Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
fila vacina
Idosos enfrentam fila gigante com garoa e frio para tomar segunda dose da vacina de Covid no posto do Boa Vista.| Foto: Gerson Klaina / Tribuna do Paraná

A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, na sessão da última segunda-feira, a instalação da Comissão Especial de Investigação (CEI) da vacina. Proposta pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Casa, deputado Fernando Francischini (PSL), a CEI visa apurar denúncias de pessoas que furaram a fila da vacinação no estado. Segundo Francischini, além da apuração do Tribunal de Contas que já identificou, em 18 cidades, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores que receberam a vacina sem pertencerem aos grupos prioritários, há denúncias de vacinas aplicadas com documentação de pessoas já falecidas e, ainda, de multivacinados, ou seja, CPFs que receberam muito mais do que duas doses do imunizante, o que indica fraude.

Cadastre-se e receba notícias do Paraná no celular

Em acordo de lideranças, ficou definido que Francischini presidirá a comissão e que o líder do governo, Hussein Bakri (PSD) será o relator. Outro membro já indicado para a CEI é o deputado Delegado Jacovós (PL). Outros quatro parlamentares farão parte da comissão. Os nomes devem ser indicados pelos partidos nesta terça-feira.

A reivindicação da relatoria para o líder do governo deixa claro que o Palácio Iguaçu quer acompanhar de perto as investigações, mantendo certo controle sobre o relatório ou, ao menos, sabendo de antemão os rumos das apurações. “Uma CEI, a gente sabe como começa, mas nunca sabe como termina. Vários outros fatos conexos podem vir à tona, como falhas na distribuição das vacinas, atrasos, mau uso de recursos públicos”, cita Francischini.

Sem o poder de convocação que só um CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) teria, a CEI deverá se ater à coleta e análise de documentos, explicou Francischini. Com acesso à lista de todos os CPFs que receberam vacina no Paraná, o deputado quer que a comissão cruze dados para identificar políticos, parentes e funcionários de políticos que possam ter recebido a vacina indevidamente, além de multivacinados e falecidos que constam entrem os imunizados. “Só a Controladoria Geral do Estado já recebeu 600 denúncias. E eles não têm estrutura para apurar uma a uma. Nós apuraremos”, disse o deputado.

O primeiro ato da CEI será uma visita, na tarde desta terça-feira, ao Tribunal de Contas do Estado, para ter acesso à documentação já analisada pelo Tribunal e averiguar o andamento dos procedimentos abertos pela corte de contas.

4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]