Blogs

Fechar
PUBLICIDADE

Caixa Zero

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 28/03/17 5:52:43 PM
24/04 - Sessão plenária

Sandro Nascimento/Alep

 

Um dos partidos que fez parte da coligação que elegeu Rafael Greca (PMN), o DEM deve se reunir com o prefeito de Curitiba na próxima semana e buscar mais espaço no primeiro escalão da administração da capital.

Hoje, o partido ocupa apenas a presidência da Cohab, com José Lupion Neto. Mas alguns setores da legenda defendem a ocupação de mais postos de comando na gestão Greca, uma vez que o DEM faz parte da base aliada na Câmara de Vereadores, com Julieta Reis e Sabino Picolo.

O encontro com o prefeito está sendo costurado pelo deputado federal Osmar Bertoldi (foto), que assumiu a presidência da legenda na capital na última segunda-feira (28).

Segundo integrantes da legenda, porém, a ideia é cobrar maior participação na prefeitura, mas “sem faca no pescoço”.

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 27/03/17 5:57:22 PM

Arquivo/Gazeta do Povo

Rogerio Waldrigues Galindo está de férias. Texto de Euclides Lucas Garcia.

Quase um ano e meio depois de publicar uma carta aberta em que dizia torcer pela “recuperação moral” do amigo e governador Beto Richa (PSDB), o empresário e ex-deputado estadual Tony Garcia voltou à carga para cima do tucano neste fim de semana (leia a íntegra da nova carta logo abaixo).

O tema desta vez foi a Operação Lava Jato e a inclusão do nome de Richa na chamada “segunda lista de Janot”, encaminhada ao Supremo Tribunal Federal pela Procuradoria-Geral da República há duas semanas.

Referindo-se ao governador como “um bom amigo de outrora”, Garcia diz ver com tristeza o envolvimento dele na Lava Jato, como já havia ocorrido nas operações Quadro Negro e Publicano, “juntamente com seu primo distante Luiz Abi”.

Para Garcia, Richa está “perdido em um mar de lama e afastado dos bons princípios” herdados dos pais. Ele afirma que continua alertando o governador das “maracutaias engendradas no Palácio”, mas, para sua surpresa, o tucano “nada faz, segue em frente, desdenha da opinião pública”.

No post feito no Facebook no fim da tarde do último sábado (25), o empresário pede a Richa que assuma os erros em vez de continuar tentando negá-los, pois o povo “não perdoa o cinismo e a desfaçatez”.

“Em 2014 alertei Beto Richa que havia maracutaia na montagem da PPP da rodovia 323 capitaneada pela Odebrecht, não ouviu, foi em frente, deu no que deu, entrou para a LISTA DE JANOT”, escreveu Tony Garcia.

No ano passado, a empreiteira pediu para sair do consórcio Rota das Fronteiras, que venceu a disputa para fazer obras e administrar o trecho da rodovia PR-323, entre Paiçandu e Francisco Alves, no Noroeste do Paraná. Com investimento bilionário, o projeto seria a primeira Parceria Público-Privada (PPP) do Paraná.

O ex-parlamentar conclui a carta declarando já ter alertado Richa de que outras “maracutaias” seguem sendo tramadas no governo “na intenção de criarem dificuldades para venderem facilidades a fornecedores do estado”.

“Torno isso público hoje para que o governador Beto Richa não alegue à frente desconhecimento”, finaliza Garcia, citando que tinha relatado com antecedência ao tucano o esquema de corrupção na Receita Estadual, sem que nenhuma providência fosse tomada.

 Leia aqui a íntegra do post de Tony Garcia:

A LAVA JATO PARECE NÃO INTIMIDAR GOVERNANTES E AGENTES PÚBLICOS.

Os nossos políticos parecem não terem aprendido nada com os três anos de Lava Jato, em vez de procurarem instrumentos que coíbam a corrupção, andam atrás de buscarem em leis, formas de perpetuarem-na. Prestam um desserviço à nação. No Paraná, vejo com tristeza um bom amigo de outrora, hoje governador, envolvido na Lista de Janot, Quadro Negro e Publicano, juntamente com seu primo distante Luis Abi. Estive ao lado dele desde o início de sua vida pública, foi uma das pessoas mais sensatas que conheci, hoje, porém, vejo-o perdido em um mar de lama e afastado dos bons princípios herdado de seus ótimos pais. Alerto-o, como sempre fiz, de maracutaias engendradas no palácio que um dia seu pai ocupou com dignidade e honestidade, faço-o na intenção de afastá-lo de mal feitos que, com a autoridade que detém, pode e deve extirpá-los. Para minha enorme surpresa, nada faz, segue em frente, desdenha da opinião pública, e não consegue enxergar que a Lava Jato mudou o comportamento dos brasileiros, hoje, todos muito atentos à movimentos inescrupulosos. Beto Richa ainda tem tempo de se redimir dos erros cometidos, todos os humanos cometem erros, mas para isso, primeiramente, deve assumi-los, e não mais buscar na negação, o que ninguém mais acredita. O povo pode até perdoar o pecado quando assumido, mas não perdoa o cinismo e a desfaçatez.
Em 2014 alertei Beto Richa que havia maracutaia na montagem da PPP da rodovia 323 capitaneada pela Odebrecht, não ouviu, foi em frente, deu no que deu, entrou para a LISTA DE JANOT.
Deixo aqui o registro que, mais uma vez se trama dentro do palácio maracutaias em órgãos públicos na intenção de criarem dificuldades para venderem facilidades à fornecedores do estado. Modus operandi idêntico aos praticados na receita estadual revelados na operação Publicano. Qualquer semelhança também, pode ser mera coincidência!!! Não acham?
Torno isso público hoje para que o governador Beto Richa não alegue à frente desconhecimento, visto eu ter lhe alertado durante muito tempo que fiscais da receita estavam praticando extorsão em várias empresas de conhecidos e amigos nossos, nada fez, deu no que deu, foi indiciado junto com Luis Abi na PUBLICANO. Firmo aqui o compromisso de tornar público cada movimento que chegar ao meu conhecimento destes desmandos praticados por agentes públicos, pois muitos empresários passando pela crise que assola o país, temem denunciarem e serem massacrados pelo poder do estado. Encontrarão em mim uma voz que não se curva nem teme esse poder. Beto Richa, QUEM NÃO TEM VISÃO BATE A CARA CONTRA O MURO.

TONY GARCIA

25 DE MARÇO DE 2017

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 15/03/17 4:31:26 PM

Foto: Agência de Notícias do Paraná.

 

Rogerio Galindo está de férias. Texto de Euclides Lucas Garcia.

Crítico ferrenho da classe política e, em especial, do PT e de seus apadrinhados no governo federal desde os tempos em que era comentarista na televisão, Paulo Martins (PSDB) aprendeu rápido o modus operandi do poder.

Quarto suplente de deputado federal na eleição de 2014, ele se beneficiou do afastamento de titulares da bancada paranaense na Câmara e assumiu o mandato entre março e outubro do ano passado. Inclusive, chegou a votar na sessão que autorizou a abertura do processo de impeachment contra a então presidente Dilma Rousseff (PT). “Pelo povo que foi às ruas do Brasil de verde e amarelo. Por um Brasil livre do PT, pelo Paraná e pela República de Curitiba, eu voto sim”, disse na ocasião.

Longe da TV e sem mandato desde 19 de outubro, Martins cavou espaço em um cargo comissionado no governo do estado – prática que sempre condenou na gestão federal petista. Na manhã desta quarta-feira (15), ele foi empossado pelo governador Beto Richa (PSDB) como secretário especial de Representação do Paraná em Brasília – o cargo estava vazio.

Segundo o governo, além de auxiliar na aprovação de projetos de interesse do estado no Congresso, o novo secretário vai representar o Paraná em instituições públicas e privadas e em organismos internacionais.

Resta saber como Martins atuará no dia a dia, já que a vice-governadora Cida Borghetti (PP) coordena, desde maio de 2015, um grupo de trabalho do Paraná responsável “pelas relações com o governo federal e outros órgãos em Brasília”.

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 07/03/17 5:55:19 PM

 

Nesta terça-feira (7), a prefeitura de Curitiba lançou uma enquete em sua página oficial perguntando se “os serviços da Prefeitura de Curitiba, nesta nova gestão, melhoraram”. Ao contrário da expectativa da equipe do prefeito, 68,5% dos curitibanos, até as 18h desta terça, responderam que não. O resultado é um banho de água fria no discurso de Greca, que tem tecido seguidos autoelogios à capacidade de sua gestão em manter a cidade limpa e em bom funcionamento.

A enquete em si, além de seu resultado, é também um tiro no pé. Entusiasta das novas tecnologias, Greca vem prometendo o lançamento de uma “Ágora Digital” como forma de retomar o debate e a participação popular. O que foi lançado nesta terça-feira passa longe de qualquer iniciativa inovadora de debate público. A “Ágora” de Greca é uma simples enquete que logo no lançamento já descamba para o proselitismo político.

LEIA MAIS: Após 60 dias, 55% dos curitibanos desaprovam gestão Greca

Em seu Facebook, o prefeito escreveu que, com a “Ágora”, a prefeitura estará mais próxima e de portas abertas para sugestões. A ferramenta não permite isso. A única coisa que ela permite, de fato, é que se diga “sim” ou “não” a perguntas formuladas ao sabor das necessidades e interesses do Executivo.

Há outros problemas conceituais e técnicos com a enquete da prefeitura. Da forma como está publicada, não há como saber quantas pessoas votaram e nem é possível fazer um controle – ao menos pela parte visível da ferramenta – de que o resultado tenha sofrido a interferência de campanhas pró e contra, ou de robôs que podem facilmente enganar o sistema proposto pela prefeitura.

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 02/03/17 5:19:10 PM

A Guarda Municipal prendeu, nesta quinta-feira (2), um homem de 33 anos que costumava se masturbar dentro do ônibus Inter-2. Há dez dias, o blog mostrou o desabafo, no Facebook, de uma estudante de 19 anos que já havia se deparado com a cena duas vezes. Agora, na terceira vez em que ela presenciava a mesma situação, o homem foi detido por guardas municipais, que monitoravam a linha após a denúncia da jovem.

Leia a matéria completa do caso no site da Tribuna, clicando aqui.

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 01/03/17 5:44:09 PM

Tabela original informava o tempo atual de espera por uma consulta.

 

Com colaboração de Rosana Felix:

Ao que parece, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), cansou-se de responder aos comentários de usuários do Facebook que reclamavam do longo tempo de espera para um exame especializado.

Por volta do meio-dia, ele postou na sua página uma tabela com informações sobre o mutirão de especialidades médicas que terá início a partir do dia 9.

Em uma das colunas, a tabela informava o tempo atual de espera por uma consulta: de 4 meses a 25 meses. Logo apareceram críticas contra a longa fila, e para cada comentário o prefeito tentava explicar que era fruto da “era Fruet”, mas que agora a fila andará.

Depois de muita reclamação, o prefeito apagou a postagem e mais tarde substituiu a tabela por outra, sem a informação que tentou usar para criticar o antecessor. A página da prefeitura de Curitiba também substituiu a tabela que dava margem para reclamações contra a atual gestão.

Tabela editada omite informação que Greca usava para atacar Fruet.

 

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 24/02/17 6:00:05 PM
Chico do Uberaba. Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo.

Chico do Uberaba. Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo.

Com colaboração de João Frey:

O filho do ex-vereador Chico do Uberaba (PMN), Francisco Stryk Costa, assim como o pai, também foi nomeado para ocupar um cargo na atual administração da prefeitura de Curitiba.

Francisco, o filho, é assessor da diretoria executiva da Companhia de Desenvolvimento de Curitiba, a Curitiba S.A. Nomeado em um cargo CC-3, de acordo com informações da Companhia, o salário de Francisco é de R$ 5,4 mil.

Leia mais: Greca dá cargo comissionado a mais um vereador derrotado

Questionado sobre a nomeação, Chico do Uberaba afirmou que preferia não comentar o assunto, mas garantiu que isso é mérito do filho, que conhece Rafael Greca desde criança.

A Curitiba S.A. é uma sociedade de economia mista que integra a Administração Indireta do município e desenvolve o Programa de Regularização Fundiária da Capital do Paraná.

Chico do Uberaba, um dos mais ativos opositores de Gustavo Fruet, é presidente do PMN, o partido que acolheu Greca para a campanha. Ficou célebre na cidade por uma declaração na Câmara de que estava “pagando para trabalhar”.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 24/02/17 3:57:05 PM

Rafael Greca e Gustavo Fruet estão lavando roupa suja em público nesta sexta-feira de carnaval. Fruet tirou sarro da gestão do sucessor no Facebook e Greca, rapidinho, respondeu na mesma moeda.

O motivo da discussão foi um vídeo que apareceu nas redes sociais em que passageiros são obrigados a descer de um ônibus para empurrá-lo. O vídeo foi parar na Tribuna do Paraná.

Fruet não perdeu a chance de criticar o desafeto. “Em Curitiba, a tarifa de ônibus mais cara do país dá direito aos passageiros fazerem “exercício”, disse no Facebook, com direito a link para a matéria da Tribuna.

O post teve quase mil compartilhamentos e mais de três mil curtidas. E, claro, causou a fúria do novo prefeito. Rafael Greca respondeu no mesmo tom, igualmente via Facebook.

Com a hashtag “macaco não olha para o rabo”, o prefeito diz que a culpa de a frota estar nas condições atuais é de Freuet. Que ele, Greca, está fazendo o possível para a renovação dos ônibus, mas que isso demora.

“Quem sucateou a frota, agora reclama. Eu vou refazer a frota! Já estamos recompondo o equilíbrio financeiro do sistema para logo comprar ônibus novos”, disse.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 24/02/17 2:52:41 PM

Desde o início do governo de Donald Trump os Estados Unidos vêm debatendo duas questões loucamente: violência urbana e violência cometida por terroristas. Nicholas Kristof, colunista do New York Times, fez um paralelo entre os riscos de alguém ser vítima de um desses dois tipos de crime.

A conclusão é de que armas nas mãos de americanos são muito mais letais (inclusive contra muçulmanos) do que muçulmanos vindos de fora do país. Claro que um governo que é contra a imprensa e que gosta de “fatos alternativos” não irá levar isso em conta na hora de determinar suas políticas.

Mas os dados podem ser úteis para discutir a questão da liberação de armas para mais pessoas também no Brasil – de uns tempo para cá tem crescido cada vez mais a pressão para que se revogue o Estatuto do Desarmamento, o que facilitaria a muito mais gente ter armas em casa.

E Kristof toca num ponto essencial que muitas vezes passa despercebido quando se fala em armamento ou desarmamento: a violência doméstica. Quando se fala em dar ao cidadão “de bem” o direito de se defender, muitas vezes se esquece que boa parte dos crimes acontecem dentro de casa, envolvendo homens e mulheres.

Envolvem principalmente o feminicídio. Em 2015, segundo o Mapa da Violência, 48,% das mortes de mulheres no Brasil foram causadas pro armas de fogo. Deixar mais armas nas mãos de maridos violentos só tende a ampliar esse número.

O artigo de Kristof, vencedor de dois prêmios Pulitzer, é genial. Segue um trecho abaixo. Por questão de direitos autorais, não se reproduz aqui a íntegra.

“Pense em duas questões importantes: refugiados e armas. Trump está enlouquecido com o primeiro tema mas quer flexibilizar as regras do segundo. Então vamos analisar os riscos relativos.

Nas quatro décadas entre 1975 e 2015, terroristas nascidos nos sete países envolvidos na proibição de viagens de Trump mataram zero pessoas nos Estados Unidos, de acordo com o Cato Institute. Zero.

No mesmo período, as armas tiraram 1,34 milhão de vidas nos Estados Unidos, incluídos assassinatos, suicídios e acidentes. Isso é mais ou menos o número de pessoas que moram em Boston e Seattle juntas.

Também é mais ou menos o mesmo número de pessoas que morreram em todas as guerras na história americana desde a Revolução Americana, dependendo das estimativas usadas para as mortes da Guerra Civil.

É verdade que muçulmanos americanos – tanto nascidos nos Estados Unidos quanto imigrantes de países que não estão sujeitos às restrições de Trump – foram responsáveis por terrorismo mortal nos Estados Unidos. Houve 123 assassinatos desde os ataques de 11 de setembro – e 230 mil outros homicídios.

No ano passado a probabilidade de um americano ser morto por um muçulmano foi menor do que a de morrer por ser muçulmano, de acordo com Charles Kuzman, da Universidade da Carolina do Norte.No primeiro caso o risco é de aproximadamente um em seis milhões. no segundo, de um em um milhão.

Em resumo é que na maioria dos anos nos Estados Unidos, escadas portáteis matam bem mais americanos do que terroristas muçulmanos. O mesmo vale para banheiras. E para escadas fixas. E relâmpagos.

Acima de tudo, devemos temer esposos: maridos são incomparavelmente mais mortais nos Estados Unidos do que terroristas jihadistas.

E maridos são tão mortais em parte porque nos Estados Unidos eles têm acesso fácil a armas de fogo, mesmo quando têm histórico de violência. Em outros países, maridos violentos pões suas esposas em hospitais; nos Estados Unidos, as põem no túmulo.”

Para quem quiser ler o texto todo, em inglês, basta clicar aqui.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 24/02/17 12:04:41 PM

A prefeitura de Curitiba defende o uso de um símbolo com uma caveira atravessada por uma faca em algumas viaturas da Guarda Municipal. A informação é do site Livre.Jor, projeto especializado em revelação de informações públicas.

Segundo a prefeitura, em resposta aos jornalistas, a “faca na caveira” marca as viaturas do grupo de Operações Especiais. Nas demais viaturas, há a inscrição “Salvaguardando a Vida, Nosso Maior Patrimônio”.

Para ler mais sobre a história e conhecer o belíssimo projeto do Livre.Jor, clique aqui.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Páginas12345... 637»
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais