Receitas & Pratos

Novidade

Argentino abre cafeteria no Alto da XV com medialunas ao estilo de Buenos Aires

No Media Luna Café, o típico pão do café da manhã argentino é servido também com doce de leite artesanal e ganache de chocolate

por Guilherme Grandi Publicado em 08/10/2019 às 09h
Compartilhe

As medialunas são o equivalente ao pão de queijo brasileiro. Em Buenos Aires não há café da manhã sem essa espécie de croissant um pouco mais fofinha do que o primo francês. O tipo mais comum de medialuna na Argentina é doce e sem recheio, embora a versão salgada também exista.

Morador de Curitiba, o arquiteto argentino Abel Blumenkrantz sentia falta de um café da manhã típico do seu país. Com a ideia na cabeça, Abel decidiu abrir o Media Luna Café, uma cafeteria no Alto da XV onde o pão adocicado no formato de meia lua é o principal preparo junto do ‘cortado’, o café expresso com leite tradicional dos portenhos.

Media Luna Cafe

As medialinas são servidas em dois tamanhos com seis opções de acompanhamentos doces e salgados. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo.

São servidas duas versões de medialunas nos tamanhos pequeno de 30g (R$ 2,60) e médio de 60g (R$ 3,50), por unidade ou em dúzias a partir de R$ 26. Os pães doces podem ser acompanhados ainda por doce de leite, ganache de chocolate, geleia de frutas vermelhas, manteiga e cream cheese (R$ 3,50 cada).

As medialunas são produzidas pelo próprio Abel diariamente, com uma receita que aprendeu com a mãe. O preparo teve alguma adaptação, mas segue a mesma base de farinha de trigo, manteiga, ovo e baunilha. O sabor adocicado se dá pela adição de açúcar na massa e na calda sobre o pão.

“Foram oito meses para acertar a receita com o que temos aqui no Brasil, pois ficaria muito caro importar os ingredientes de lá. Mas, o sabor e a textura não deixam nada a desejar para as medialunas de Buenos Aires, são idênticas”, conta o chef autodidata que faz até mesmo o próprio ‘dulce de leche’ usado na cafeteria – cozido de oito a dez horas.

Media Luna Café

‘Cuadraditos’ Dorita e Pecado, receitas caseiras da família de Abel. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo.

Há também cinco opções de sanduíches salgados servidos na medialuna custando cerca de R$ 12,50 cada. O tradicional Cresciente leva recheio de cream cheese, muçarela e presunto, e o Nueva, com os queijos acompanhados de salame italiano, alface e tomate.

Ainda são servidos dois preparos de ‘cuadraditos’, uma espécie de torta de base amanteigada com coberturas variadas a R$ 8,45 cada. A Pecado, com doce de leite e chocolate meio amargo, e a Dorita, também com doce de leite e coco ralado, que lembra uma cocada um pouco menos doce.

Desayuno y cafés

Sanduíche Cresciente

O sanduíche salgado Cresciente tem recheio de cream cheese, muçarela e presunto. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo.

Assim como em Buenos Aires, onde as pessoas têm o hábito de tomar o café da manhã fora de casa, o Media Luna Café quer fortalecer esse costume por aqui oferecendo seis combos com medialunas, as tostadas de pão figasita (amanteigado clássico da padaria argentina prensado na chapa) e café. A versão tradicional, chamada de El Clasico (R$ 6,20), vem com um café cortado pequeno e três medialunas pequenas.

Para duas pessoas tem a Argentinisima (R$ 19,70), vem com uma tostada para compartilhar com de doce de leite ou goiabada e uma porção de manteiga, acompanhada de café cortado, expresso duplo ou chá. Ou com seis medialunas pequenas no lugar da tostada a R$ 21,50. Os combos são servidos diariamente das 8h30 às 10h30 e das 15h às 17h.

Como uma boa cafeteria portenha, o Media Luna Café tem 15 preparos de cafés desde o tradicional espresso (R$ 4,85) passando pelo argentino Cortado (R$ 5,30) até o Submarino da casa (R$ 12,50), com leite vaporizado com calda de chocolate e uma barrinha de chocolate meio amargo da Cuore di Cacao. Há, ainda, três chás especiais da CháContigo a R$ 7,10, como o Sou-Frida de chá preto, pimentas rosa e malagueta e laranja.

Clube das medialunas

Chef Abel

Chef autodidata, Abel Blumenkrantz pretende entregar as medialunas cedinho na casa dos participantes do clube. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo.

Enquanto algumas cafeterias abrem as portas já pensando em uma expansão com franquias, Abel Blumenkrantz tem outros planos para o Media Luna Café. Um deles é criar uma espécie de clube de assinaturas de medialunas, e mesmo fornecer o alimento para outros estabelecimentos.

“A ideia do clube é entregar as medialunas cedinho todos os dias na casa dos participantes, já que os brasileiros não tem o costume de tomar café da manhã na rua”, conta. A previsão é de que as assinaturas comecem a ser vendidas até meados de novembro.

O Media Lunas Café produz atualmente cerca de 1,4 mil medialunas por dia, mas a expectativa é aumentar este número para 3 mil. A capacidade da cafeteria é para até 24 pessoas sentadas.

Serviço:
Media Luna Café
Rua Sete de Abril, 121, Alto da XV.
Horário de atendimento: segunda a sábado, das 8h30 às 19h30.
(41) 99778-1712.

Veja também

Buenos Aires além da parrilla: conheça a pizza portenha e 5 pizzarias históricas

Centro de línguas da UFPR “esconde” uma cantina que tem gosto de comfort food

Aprenda a preparar o queijo quente mais saboroso que você já viu

Compartilhe

8 recomendações para você