Exportação alimentos
Objetivo é ampliar a presença de produtos alimentícios brasileiros nos mercados dos Estados Unidos.| Foto: Bigstock

Indústrias brasileiras de alimentos e bebidas que já exportam para outros países, mas ainda não atuam no mercado dos Estados Unidos, serão selecionadas para um programa de imersão para a abertura de novos negócios. É o que prevê o “3Cs – Conhecer, Capacitar e Conectar”, desenvolvido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para ampliar a participação das empresas alimentícias em um mercado que faturou US$ 148,8 bilhões apenas em 2020.

Deste montante, as indústrias brasileiras de alimentos e bebidas foram responsáveis por apenas US$ 1,7 bilhão, o que mostra como o mercado dos Estados Unidos ainda tem um grande potencial de consumo. Tanto que este segmento foi o primeiro a ser olhado pela Apex-Brasil para o desenvolvimento de novos projetos de olho na ampliação das exportações.

Além das empresas que ainda não vendem produtos para o mercado estadunidense, o 3Cs também vai capacitar e fomentar as indústrias que já têm alguma atuação lá, mas que precisam fortalecer a presença no país.

Segundo Mauro Cid, COO do escritório da agência em Miami, as indústrias alimentícias brasileiras têm um alto grau de inovação que pode atender ao mercado.

“Além do tamanho do mercado norte-americano nesse segmento, uma das suas características é estar sempre buscando por novos produtos das mais diferentes origens. Isso, aliado à grande oferta exportadora do Brasil no segmento, cria uma enorme oportunidade de aumento das exportações”, explica.

Entre as oportunidades geradas pelo programa da agência está a disponibilização de uma listagem qualificada de dez compradores relevantes nos Estados Unidos, junto de contatos e a experiência delas no consumo de produtos certificados de países latino-americanos.

C de crescimento

O 3Cs será realizado ao longo de cinco meses totalmente online, dividido em diferentes etapas de capacitação das empresas selecionadas, com ações para conhecer o mercado estadunidense de alimentos e bebidas através de workshops e mentorias individuais. Também serão produzidos estudos de inteligência customizados e uma rodada de negócios adequados ao perfil de cada empresa.

Mauro Cid explica que este formato de programa é inovador até mesmo para a própria agência, um novo desafio na capacitação de novos exportadores.

“As empresas brasileiras exportadoras, especialmente aquelas pequenas e médias, possuem dificuldades para analisar diretamente os mercados estrangeiros em razão dos custos de deslocamento, dificuldade de acesso a tomadores de decisão e compradores, entre outros fatores”, conta.

Ente os serviços que serão oferecidos pelo 3Cs, segundo a agência, estão a análise de questões logísticas, regulatórias e de divulgação e comercialização nos Estados Unidos; sessões de mentoria com um consultor localizado no país mesmo, para o diagnóstico e elaboração de plano estratégico para o mercado; lista com compradores relevantes e reuniões virtuais de negócios com parceiros pré-selecionados.

De acordo com a Apex-Brasil, tanto a análise dos negócios quanto a lista de importadores, assim como as reuniões, são preparadas por especialistas no mercado norte-americano e levam em conta o perfil de cada empresa e dos produtos que ela oferece para exportação.

Seleção

Ao todo são 50 vagas para o programa 3Cs, com inscrições até o dia 11 de abril pelo site da Apex-Brasil. As empresas inscritas vão passar por uma seleção dividida em três fases.

O custo para participação varia de acordo com os valores de exportação da empresa em 2020, sendo que 85% serão subsidiados pela Apex-Brasil. O restante entra como contrapartida da empresa, entre R$ 4.500 e R$ 7.247,30.

O 3Cs está programado para ser realizado entre os dias 7 de maio e 24 de setembro. O regulamento pode ser acessado aqui.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]