Restaurantes

Cozinha Italiana

Em Santa Felicidade, um restaurante italiano à la carte

Localizado no bairro das casas italianas, o Cugi’s Ristorante tem sequência de pratos da cozinha mediterrânea artesanal

por Mariana Sanchez, especial para a Gazeta do Povo Publicado em 16/01/2014 às 00h
Compartilhe
Foto: Andre Rodrigues/Agência de Notícias Gazeta do Povo

Restaurante tem espaço para 84 pessoas, com decoração que mescla os estilos rústico e moderno. Foto: André Rodrigues/Agência de Notícias Gazeta do Povo

 

O amor pela família e a paixão pela cozinha italiana estão na base do Cugi’s Ristorante. Localizado em Santa Felicidade, o ambiente, que acomoda 54 pessoas no interior e 30 no deque, combina um estilo rústico e moderno ao mesmo tempo. Segundo os proprietários, a casa, que completa um ano de vida em março, se diferencia por conta do cardápio à la carte que valoriza a cozinha mediterrânea contemporânea.

Uma das sócias, Beatriz de Lorenzi Abati, conta que a escolha do bairro – famoso por sua culinária italiana colonial – se deu por acaso. “Não temos estrutura nem objetivo de seguir o sistema dos restaurantes da região. Servimos à la carte, sem grande rotatividade das mesas e com uma proposta contemporânea.”

O nome do restaurante vem de “cugini”, que em italiano significa primos, e é este o laço entre os sócios Beatriz e Gustavo de Lorenzi Gastaldon. Quando adolescentes, eles foram para a Itália tentar a vida com a família. Mais de quinze anos depois, voltaram a Curitiba com seus respectivos cônjuges – Matteo Bresciani e Caroline Romani – e abriram o restaurante comandado pelo quarteto, onde os homens cozinham e as mulheres atendem à clientela.

“Nossa proposta era criar um cardápio que refletisse a culinária italiana contemporânea, com olhar particular para a cozinha mediterrânea, que é marcada pela simplicidade e por valorizar o sabor dos alimentos por si mesmos”, explica o chef Matteo.

 

Primi e secondi piatti

 Foto: Andre Rodrigues/Agência de Notícias Gazeta do Povo

Foto: Andre Rodrigues/Agência de Notícias Gazeta do Povo

 

Além de embutidos como coppa, salamino, salame picante e presunto cru, no cardápio estão dez tipos de entradas, entre elas o Timballo di melanzane – camadas de berinjela ao molho sugo e muçarela derretida, finalizadas com rúcula (R$ 20) – e o polvo com lula, batatas, azeitonas pretas e tomate-cereja (R$ 34).

Para o primeiro prato, há grande variedade de risotos e massas, na qual destaca-se a malfatti, bolinhas rústicas de ricota e espinafre que parecem almôndegas um pouco menores, com molho de tomate (R$ 34). Outra opção é o linguine com frutos do mar, feito com mexilhão, camarão pistola, polvo, lagostim, tomate-cereja e vinho branco (R$ 52).

O segundo prato é composto por carnes ou peixes, sempre grelhados. Na Itália, o consumo de peixes é grande, enquanto aqui o grande sucesso é a Fiorentina – corte bovino típico da Toscana – servida com legumes grelhados e talharim na manteiga. A carne é malpassada, mas uma pedra aquecida é trazida à mesa para quem preferir ao ponto. O prato tem cerca de 1,3 kg e serve até 3 pessoas (R$ 110).

Para sobremesa, além do clássico tiramisù, há a crema bruciata, uma receita da região da Sardenha inspirada no crème brûlée, e a panna cotta de morango com perfume de laranja. Há ainda oito tipos de cremes e sopas e, quartas-feiras, o restaurante serve pizzas.

 

Alcoólicos

90% da carta de vinhos da casa é composta por italianos. Antes da refeição, é recomendado bebericar um aperitivo italiano, como o Spritz Aperol, licor de ervas e raízes com prosseco e uma rodela de laranja, ou o coquetel Hugo, à base de licor de sambuca, prosecco, água gaseificada folhas de menta.

Foto: Andre Rodrigues/Agência de Notícias Gazeta do Povo

Foto: Andre Rodrigues/Agência de Notícias Gazeta do Povo

* * *

Serviço

Compartilhe

8 recomendações para você