Restaurantes

Bacacheri

Como uma horta comunitária virou um café vegetariano com oficina de bicicletas

A Horta Café Bike começou como um canteiro entre os vizinhos e agora reúne um consultório de psicologia e um quarto para cicloviajantes

por Flávia Schiochet Publicado em 18/09/2017 às 09h
Compartilhe

A Horta Café Bike, aberto em fevereiro no Bacacheri, é mais que uma cafeteria com oficina de bicicletas. Construída a partir de contêineres em um terreno de 620 metros quadrados, o espaço comporta outras atividades: uma horta comunitária com 180 metros quadrados, um quarto para receber cicloviajantes e um consultório de psicologia.

Espaço do A Horta Bike Café reúne oficina de bicicleta, horta comunitária, consultório de psicologia e um quarto para cicloviajantes pernoitarem. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Espaço do A Horta Bike Café reúne oficina de bicicleta, horta comunitária, consultório de psicologia e um quarto para cicloviajantes pernoitarem. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

As opções para comer se dividem em sanduíches, panquecas e tapiocas (a partir de R$ 8). São dez opções de sanduíches, como o Hambúrguer do Viajante, com pão crocante, muçarela, tomate seco, azedinha colhida na horta e maionese (R$ 20) e a baguete com chilli mexicano, montado em pão de 15 cm com gergelim, proteína de soja com ervas e especiarias, alface, tomate, cheddar, pimenta e sabor defumado (R$ 21).

Todos os sanduíches acompanham tortilhas. O hambúrguer leva batata, arroz cateto integral, amaranto em grãos, coco fresco, beterraba, proteína texturizada de soja, ervas e especiarias. Há opções veganas no cardápio, como a baguete da horta, em pão de 15 cm com gergelim, tomate seco, redução de aceto balsâmico e mostarda tipo Dijon (R$ 16). Nos demais sanduíches, basta solicitar a retirada de queijo.

Baguete do Ciclista: salada, tofupiry com tomate seco e manjericão, proteína de soja defumada, ervas e especiarias (R$ 18). Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Baguete do Ciclista: salada, tofupiry com tomate seco e manjericão,
proteína de soja defumada, ervas e especiarias (R$ 18). Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Na carta de cafés há os básicos, como espresso, macchiato, cappuccino e latte (entre R$ 4 e R$ 8,50) e também cafés de assinatura, como o chocomenta (espresso com calda de chocolate, menta, leite gelado e chantilly, R$ 13,90) e o salted caramel com paçoca (espresso duplo, calda de chocolate, paçoca, doce de leite batido, sal rosa e chantilly, R$ 15,90). Para trocar o leite por leite de soja ou sem lactose, acrescenta-se R$ 2 ao valor da bebida. Outras opções são vitamina de banana (R$ 10), limonada suíça (R$ 7) e chá mate batido com limão (R$ 7).

Cheesecake com calda de frutas vermelhas. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Cheesecake com calda de frutas vermelhas. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Para sobremesa, torta de café com Nutella (R$ 12), banoffee (R$ 12), cheesecake com calda de frutas vermelhas (R$ 14,90), brownie com calda de chocolate (R$ 10) ou com sorvete (R$ 14,90). A panqueca americana pode ser servida com chocolate e frutas vermelhas (R$ 14) ou com mel (R$ 12). Para os veganos, a opção é o bolo de banana com nozes e uva passa, vendido por fatia (R$ 8).

Torta de café e Nutella. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Torta de café e Nutella. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Quem for à cafeteria A Horta de bicicleta, cantar ou tocar uma música ou ainda declamar uma poesia tem desconto de 10%.

 

Da ideia ao projeto

“Em 2015 comecei a procurar um terreno para fazer uma horta comunitária e promover integração entre os vizinhos”, explica o psicólogo e sócio do café A Horta, Guilherme Moro. Encontrou no projeto do vizinho da rua de trás, o Leônidas Harger, eco ao seu projeto. “Ele queria fazer uma bicicletaria. Juntamos as duas ideias”. Durante o processo surgiu a ideia de incluir uma cafeteria com programação cultural e cursos rápidos, como meditação, tai chi, yoga e dança.

Durante o ano de 2016 os sócios construíram a estrutura com contêineres. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Durante o ano de 2016 os sócios construíram a estrutura com contêineres. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

O primeiro canteiro da horta foi capinado em setembro de 2015. Mas foi em fevereiro de 2017 que a cafeteria abriu as portas. A bicicletaria ainda está em fase de montagem, funcionando para pequenos consertos. Nenhum dos dois tinha experiência com um estabelecimento de gastronomia e tiveram consultoria do Café do Mercado para montar a carta de cafés e da chef Rossana Ceres para definir o cardápio. Eles tinham duas exigências: que fosse vegetariano e que não vendesse bebida alcoólica.

Horta comunitária nos fundos do A Horta Bike Café tem cenoura, couve, azedinha, alface, rúcula, hortelã, chicória, escarola, espinafre, beterraba. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Horta comunitária nos fundos do A Horta Bike Café tem cenoura, couve, azedinha, alface, rúcula, hortelã, chicória, escarola, espinafre, beterraba. Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

O clima é familiar e de colaboração: os sócios encorajam a comunidade a cuidar da horta, colher os vegetais e contribuir com o que puderem. “Não fazemos nenhum tipo de controle. Tem cenoura, couve, azedinha, alface, rúcula, hortelã, chicória, escarola, espinafre, beterraba. A azedinha e hortelã que usamos no sanduíche e no suco vêm da horta”, conta Guilherme.

***

LEIA TAMBÉM

Foo Fighters inaugura pub em Londres nesta semana

MasterChef: profissionais enfrentam dificuldade de executar menu vegetariano

Compartilhe

8 recomendações para você