Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O gestor precisa saber lidar com problemas com serenidade e eficiência, além de dar suporte à equipe, se envolvendo em todos os níveis de trabalho / Foto: Bubblews
O gestor precisa saber lidar com problemas com serenidade e eficiência, além de dar suporte à equipe, se envolvendo em todos os níveis de trabalho / Foto: Bubblews| Foto:

Em qualquer empresa, seja qual for seu ramo de atuação, acontecem imprevistos, situações difíceis e situações que não podem ser mudadas.  É neste momento que os gestores precisam colocar em jogo suas habilidades de líder, para resolver os problemas da melhor maneira – tanto para a empresa quanto para o cliente.

Chefe admirado que lidera a equipe

O gestor precisa saber lidar com problemas com serenidade e eficiência, além de dar suporte à equipe, se envolvendo em todos os níveis de trabalho / Foto: Bubblews

Antes de falar sobre a necessidade de ter jogo de cintura e de saber lidar com situações adversas e imutáveis, é necessário saber diferenciar o simples chefe do líder. Nem todo chefe sabe liderar, e essa pode ser a chave de muitos problemas enfrentados pela gestão. O chefe-líder é aquele que conquista a confiança da equipe, que incentiva e prepara o grupo para lidar com situações difíceis. Uma característica dos grandes líderes é prever os possíveis problemas e já ter soluções pensadas para quando for necessário usá-las. A liderança é a capacidade de gerenciar uma equipe, possibilitando que esse grupo de pessoas gere resultados positivos para a organização e trabalhe bem em grupo.

Talvez um dos maiores desafios de um bom líder seja, de fato, lidar com pessoas diferentes, com comportamentos, raciocínio e sentimentos diferentes. Por isso é importante levar em consideração que o ambiente, os relacionamentos interpessoais dentro da empresa e o tipo de liderança praticado na instituição influenciam na motivação dos funcionários.

As situações que mais exigem jogo de cintura do chefe são: prazos curtos e inalteráveis, clientes “cabeça dura” e colaboradores explosivos ou mal humorados.

A chave para lidar com o primeiro problema é: organização aliada a disciplina. O gestor precisa:

1. Deixar claro para a equipe a preocupação com os prazos, priorizar que a atenção do grupo seja destinada para a conclusão do projeto em tempo hábil, além de dividir bem as funções entre os membros da equipe;
2. Prestar suporte aos colaboradores, para que o trabalho seja concluído dentro do curto espaço de tempo sem perder a qualidade.

Quanto a clientes difíceis, que não aceitam mudança de opinião, o que a equipe pode fazer é aceitar o ponto de vista do cliente e trabalhar em cima do que ele deseja, tentando realizar um bom trabalho mesmo com as possíveis limitações.

Já quando o problema envolve a própria equipe, o gestor precisa ser imparcial e dar feedbacks e feedfowards para o funcionário que possui um comportamento que prejudique o trabalho em grupo, dando a ele, desta forma, a chance de se corrigir e evoluir. Caso o problema não se resolva com conversa, a melhor opção é mesmo o desligamento, e isso precisa ser feito de forma profissional, objetiva e fundamentada. O líder precisa ser coerente, e tratar a todos da mesma maneira. O discurso precisa ser linear e bem fundamentado, para que as decisões do chefe não sejam questionadas.

Algumas atitudes podem ser tomadas pelos gestores para evitar problemas futuros. São elas:

– Promover treinamentos com a equipe, manter o grupo atualizado e pronto para enfrentar desafios;
– Dar feedbacks periódicos, tanto positivos quanto negativos para toda a equipe;
– Trabalhar também com feedfoward, desta maneira o colaborador é ajudado a encontrar soluções;
– Participar de todas as áreas de gestão, se envolvendo com o projeto do começo à sua finalização.

Quando o gestor sabe lidar com aspectos imutáveis dentro da empresa, tudo flui de maneira mais simples, além de o trabalho em grupo funcionar de fato. Mais que apenas delegar funções, o chefe precisa saber lidar com os diferentes perfis de pessoas dentro de uma única equipe, precisa se envolver no desenvolvimento dos projetos e se antecipar quanto a problemas. O bom líder é coerente e pauta todas as suas decisões em análises profundas e foca em resultados, sem deixar de destinar atenção ao capital humano. Se você é líder, reflita sobre sua postura. Talvez ela esteja travando o sucesso da sua gestão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]