Desempenho

Carro com vocação familiar

Ao entrar no Freemont, na versão top Precision, percebe-se a generosa oferta de espaço. Não há aperto nos assentos, com exceção da terceira fileira de bancos, tradicionalmente menor.

A posição de dirigir é confortável e se adapta ao gosto do motorista: pode ser tanto mais elevada, como num legítimo SUV, quanto mais baixa, como num carro de passeio tradicional. Tudo graças aos comandos elétricos de ajustes do assento. O acabamento da cabine é de qualidade. E através da tela no painel com o sistema multimídia, dá para controlar as funções dos sistema de som e do ar-condicionado e observar as imagens da câmera de ré.

Em movimento, o Freemont mostrou que é obediente em curvas, sem oscilações bruscas ou rolagem excessiva da carroceria. Já o motor 2.4, a gasolina, que rende 172 cavalos de potência a 6.000 rpm e 22,4 kgfm de torque a 4.500 rpm, acoplado a um câmbio automático de apenas quatro marchas, sofre um pouco para embalar o carro que pesa mais de 1.800 quilos.

Mas como sua vocação é familiar e não esportiva, o conjunto não deixa de cumprir a sua função.

A Fiat começa a vender na próxima semana o novo utilitário es­­portivo Freemont. O modelo – primeiro veículo da parceria entre a marca italiana e a Chrys­­ler – será oferecido em duas versões: Emotion (para cinco ocupantes), que parte de R$ 81,9 mil, e Precision (para sete ocupantes), que custa R$ 86 mil. A expectativa da Fiat é vender entre 1.000 e 1.500 unidades do Freemont por mês, sendo 80% da versão Preci­sion e 20% da Emo­tion. "Estamos otimistas por entrar em um segmento responsável por 8% das vendas de automóveis no Brasil", afirmou o diretor comercial da Fiat, Lélio Ramos.

Confira algumas fotos do novo Fiat Freemonth

Fabricado na planta de Tolu­ca, no México, e derivado do Dodge Journey – que permanecerá no mercado brasileiro oferecido apenas com motor V6 –, o Freeemont traz motor 2.4 a gasolina de 172 cavalos de potência a 6.000 rpm e torque de 22,4 Kgfm a 4.500 rpm. Trata-se do mesmo propulsor utilizado pelo Chrys­ler PT Cruiser, mas com pequenas evolução, especialmente materiais (há maior número de peças em alumínio). A transmissão, em ambas as configurações, é automática de quatro velocidades, com opção de trocas ma­­nuais pela alavanca, também de­­rivado da marca de origem norte-americana.

Com 4,89 metros de comprimento, 1.88 m de largura e 2,89 m de entre-eixos, o veículo tem forte vocação familiar. Em termos de visual, a frente se destaca pela grade frontal com o logo tipo da Fiat, enquanto na traseira as lanternas horizontais são iluminadas por LEDs. Por dentro, o novo painel de instrumentos – mais moderno e de melhor visualização – agrada em todos os sentidos. Há uma tela sensível ao toque de 4,3 polegadas, do sistema multimídia Uconnect. O sistema de navegação, no entanto, ainda não está incluído.

O diretor de produção da Fiat, Carlos Eugênio, explicou que o projeto inicial incluia uma tela de 8,4 polegadas, mas devido aos problemas provocados pelo tsunami no Japão, o fornecedor não teve co­­mo atender o pedido e a solução foi adotar a uma tela menor. A tela maior só deverá estar disponível no próximo ano, diz Carlos Eugênio.

O modelo vem com abertura das portas traseiras entre 90 graus, bancos com child booster, que permite que as crianças que passaram da fase da cadeirinha levantem mais o assento e possam utilizar o cinto de segurança do carro, além de saída de ar e re­­gulagem de temperatura para os bancos de trás. Estes dois últimos itens estão disponíveis na Precision, justamente para atrair mais as famílias.

Há mais de 20 porta-objetos espalhados pelo seu interior. Com os bancos rebatidos, o porta-malas chega a 2.301 litros. Com cinco lu­­gares, são 580 litros.

Como equipamento de série, a versão de entrada Emotion traz ar-condicionado de duas zonas, airbag frontal duplo, freios com ABS (antitravamento), ESP (controle eletrônico de estabilidade), direção hidráulica, controlador de velocidade, rádio CD player com MP3, entrada USB e entrada auxiliar, faróis de neblina, volante multifuncional e rodas de liga leve de 16 polegadas.

A Precision oferece a mais os air bags laterais e de teto, ar-condicionado de três zonas, terceira fileira de bancos, rodas de liga leve de 17 polegadas, sensores crepuscular e de estacionamento, e ajuste elétrico do banco do motorista. Teto so­­lar e bancos revestidos em couro são opcionais para a configuração top de linha.

O jornalista viajou a convite da Fiat

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]