do mundo junto. O número de ações trabalhistas caiu 36,5% — é um número significativo, mas ainda insuficiente. Algumas empresas optaram por deixar o país justamente por causa disso. Temos legislações que são feitas supostamente para proteger o trabalhador brasileiro, mas tem um resultado oposto. Há dois impactos: esses custos jurídicos elevados são repassados para o preço final de produtos e serviços e, quando fica muito caro produzir aqui, empresas que saem do país e demitem seus colaboradores. No fim, temos produtos e serviços mais caros e sofremos com desemprego e salários mais baixos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.