Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Cambé

Depois de estuprar e matar, assassino teria voltado para ameaçar família de criança desaparecida

Na casa onde ele morava, que foi incendiada na noite de quarta, foram encontrados materiais de reciclagem semelhantes ao que foi usado para enrolar o corpo da menina

  • Amanda de Santa, com informações de Flávio Augusto, do Jornal de Londrina
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O homem de 48 anos suspeito de assassinar Joseane Pereira de Moraes, de 9 anos, era conhecido no bairro em que morava, o Jardim Ana Elisa III, em Cambé, pelo comportamento agressivo. Ele é casado e pai de três filhos. A filha mais nova seria amiga da vítima. A família dele morava a cerca de três quarteirões da casa de Joseane. Em entrevista coletiva à imprensa na manhã desta quinta-feira (12), o delegado de Cambé, Jorge Barbosa, afirmou que o suspeito chegou a ameaçar a família da vítima após o crime.

De acordo com o delegado, em depoimento, o suspeito confessou o assassinato de Joseane. Disse que havia bebido em casa e encontrou a menina no caminho para uma festa na igreja localizada no bairro onde moravam. O suspeito teria chamado a menina e a levado até um terreno baldio, onde a estuprou e matou com golpes da cabeça. Ele contou que deixou o local, voltou para casa e pegou alguns materiais de reciclagem para enrolar o corpo, que foi jogado em um fundo de vale. O suspeito negou ter decapitado o corpo da criança.

A delegada do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), Daniele Oliveira Serighelli, informou que as equipes sentiram dificuldades durante as investigações porque a vizinhança tinha medo do suspeito e não dava informações. Quando o homem foi ameaçar a família de Joseane, reclamando da presença da polícia na casa da dele, as suspeitas sobre ele aumentaram. Na casa onde ele morava, que foi incendiada na noite de quarta-feira (11), foram encontrados materiais de reciclagem semelhantes ao que foi usado para enrolar o corpo da menina.

Segundo Jorge Barbosa, o suspeito do crime teve a prisão preventiva decretada e passou a noite em uma cela isolada na Delegacia de Polícia Civil de Cambé, sem o conhecimento dos outros presos. Ele vai responder pelos crimes de homicídio qualificado, estupro de vulnerável e ocultação de cadáver. Se condenado, pode pegar até 60 anos de prisão.

O resultado dos laudos realizados no corpo de uma criança encontrado em um fundo de vale no Jardim Ana Elisa III, na semana passada, devem ficar prontos no final desta tarde. O delegado de Cambé Jorge Barbosa, afirmou não ter dúvidas de que o corpo seja da menina Joseane.

Casa de suspeito é incendiada

A casa do suspeito pelo desaparecimento e morte de Joseane Pereira de Moraes, 9 anos, foi incendiada, na noite de quarta-feira (11), no Jardim Ana Elisa III, em Cambé. Segundo informações da Polícia Militar (PM), uma pessoa foi presa suspeita de atear fogo na residência de apenas dois cômodos. A mulher e os três filhos do suspeito do crime, que não estavam na casa na hora do incêndio, foram levadas para um abrigo.

De acordo com os bombeiros de Cambé, os cômodos ficaram completamente destruídos. Apenas um cachorro estava no local no momento. Ele foi libertado pelos socorristas.

O caso

Joseane desapareceu no dia 3 de dezembro no Jardim Ana Eliza III, após sair de casa para ir a uma festa religiosa no bairro. Na semana passada, a polícia encontrou uma ossada de criança, decapitada, nos fundos de vale do bairro onde Joseane morava. O corpo está no IML para identificação.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE