i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Roberto Indech

Foto de perfil de Roberto Indech
Ver perfil
Vozes

Como lidar com suas ações em tempos sombrios

  • Por Roberto Indech
  • [02/03/2020] [18:00]
Investimentos
| Foto: Scott Heins/Getty Images/AFP

Escrevi nas últimas colunas sobre as incertezas que o coronavírus tem trazido aos mercados em geral. Apenas na semana passada, época de celebração do carnaval no Brasil, as bolsas nos EUA tiveram a pior performance semanal desde a crise financeira de 2008. O preço do barril do petróleo também apresentou forte desvalorização, assim como outras commodities e os mercados na Europa. Por outro lado, o dólar se fortaleceu, em especial, frente às moedas de mercados emergentes como Brasil, Turquia, Argentina e México. Ao final do mês de fevereiro, o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, encerrou em baixa de 8,4% após já ter recuado 1,6% no mês de janeiro. Ou seja, nos dois primeiros meses do ano, o Ibovespa acumula recuo de 9,9%. Podemos afirmar que este é um cenário bem diferente daquele que encerrou 2019, onde o mercado nacional havia subido mais de 30% e as perspectivas positivas permeavam. Agora, como podemos ver, os tempos mudaram. Por quanto tempo? Não se sabe. No entanto, é necessário frisar o trabalho de educação financeira realizado ao longo dos últimos anos.

Em um momento turbulento como o que a bolsa nacional atravessa e com a entrada de milhares de novos investidores, é preciso orientar o máximo possível, destacando a importância de comprar ações para aqueles que possuem perfil moderado ou agressivo, que acreditam na melhora da economia nacional e, consequentemente, nos resultados das empresas listadas em bolsa, acima de tudo com a disciplina necessária.

Na semana que passou recebi diversas mensagens perguntando sobre como lidar com situações como a atual, se as ações compradas anteriormente deveriam ser vendidas ou não ou se o mais prudente seria aguardar este momento passar. Enfim, foram vários questionamento. Na minha visão, acredito que o mais importante é continuar com o mesmo raciocínio, independentemente do momento: se você se considera um investidor que visa o longo prazo, busque participar do mercado de forma recorrente, ou seja, comprar ações com regularidade, pois nunca saberemos onde estará o fundo ou o topo do mercado. Para os que possuem estratégias de curto prazo, é necessário encurtar os stops das operações, a fim de não ser surpreendido por movimentos mais bruscos que o normal. E por falar em normalidade, o volume negociado da bolsa brasileira foi abissal nesses três dias pós carnaval, chegando a apresentar o dobro ou triplo acima da média diária.

Em momentos de incerteza como o que estamos vivendo, é preciso ter claro que estar no mercado de ações requer estratégia, disciplina e conhecimento, a menos que o investidor faça aplicações em fundos de investimento, destinando esta responsabilidade aos gestores. Após o forte recuo do Ibovespa e com ações de empresas chegando a perder cerca de 20% em apenas três pregões, vejo oportunidades surgindo. Se anteriormente a esta semana grande parte do mercado estava confiante, não será pela incerteza do coronavírus que irá tirar tudo aquilo que se espera.

Obviamente que no curto prazo teremos impactos como os vistos nos indicadores da economia da China divulgados na virada de mês, mas para o Brasil a visão positiva de médio e longo prazos permanece. Portanto, minhas recomendações neste momento (ou naqueles turbulentos, cheios de incertezas) são: manter a calma, seguir com disciplina a estratégia estabelecida para o investimento em ações, aproveitar as janelas de oportunidade que o mercado tem dado (na minha visão) e ter o foco de que, no longo prazo, o que fará a diferença serão os resultados das empresas. Dólar, commodities, barreiras de entrada, cenário político e tantos outros fatores trarão fatos diários que movimentarão as bolsas como um todo, mas se o investidor mantiver os caminhos acima as chances de obter sucesso são maiores do que aqueles que costumam perder dinheiro e culpar terceiros. É o mundo da renda variável.

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 3 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • D

    Doarcy Junior

    ± 0 minutos

    os mais abonados que tem investimentos(acionistas) ... são os primeiros a propagar o vírus, pois estão em trâansito pelo mundo, para passear, fechar negócios, fazer lobby e administrar as empresas ... vão transmitir para seus empregados(força de trabalho) do mundo inteiro. Abonados tem acesso a bons hospitais , empregados tem acesso ao SUS e olhe lá. Tá na hora de inverter a Pirâmide ...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marcos eisenschlag

    ± 14 horas

    Hahahaha, entao ficamos assim sr. Roberto, nao chamamos mais de "rentistas" aqueles que aplicam uma boa parte de seu capital em renda fixa e que assim reduzem a volatilidade do portfolio?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • O

    Oliveira

    ± 17 horas

    Se peidou na farofa com uma quedinha dessas, melhor alocar mais na renda fixa.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.