i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Rolmops e Catchup

Ver perfil

Muito além do banheiro…

  • PorFrancisco Camargo
  • 13/01/2014 23:25
Muito além do banheiro…
| Foto:

Já foi dito que a educação de um povo (também) se mede pelas condições em que se apresentam um banheiro público. Afinal, é de permanente uso coletivo. Talvez agora essa certeza possa ser transposta para o trânsito. Até porque, do jeito que as coisas se apresentam, parece que a campanha educativa da simpática Vó Gertrudes, patrocinada pela prefeitura de Curitiba, tem pela frente uma missão impossível.

– É um festival de irresponsabilidade o que se vê diariamente – brada professor Afronsius, irritadíssimo com as cenas que tem presenciado. Ou testemunhado.

De fato. Boa parte dos motoristas não dá sinal de seta, para sobre a faixa de pedestre, excede os limites de velocidade (até nas proximidades de escolas e hospitais), dirige costurando, não larga o celular ao volante, mesmo quando está fumando, anda com o retrovisor fechado – e por aí vai.

– Só falta fazer palavras cruzadas enquanto dirige…

Xerifão por um dia

Embora custe a admitir, professor Afronsius tem um sonho: ser diretor do trânsito por um dia. Só para botar a turma na linha, conforme teria deixado escapar.

E, sobre linha dura, há que se citar o coronel Américo Fontenelle. Militar reformado, implantou no Rio de Janeiro e, depois, em São Paulo, a Operação Esvazia-Pneus. Isso nos anos 1960. Quem estacionava em lugar proibido, ao voltar topava com o desagradável cenário: o carro literalmente de barriga no chão, os quatro pneus totalmente murchos.

O coronel não completou três meses no posto.

Mas, certamente, alguns motoristas passaram a respeitar as placas proibido estacionar.

Dar cascudos, mesmo de vez em quando, funciona.

ENQUANTO ISSO…

14 janeiro

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.