i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Rolmops e Catchup

Ver perfil

O carnaval de cada um

  • PorFrancisco Camargo
  • 16/12/2016 20:53
O carnaval de cada um
| Foto:

Há quem já esteja pensando no carnaval – ou tríduo momesco, como se dizia antigamente. Não é o caso do Beronha. Está de olho no feriado.

– Eu já rebolo o ano inteiro…

Tudo bem, já que cada um se diverte ou enfrenta o carnaval curitibano à sua maneira. A maioria viajando. Mas, patético arremedo de folião nos tempos do concurso Bem Bolada do Batel, da Banda Polaca e dos bailes do Ópera-Rio (na verdade a gloriosa Sociedade Beneficente Protetora dos Operários), Natureza Morta curte a folia recolhido ao sagrado recesso do lar.

No máximo, ao ar livre, recorda o carnaval de 1967, graças ao sucesso de Zé Keti, com Máscara Negra, vencedora do 1.º Concurso de Músicas para o Carnaval, criado pelo Conselho Superior de MPB do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro.

Outra vez o Beronha. Nosso anti-herói de plantão pede para justificar o seu rompimento de relações com o Rei Momo:

– A coisa perdeu todo o charme. O carná tinha graça quando existia o bloco do O que é que eu vou dizer em casa

O bloco, no caso, era o grupo que desfilava apenas na quarta-feira de cinzas. Isso quando, liberado pelo delegado de plantão, deixava o xadrez da Delegacia de Costumes, de volta às ruas. Aí, o grande problema era dar explicações (plausíveis) para a patroa ao voltar pra casa. Alguns ainda fantasiados de baiana.

ENQUANTO ISSO…

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.