Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Economia

Fechar
PUBLICIDADE

paralisação

Acaba a greve da Caixa Econômica Federal

Definição foi votada em assembleia, na tarde desta quarta-feira (21), e teve a aprovação da maioria dos 400 colaboradores que participaram do pleito, de acordo com o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região

  • Atualizado em às
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Esta é uma reportagem de 2009. Informações atualizadas sobre a greve dos bancários estão disponíveis neste tópico sobre o assunto.

Os bancários da Caixa Econômica Federal de Curitiba decidiram encerrar a greve, após 28 dias de paralisação. A definição foi votada em assembleia, na tarde desta quarta-feira (21), e teve a aprovação da maioria dos 400 colaboradores que participaram do pleito, de acordo com o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região. Os bancários votaram a proposta apresentada pelo banco na noite da terça-feira (20).

A greve de 2009 teve a mesma duração daquela de 2004 - 28 dias. Essas foram as paralisações mais longas da década.

O banco ofereceu abono salarial de R$ 700, que será pago em janeiro de 2010; além da contratação de cinco mil funcionários até o final do próximo ano – anteriormente o banco tinha proposto a admissão de três mil colaboradores. Também ficou acertado que os dias de greve não serão descontados e a compensação será feita até 18 de dezembro.

Outras questões que já haviam sido negociadas, como o reajuste salarial de 6% e a forma de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), não foram alteradas.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) já havia orientado os sindicatos a aceitar a proposta e encerrar o movimento.

Os sindicatos dos bancários de São Paulo, Florianópolis, Blumenau (SC), Campo Grande (MS), e Três Rios (RJ) também decidiram finalizar a greve. Já Porto Alegre votou pela continuidade do movimento.

Como houve uma nova proposta, as negociações entre as partes foram retomadas e a audiência de conciliação no Tribunal Superior do Trabalho (TST) - que aconteceria nessa quarta-feira - foi cancelada.

A Caixa Econômica Federal afirmou que não se pronunciará sobre a greve até ser informada do resultado das assembleias de todo país.

Retorno das atividades bancárias

Com o fim da greve, as agências da Caixa Econômica de Curitiba e região metropolitana abrirão normalmente nesta quinta-feira (22). No entanto, a orientação do sindicato é para que apenas as pessoas que precisem de atendimento de urgência procurem às agências nos primeiros dias depois da greve – como nos casos de liberação de fundo de garantia, financiamentos, entre outros. Isso porque deverá haver grande fluxo de pessoas, e os funcionários não darão conta de atender todos os clientes.

Já a Caixa Econômica Federal disse que estuda medidas para melhorar o atendimento nesses primeiros dias, mas ainda não poderia divulgá-las.

De acordo com o sindicato, ficou acertado com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) que a compensação não poderá passar de duas horas por dia. No entanto, isso não significa que o atendimento ao público será estendido. Pois, as horas poderão ser cumpridas em funções internas.

Documentos

As pessoas que retiraram documentos para financiamentos e outras operações e os mesmos venceram durante a greve, deverão procurar as agências da Caixa Econômica em que tentam ou contrataram as operações.

De acordo com o banco, cada caso será avaliado individualmente e então será dada uma definição se será preciso retirar segunda via ou não.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais