i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Modais de transporte

Trecho ferroviário entre Cascavel (PR) e Maracaju (MS) entra na pauta da União

  • PorCaio Castro Lima, especial para Expedição Logística
  • 17/12/2020 11:12
Paraná quer ser Hub Logístico da América Latina e projeto da Ferroeste é imprescindível no processo
Paraná quer ser Hub Logístico da América Latina e projeto da Ferroeste é imprescindível no processo| Foto: Divulgação / AEN

O Paraná, com os portos de Paranaguá e Antonina e com a grande produção agropecuária, já é uma das principais referências logísticas do país. O estado, no entanto, quer ser conhecido como Hub (centro de conexões) Logístico da América Latina. Mas para isso, precisa fortalecer ainda mais novos modais de transporte, como as ferrovias que cortam seu território e o ligam a outros entes federativos. Por isso, nessa quarta-feira (16) os governadores paranaense, Ratinho Júnior, e sul-mato-grossense, Reinaldo Azambuja, reuniram-se com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e com representantes do Ministério da Infraestrutura para tratar dos estudos da Nova Ferroeste, também conhecida como Corredor Oeste de Exportação, e do novo ramal ferroviário que ligará Maracaju (MS) ao Porto de Paranaguá.

“A importância desse encontro entre Paraná e Mato Grosso do Sul, juntamente com os ministérios, está no alinhamento e na demonstração da vontade política com relação ao projeto ferroviário para os dois estados e para o Brasil”, afirmou o governador do Paraná.

A nova rota ferroviária é imprescindível para a melhoria do agronegócio e da infraestrutura brasileira. Um dos pedidos feitos pelos governadores ao governo federal foi para agilizar processos e licenciamentos ambientais.

“O apoio dos ministérios é fundamental para nos ajudar a agilizar as questões burocráticas ambientais. Os estudos são realizados sempre buscando o melhor traçado, com menor impacto possível”, afirmou Ratinho Júnior.

“Entendo que precisamos agilizar os processos que tramitam nos governos dos estados, como também pelo governo federal”, disse Reinaldo Azambuja.

A nova malha ferroviária, que terá até 1.371 quilômetros de extensão, inclui a construção de uma nova ferrovia entre Maracaju (MS) e Cascavel, um novo traçado entre Guarapuava e Paranaguá, e um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu, além da revitalização do atual trecho da Ferroeste, entre Cascavel e Guarapuava. O projeto está em fase de elaboração e ainda não há um valor definido para a obra.

“Temos um percurso a cumprir, precisamos abreviar o tempo para trazer os investidores para o empreendimento da nova ferrovia, que é muito importante para o país. É mais uma ligação ferroviária ao Porto de Paranaguá, que é um porto extremamente competitivo. Esse projeto dará competitividade às exportações. O Brasil precisa ter uma logística favorável ao setor produtivo”, afirmou o governador do Mato Grosso do Sul.

A ministra Tereza Cristina, que é sul-mato-grossense, se prontificou a ajudar intensamente, uma vez que está preocupada com as exportações de grãos dos dois estados.

“Tenho uma preocupação com as exportações de grãos, como o milho, por exemplo. Podemos e temos que produzir mais, existe demanda internacional para isso. Nesse sentido, o projeto se torna uma avenida de oportunidades. O Brasil ficou muito tempo atrasado com ferrovias”, disse a ministra.

Cooperação técnica

Em agosto, o Paraná firmou um acordo de cooperação técnica com o Mato Grosso do Sul para acelerar projeto. A empresa TPF Engenharia foi contratada para execução dos Estudos de Viabilidade Técnico-operacional, Econômico-Financeira, Ambiental e Jurídica (EVTEA). O documento deve ficar pronto em 2021.

Há uma proposta de abertura da concessão do projeto para a iniciativa privada. Em junho, a Ferroeste foi qualificada para integrar o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal, atendendo a um pedido feito pelo governo estadual. Com a inclusão no PPI, a União vai ajudar o Paraná com apoio técnico regulatório necessário em diversas áreas, da modelagem e meio ambiente à atração de investidores.

A expectativa é colocar a Ferroeste em leilão na B3 - Bolsa de Valores do Brasil até novembro de 2021, já com o EVTEA e o EIA/RIMA concluídos. O modelo de concessão está sendo discutido pelo grupo de trabalho que elabora o Plano Estadual Ferroviário do Paraná.

O coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Fagundes, apresentou, durante a reunião, o andamento do novo traçado e as expectativas para 2021. “Esse será o segundo maior corredor de exportação do Brasil e queremos deixar esse projeto com a licença prévia pronta antes do leilão. Iremos ao Mato Grosso do Sul em janeiro para estudar as opções de traçado e estamos dentro do cronograma.”

Problema histórico

O Corredor Oeste de Exportação resolverá um problema histórico de infraestrutura do Paraná, com impacto para o Brasil e para o Mercosul. O novo traçado vai ligar o Paraná à malha ferroviária nacional, beneficiando as principais potências do agronegócio nacional, além do Paraguai, que é hoje um dos principais produtores mundiais de grãos.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • G

    Geraldo Aureliano Simões

    ± 0 minutos

    Sr. Governador, se conseguir realizar este feito ,que é esta ferrovia entre o Mato Grosso do Sul e o Paraná ,mais a ponte de Guaratuba ( para acabar com a dependência daquele nefasto Ferro bote ,aquela M.... ), eu vou fazer campanha de porta em porta por sua reeleição em 2022. Força Governador não entregue a rapadura para os inimigos do estado do Parana, começando pelo Betinho Richa,Maior vergonha deste estado.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso