Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
| Reprodução/Site designboom.com
| Foto:

Lembra do Fiat 147? Os mais antigos certamente recordam. Ele foi produzido no Brasil entre 1976 e 1986, baseado no 127 italiano. Foi o responsável por iniciar a vida da marca italiana no país, inclusive tornando-se em 1979 o primeiro modelo com motor a álcool produzido em série não apenas no país, mas no mundo, o que lhe rendeu o apelido de ‘Cachacinha’. Deixou as ruas para entrar na história, sendo substituído pelo Uno.

>> Fiat 147: a história do quarentão Cachacinha, o 1º carro a álcool do mundo

Mas, e se o 147 não tivesse sido descontinuado, como seria o visual da atual geração? A resposta pode estar na releitura feita pelo projetista italiano David Obendorfer, do site designboom.com.

Seguindo as linhas do projeto original, feito por Pio Manzù no século passado, o novo 147 (ou 127, como o compacto era conhecido na Europa), exibe contornos modernos, porém com ar retrô tal qual vemos no Fiat 500. Aliás, o conceito também ganhou uma versão Abarth (divisão esportiva da Fiat) como o Cinquecento.

O 127 Concept tem proporções maiores que as do hatch que o inspirou, colocando-o no segmento de compactos premium. O modelo exibe um apelo voltado à esportividade, valorizando as curvas justamente nos pontos que eram retos no original.

>> Fiat terá motor turbo só a etanol com consumo igual ou melhor que motor a gasolina

>> Os 10 carros flex campeões em baixo consumo no Brasil

>> Vantajoso? Diferença de 70% nos preços entre gasolina ou etanol já não vale mais

Ao entrar na cabine, percebe-se que o projetista buscou manter a simplicidade do painel vista no 147 do passado, como, por exemplo, as saídas de ar redondas sobre o painel. Mas, recursos atuais não poderiam ficar de fora, como porta-objetos e central multimídia.

SIGA O AUTO DA GAZETA NO INSTAGRAM

Ver essa foto no Instagram

SERIE 3 CONVERSA COM MOTORISTA A nova geração do Serie 3 que estreia no Brasil é repleta de tecnologia, com recurso herdados do irmão maior Serie 7. Destaque para o assistente pessoal inteligente, que permite ao motorista conversar com o carro e pedir alguns comandos como sintonizar rádio, resfriar os esquentar a temperatura do ar-condicionado, informar o clima em diferentes localidades ou acionar o GPS para levar ao destino pretendido. O sedã premium também oferece um sistema que registra os últimos 50 metros percorridos pelo carro para voltar de marcha ré automaticamente, sem a intervenção do condutor. É ideal para manobras em garagem e ruas apertadas. A sétima geração estará disponível no fim de março em duas versões: a 330i Sport, por R$ 219.950, e a 330i M Sport, a R$ 269.950. O modelo substitui o 328i. Além do visual mais agressivo, cheia de vincos. As rodas são de aro 18 (Sport) e 19 (M Sport). O motor é o 2.0 turbo, de quatro cilindros, que rende 258 cv (13 cv a mais que antecessor) e 40,8 kgfm de torque. O zero a 100 km/h ocorre em 5,8 s e a velocidade máxima alcança 250m km/h. As primeiras 1 mil unidades vêm da Alemanha e a partir de julho ele começa a ser produzido em Araquari (SC). #bmwserie3 #bmw330i #bmwbrasil #novageração #seda #esportiva #carros #automoveis #cargram #instacar #gazetadopovo #velocitta #turbo 🎥#renytrovao

Uma publicação compartilhada por Automóveis Gazeta do Povo (@autogazetadopovo) em

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]