Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Divulgação
| Foto: Divulgação

Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) publicou um novo formato da Permissão Internacional para Dirigir (PID), documento que é uma ‘tradução’ da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e permite conduzir veículos em mais de 130 países.

A  PID é obrigatória somente se o motorista brasileiro for utilizá-la por mais de 180 dias em nações que compõem a Convenção de Viena sobre Trânsito Viário, celebrada em 1968, ou que comungam o princípio da reciprocidade com o Brasil.

Em viagens com períodos curtos de permanência, a exigência é apenas da CNH. Mesmo assim, o Denatran recomenda a emissão do PID quando for dirigir no exterior para “evitar um possível transtorno”.

Segundo o órgão federal, o documento internacional facilita checar os dados do condutor , seja durante uma fiscalização policial ou até para alugar um carro.

“A PID pode ser eleborada em oito idiomas diferentes (alemão, árabe, chinês, espanhol, francês, inglês, português e russo. Com ela, o motorista já chega em território estrangeiro apto a dirigir”, explicou Elmer Vicenzi, diretor do Denatran, ao site Infomoney. 

De acordo com ele, a padronização e aos ajustes no documento ajudam na comunicação entre a autoridade estrangeira e o condutor brasileiro.

Nos países que não atendem as condições citadas acima, não é permitido dirigir  seja com a PID ou a CNH. neste caso, será preciso realizar o processo de habilitação local - é o caso do Japão (apesar de o país integrar a Convenção de Viena). Para evitar dor de cabeça, é aconselhável buscar informações sobre as exigências no consulado de cada país antes de viajar.

Países onde a PID é aceita:
A
África do Sul, Albânia, Alemanha, Angola, Argélia, Argentina, Austrália, Áustria e Azerbaidjão.
B
Bahamas, Barein, Belarus (Bielo-Rússia), Bélgica, Bolívia, Bósnia-Herzegóvina e Bulgária.
C
Cabo Verde, Canadá, Cazaquistão, Chile, Cingapura, Colômbia, Coréia do Sul, Costa do Marfim, Costa Rica, Croácia e Cuba.
D
Dinamarca.
E
El Salvador, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Estados Unidos e Estônia
F
Filipinas, Finlândia e França.
G
Gabão, Gana, Geórgia, Grécia, Guatemala, Guiana e Guiné-Bissau.
H
Haiti, Holanda, Honduras e Hungria
I
Indonésia, Irã, Israel e Itália
K
Kuweit
L
Letônia, Líbia, Lituânia e Luxemburgo
M
Macedônia, Marrocos, México, Moldávia, Mônaco e Mongólia.
N
Namíbia, Nicarágua, Níger, Noruega e Nova Zelândia
P
Panamá, Paquistão, Paraguai, Peru, Polônia e Portugal
R
Reino Unido (Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales), República Centro - Africana, República Democrática do Congo, República Checa, República Dominicana e Romênia
S
San Marino, São Tomé e Príncipe, Seichelles, Senegal, Sérvia e Montenegro, Suécia e Suíça
T
Tadjiquistão, Tunísia e Turcomenistão
U
Ucrânia, Uruguai e Uzbequistão
V
Venezuela
Z
Zimbábue

As mudanças na PID

Conforme divulgação do Denatran, as alterações na PID contemplam a padronização no layout, seguindo o formato usado nos outros países. 

A capa ganhou um brasão em destaque e a identificação do documento em três idiomas (português, inglês e espanhol).

Já as páginas podem são traduzidas em sete línguas: português, espanhol, inglês, russo, alemão, árabe e chinês. No caso do francês, o texto somente no final e numa página dupla.

Validade

Outra mudança é o prazo de validade da PID. Antes ele seguia a da CNH, mesmo que o motorista requeresse a carteira internacional após renovar a versão brasileira, isto é, de cinco anos (ou três anos para o condutor acima de 65 anos). 

Agora é válido por três anos no máximo ou até a expiração da CNH, o que ocorrer primeiro. 

Quem pode tirar e quanto custa? 

Qualquer pessoa habilitada nas diferentes categorias (com exceção da Autorização para Conduzir Ciclomotores - ACC) e que não esteja com a carteira suspensa. Situações emergenciais devidamente comprovadas permitem a renovação fora do prazo máximo previsto por lei, que é de 30 dias antes do vencimento.

Para retirar, basta o solicitante comparecer ao Detran (ou na Ciretran da cidade ou região), apresentar a CNH original, com foto, dentro da validade e pagar a taxa de emissão, cujo valor é definido pelo Detran de cada estado.

Em São Paulo, por exemplo, a carteira internacional custa R$ 275,77, fora a taxa de entrega pelos Correios de R$ 11. Já no Paraná, a cobrança é de R$ 39,68.

Estados Taxa
Bahia R$ 612,00
Distrito Federal R$ 290,00
Minas Gerais R$ 159,32
Paraná R$ 39,68
Pernambuco R$ 213,98
Rio de Janeiro R$ 135,32
Rio Grande do Sul R$ 57,60
Santa Catarina R$ 79,25
São Paulo R$ 275,77

A PID vale como documento?

Não. A permissão internacional deve ser apresentada sempre acompanhada do passaporte original. No Brasil, ela não tem validade como habilitação, tampouco equivale a documento de identidade. 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]