Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Situação de edificações do pedágio constada por inspeção do TCU.
Situação de edificações do pedágio constada por inspeção do TCU.| Foto: Reprodução

Enquanto aguarda respostas do Departamento Nacional de infraestrutura de Transportes (DNIT) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) sobre a situação de abandono das praças de pedágio e outras instalações temporariamente desativadas nas rodovias paranaenses, o Tribunal de Contas da União (TCU) questionou a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Militar do Paraná sobre a vigilância nas edificações.

Receba as principais notícias do PR em seu celular

Em ofícios enviados aos comandos das duas polícias e, também, ao Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER), o TCU quer saber se há policiamento ostensivo para garantir a preservação do patrimônio, se houve solicitação por parte do DNIT ou do DER para que as polícias realizassem essa vigilância e se algumas das estruturas anteriormente utilizadas pelas concessionárias estão sendo ocupadas por forças policiais.

Os questionamentos fazem parta do processo de análise do TCU sobre o novo pedido de concessão das rodovias paranaenses e foram feitos após inspeção in loco realizada por auditores do TCU em abril. Segundo o relatório da inspeção, foi identificado “que várias edificações, tais como praças de pedágio, balanças de pesagem e serviços de atendimento a usuários, estão abandonadas e foram depredadas”.

Governo do PR diz que 24 praças estão sob jurisdição federal

Em nota, o Governo do Paraná informou que a Secretaria de Segurança Pública (SESP) vai analisar os questionamentos apresentados pelo Tribunal de Contas da União à Polícia Militar para subsidiar a resposta para orientação do procedimento. O governo ressaltou, no entanto, que “com o término dos pedágios em novembro passado todas as edificações em rodovias federais foram revertidas ao governo federal”, lembrando que, ao todo, são 24 praças de pedágios em rodovias federais.

A coluna também procurou a diretoria-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Brasília, para quem o ofício do TCU foi enviado, mas ainda não houve retorno. A superintendência da PRF do Paraná ressaltou que a polícia não tem a atribuição de fazer vigilância das praças de pedágio e demais edificações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]