Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Em baixa

Saiba quais os carros lanterninhas em vendas no Brasil em 2017

Listamos os modelos que tiveram pouca procura nas lojas no primeiro trimestre deste ano. Tem de carros chineses a modelos injustiçados

  • Renyere Trovão
Listamos os modelos que tiveram pouca procura nas lojas no primeiro trimestre deste ano. Tem de carros chineses a modelos injustiçados |
Listamos os modelos que tiveram pouca procura nas lojas no primeiro trimestre deste ano. Tem de carros chineses a modelos injustiçados
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O ano já fechou o primeiro trimestre e com um alento para o mercado automotivo: a sequência de quedas nas vendas foi interrompida com um aumento de 38,9% em março comparado a fevereiro.

É claro que o número menor de dias úteis e o feriado do Carnaval contribuíram para o desempenho melhor no mês seguinte. Porém, os 183.850 unidades em março ante as 132.398 de fevereiro diminuíram a diferença no acumulado do primeiro trimestre em relação ao mesmo período de 2016 (459.806 contra 465.026, respectivamente).

LEIA MAIS: Injustiçados? Confira os carros que ainda não caíram no gosto do brasileiro

No entanto, alguns modelos não acompanharam o ritmo de mercado e amargaram a lanterninha em vendas em seu segmento. Confira a seguir os carros menos vendidos no Brasil de janeiro a março, segundo dados da Fenabrave.

HATCH COMPACTO

Chery Celer

Venda em 2017: 91 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Chery Celer.jpg

O hatch chinês feito em Jacareí (SP) pelo jeito será difícil de emplacar. A média mensal é de apenas 30 unidades, um pouco inferior a do companheiro de fábrica New QQ, que licenciou 118 exemplares (39 por mês).

E olha que a unidade paulista tem capacidade para produzir 12,5 mil unidades por mês. Imagine a ociosidade por lá. A baixa produção e a reduzida rede de concessionárias, além é claro da forte concorrência, estão entre os fatores que atrapalham a vida da Chery.

LEIA MAIS: Carro mais barato do Brasil, New QQ ganha versão ainda mais em conta

Dos hatches que vendem mais de 1 mil unidades mensais, o fim da fila é ocupada por Cintroën C3 (2.236), Peugeot 208 (2.534) e Ford Fiesta (4.368). Já na outra ponta estão Chevrolet Onix (40.624), Hyundai HB20 (24.520) e Ford Ka (20.864).

HATCH MÉDIO

Volvo V40

Venda em 2017: 54 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Volvo V40.jpg

É claro que o preço do Volvo V40 é um componente restritivo à sua venda. Importado da Bélgica, o modelo custa R$ 129.900, bem acima do que os concorrentes do segmento. O líder Chevrolet Cruze Sport6 (1.338 unidades), por exemplo, vai de R$ 89.990 e R$ 101.190.

LEIA MAIS: Novo Cruze hatch chega mais esportivo para desbancar Focus e Golf, crava Chevrolet

Na verdade, o V40 disputa mercado com BMW Série 1, Audi A3 e Mercedes Classe A, que custam acima de R$ 120 mil, mas não aparecem na lista da Fenabrave.

Apesar das qualidades do Volvo, a desvalorização agressiva e o custo elevado na manutenção contribuem para a baixa procura. Na parte de cima, o Volkswagen Golf (1.323) está colado no Cruze, seguido do Ford Focus (1.109). Já o Peugeot 308 (230) está bem distante, mais próximo do V40.

SEDÃ COMPACTO

Chery Celer sedã

Venda em 2017: 64 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Chery Celer sedã.jpg

O Chery Celer repete o mesmo desempenho tímido da versão hatch. O pacote de equipamentos interessante aliado ao preço ‘reduzido’ (R$ 42 mil) quando comparado à concorrência não são suficientes para convencer o consumidor.

Outros dois chineses também sofrem com a baixa procura: o JAC J3 Turin S (R$ 41.990) emplacou apenas 110 unidades neste ano, enquanto o Lifan 530 faturou 187.

A procura é maior por marca tradicionais. No topo do segmento estão Chevrolet Prisma (13.137), Volkswagen Voyage (9.069) e Hyundai HB20S (7.443).

SEDÃ INTERMEDIÁRIO

JAC J5

Venda em 2017: 19 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/JAC J5.jpg

A sina chinesa no Brasil continua nos modelos superiores. O JAC J5 está no mercado brasileiro desde 2012. Traz um bom pacote de equipamentos, mas a ausência do câmbio automático e da motorização flex jogam contra.

O preço de R$ 54.990 é interessante e o carro oferece alguns mimos como ar digital, faróis com regulagem de altura, sensor de ré, bancos em couro e central multimídia com câmera de ré.

No seu grupo, quem sobressai em vendas é o Chevrolet Cobalt (5.517) e o Honda City (3.594).

SEDÃ MÉDIO

Peugeot 408

Venda em 2017: 243 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Peugeot 408.jpg

Mais um Peugeot que não consegue conquistar o público brasileiro. E não é por falta de tabela atraente ou mecânica caprichada. O 408 é empurrado pelo excelente propulsor 1.6 THP (turbo), associado à transmissão automática (de 6 marchas), o que torna a condução muito divertida.

Também oferece equipamentos e espaço superiores aos dos campeões da categoria, mas nem assim é lembrado pelo mercado. Além do motor, a capacidade do porta-malas é o destaque: 526 litros - o Toyota Corolla, por exemplo, carrega 470 l de bagagem.

LEIA MAIS: Toyota lança o novo Corolla; veja os preços e o que muda no sedã

O Corolla, aliás, é absoluto na categoria quando o assunto é vendas. No trimestre emplacou 12.937 exemplares, com boa vantagem sobre o Honda Civic, 7.437, e o Chevrolet Cruze, 3.610.

SEDÃ GRANDE

Jaguar XF

Venda em 2017: 21 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Jaguar XF.jpg

O volume de vendas neste nicho de mercado não é tão alto. Ford Fusion (922), Mercedes-Benz Classe C (734) e BMW Serie 3 (598) se destacam, mas o restante da turma premium briga num bolo bem abaixo.

É o caso de Audi A4 (247), Jaguar XE (117) e Volkswagen Passat (97). Mas na lanterna está o Jaguar XF, sedã de luxo posicionado acima do XE. O preço de R$ 268 mil já o torna uma modelo para poucos.

STATION WAGON COMPACTA

Volkswagen SpaceCross

Venda em 2017: 29 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/VW SpaceCross.jpg

As peruas sobrevivem heroicamente no Brasil, mas há tempos perderam espaços para os monovolumes e utilitários. Fiat Weekend (907) e Volkswagen Variant (150) se sobressaem na categoria.

Já a SpaceCross, com apelo aventureiro, apenas cumpre tabela, com pouca saída. O preço também não colabora: R$ 85.103. Por esse valor há uma série de carros mais interessantes.

MINIVAN/ MONOVOLUME

Mercedes-Benz Classe B

Venda em 2017: 17 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Mercedes-Benz Classe B.jpg

Outro segmento que perdeu força com a chegada do utilitários compactos. Salvo Honda Fit (6.804), Chevrolet Spin (5.642) e Fiat Doblò (1.089), os demais modelos agonizam.

O último posto é ocupado pelo Mercedes-Benz Classe B, que é um dos modelos da marca alemã que menos vende no Brasil. Totalizou apenas 17 carros no trimestre, mas o preço justifica a baixa procura: R$ 143.900. Ele vem seguido de perto pelo JAC J6, que registrou 22.

SUV COMPACTO

Lifan X60

Venda em 2017: 273 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Lifan X60.jpg

A menina dos olhos do mercado brasileiro é dominado pelo Honda HR-V (11.178), seguido de Jeep Compass (9.797) e Jeep Renegade (9.189).

Mas há um bolo que também não tem do que reclamar, considerando o valor mínimo de R$ 70 mil para levar um utilitário compacto para a casa.Nissan Kicks (7.560), Hyundai Creta (6.999), Ford EcoSport (5.612) e Renault Duster (5.251) compõem essa lista.

LEIA MAIS: Jeep Compass atropela irmão Renegade e já vê Honda HR-V na mira; veja o top 20

Mas, para alguns, a situação não tão favorável assim. O Lifan X60 que o diga. De janeiro a março foram 273 unidades emplacados. Um desempenho razoável perto de chineses de segmentos mais baratos, mas que o coloca na rabeira entre os SUVs/ crossovers menores.

O Chery Tiggo deve registrar uma venda até inferior, mas não aparece na relação da Fenabrave.

SUV MÉDIO/GRANDE

Land Rover Range Rover

Venda em 2017: 115 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Land Rover Ranger Rover.jpg

Aqui estamos falando de modelos cujos preços ultrapassam os R$ 140 mil. O líder de vendas Toyota Hilux SW4, por exemplo, começa em R$ 146,5 mil e vai até R$ 241,5 mil.

E mesmo assim o volume de emplacamentos do suvão no primeiro trimestre alcançou 2.990 carros, bem à frente do Mitsubishi Outlander, com 991.

LEIA MAIS: De volta à briga: Volkswagen confirma nove lançamentos para o Brasil em 2017

A última posição na lista da Fenabrave é ocupado pelo Land Rover Range Rover, com 115 unidades. Até que não é desprezível, uma vez que o preço do luxuoso modelo pode superar a R$ 1 milhão na versão Autobiography 5.0 V8.

PICAPE COMPACTA

Chevrolet Montana

Venda em 2017: 3.592 unidades

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Chevrolet Montana.jpg

A categoria há tempos é liderada pelo Fiat Strada, que neste ano já vendeu 12.269. Aliás, o modelo está entre os 10 carros mais licenciados no Brasil. A Volkswagen Saveiro segue um pouco atrás, com 9.495.

A terceira e última representante do segmento é a Chevrolet Montana, que beliscou 3.592 unidades no trimestre. O modelo mantém a frente do aposentado Agile, o que não é uma bom chamariz de venda.

PICAPE INTERMEDIÁRIA/ MÉDIA

Nissan Frontier

Venda em 2017: 1.040

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2017/04/08/Automoveis/Imagens/Vivo/Nissan frontier.jpg

As picapes médias brigavam entre si pelo alto do ranking de vendas até a chegada da Fiat Toro, que, apesar de um pouco menor no tamanho, oferece também cabine dupla e capacidade para transportar peso.

A Toro já acumulou 11.240 exemplares negociados em 2017. A Toyota Hilux (7.406) e a Chevrolet S10 (5.878) aparecem na sequência.

LEIA MAIS: Nova Frontier se veste para a cidade sem tirar o pé da terra; veja se vale a compra

Já a parte debaixo é ocupado pelo Nissan Frontier (1.040), que acabou de mudar de geração e, portanto, teve as vendas comprometidas nos três primeiros meses do ano. A VW Amarok (1.813) está na vice-lanterna.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Automóveis

PUBLICIDADE