Vida Pública

Fechar
PUBLICIDADE

Carlinhos Cachoeira

Advogado faz novo pedido de liberdade para empresário

Cachoeira obteve um habeas corpus na sexta-feira, mas continuou preso por conta de outra ordem de prisão emitida na Operação Saint Michel

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O advogado de Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, entrou na manhã deste sábado (16) com um novo pedido de liberdade no Tribunal de Justiça do Distrito Federal. O habeas corpus pede que o empresário seja solto da penitenciária da Papuda, em Brasília. Cachoeira foi preso durante a Operação Monte Carlo sob suspeita de contravenção e corrupção.

Na sexta-feira (15), o empresário obteve um habeas corpus do desembargador do TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região, Tourinho Neto, mas continuou preso por conta de outra ordem de prisão emitida pela Justiça de primeira instância do Distrito Federal na Operação Saint Michel. O pedido de liberdade apresentado hoje é contra essa segunda ordem de prisão.

O novo pedido será direcionado ao desembargador que hoje atende pelo plantão do tribunal, Sérgio Bittencourt. Como se trata de réu preso, o caso tem preferência no plantão e a decisão pode ser dada a qualquer momento.

"A Saint Michel é derivada da Monte Carlo e os eventuais crimes analisados nela são muito menos graves [formação de quadrilha e tráfico de influência]. Assim, não tem sentido o réupermanecer preso após a decisão do Tribunal Regional Federal", disse o advogado Augusto Botelho, do escritório do ex-ministro da Justiça (2003-2007) Márcio Thomaz Bastos.

No habeas corpus, os advogados de Cachoeira pedem que em caso de liberdade sejam adotadas as mesmas medidas restritivas previstas na decisão de Tourinho Neto. Em seu despacho, o desembargador observou que Cachoeira não deve manter contato com uma série de pessoas acusadas no mesmo processo, deve se apresentar mensalmente à Justiça e não deve se ausentar de Goiânia (GO).

Dos suspeitos presos pela Operação Monte Carlo no último dia 29 de fevereiro, Cachoeira é o único que permanece na cadeia. Os outros foram soltos por decisão da Justiça.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais