Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Automóveis

Fechar
PUBLICIDADE

Segurança

Crash test mostra o que acontece ao transportar o cão solto no carro

Vídeo mostra o risco de levar o cachorro solto no banco. O animal pode se machucar numa colisão e ainda virar uma arma contra os ocupantes do veículo

Vídeo mostra o risco de levar o cachorro solto no banco. O animal pode se machucar numa colisão e ainda virar uma arma contra os ocupantes do veículo | YouTube/Reprodução
Vídeo mostra o risco de levar o cachorro solto no banco. O animal pode se machucar numa colisão e ainda virar uma arma contra os ocupantes do veículo YouTube/Reprodução
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Feriado prolongado, como este de carnaval, é sinônimo de pegar a estrada com o carro. E um dos ocupantes às vezes pode ser o cão de estimação.

Poucos, porém, preocupam-se em acomodar o animal corretamente e acabam deixando-o solto sobre o banco ou dentro de sua ‘caminha’. E não fazem ideia do risco que essa atitude por representar.

Para alertar sobre os perigos de transportar um cachorro sem os devidos cuidados, o Centro de Tecnologia Allianz (AZT), na Alemanha, realizou um teste de colisão usando pet de pelúcia com tamanho e peso similares aos animais reais.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/02/24/Automoveis/Imagens/Vivo/bigstock-Cute-Labrador-dog-in-car-150306944.jpg
Bigstock/Divulgação

Um vídeo divulgado pela empresa mostra duas réplicas no banco traseiro de um automóvel, que entra em movimento e em seguida se choca contra um parede.

O cão maior, que estava solto, atravessa o interior da cabine e vai de encontro ao painel do veículo.O menor, preso a um cinto de segurança especial para o transporte do animal, permanece no banco de trás.

LEIA MAIS: Confira 10 dicas para que a vaigem não fique pela estrada

O teste foi realizado a uma velocidade de 40 km/h, portanto baixa e usada apenas na cidade. Imagine na estrada, onde a média chega a 100 km/h! Na simulação do grupo alemão, da qual faz parte a Allianz Seguros, o cachorro é arremessado pesando 40 vezes mais.

LEIA MAIS: Confira os novos valores das multas de trânsito

No caso de um pastor alemão, que pesa 35 quilos, o impacto teria o peso de 1.400 quilos. A força é tamanha que pode arrebentar o para-brisa. Ou seja, pode haver consequências trágicas tanto ao animal quanto aos demais passageiros.

Carsten Reinkemeyer, chefe de Tecnologia e Segurança de Veículos do AZT, orienta proteger cães de até 12 kg com uma coleira anexada ao cinto de segurança. Os cachorros maiores devem viajar em caixas transportadoras na parte traseira ou porta-malas do automóvel, já que podem colidir com o banco da frente se amarrados a coleiras.

VÍDEO: Veja as opções para o transporte do pet

O vídeo deixa claro que prender o cão adequadamente aumenta as chances de que todos ocupantes não seja atingindo pelo animal numa colisão. Além disso, conter o animal garante que, mesmo assustado, não fugirá do local do acidente ou atrapalhará qualquer serviço de resgate a ser realizado.

Ainda, ao prendê-lo com segurança, o motorista mantém seus olhos na estrada e suas mãos ao volante, e não fica preocupado com o animal sozinho atrás.

LEIA MAIS: Vai viajar com a família? Tire as dúvidas sobre o uso da cadeirinha

Multa para cão na janela

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/02/24/Automoveis/Imagens/Cortadas/bigstock-a-cute-westie--west-highland--96220328-k0xF-U201619884918WIF-1024x768@GP-Web.jpg
Bigstock/Divulgação

Lembre-se que transportar o cão solto no automóvel é passível de multa de trânsito. A atitude pode ser enquadrada de infração leve (R$ 88,38) a grave (R$ 195,23 e perda de 5 pontos na CNH).

A legislação diz, por exemplo, que o bichinho não pode ir na parte externa dos veículos. Isso vale para aquela situação em que cachorro coloca a cabeça pela janela ou quando são transportados nas caçambas de picapes sem que estejam alojados em caixas. Também é proibido levar o animalzinho no colo ou do lado esquerdo, entre o corpo e a porta

O que diz a legislação

Segundo o Código Brasileiro de Trânsito

Art. 169

Infração leve

Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança. Multa de R$ 88,38 e três pontos na carteira.

Art. 235

Infração grave

Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados. Multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira.

Art. 252

Infração média

Dirigir o veículo transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas. Multa de R$ 130,16 e quatro pontos.

Donos de cachorro podem optar pelo cinto de segurança e do peitoral, que são fixados no banco traseiro do carro, e há ainda a caixa de transporte plástica ou gaiola e a cadeirinha. Muitos preferem não utilizar o cinto, por que em uma freada acaba chicoteando o animal.

Os preços dos acessórios, vendidos em lojas agropecuárias, pet shops e supermercados , variam de acordo com o tamanho. O cinto regulável pode ser encontrado a partir de R$ 20, o peitoral, por cerca de R$ 30, a caixa custa em média R$ 35. O acessório com o preço mais alto é a cadeirinha, comercializada a partir de R$ 100.

Veja as opções de transporte de acordo com o tamanho do pet:

Transporte seu cão no automóvel com segurança

Conheça três acessórios para carro que permitem levar o pet sem colocá-lo em risco

+ VÍDEOS

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Automóveis

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais