Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Aldo Carvalho
Aldo foi o pioneiro em integras as ações para o desenvolvimento turístico do estado, principalmente incentivando a gastronomia como motor atrativo do litoral.| Foto: Valterci Santos/Gazeta do Povo/Arquivo

A gastronomia é a grande engrenagem do turismo no Paraná. Este foi o conceito levado como mantra por Aldo César Carvalho, um dos profissionais que mais entendiam do setor no estado e que morreu neste domingo (13), aos 65 anos, vítima de um infarto.

Especialista em gestão e planejamento de turismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Aldo foi o maior incentivador do chamado “Destino Paraná”, programa desenvolvido ao longo de anos pelo Governo do Estado para colocar a terra dos pinheirais no roteiro turístico nacional, seja pelos atrativos naturais como pela rica e diversa gastronomia regional. Ele ocupou diversos cargos na antiga Paranatur e na atual Paraná Turismo, onde dirigia o setor de marketing.

Aldo também teve passagem pelo Sebrae-PR, no começo como consultor e depois como coordenador de turismo. É lá que foram plantadas as primeiras sementes do desenvolvimento do setor no estado, com a capacitação de empresas para “venderem seu peixe” e melhor atenderem os turistas.

Gastronomia de mãos dadas com o turismo

No melhor estilo do peixeiro que faz a propaganda para o seu negócio, Aldo "vendia" o Paraná como ninguém por onde ia. E levava a Quirera da Lapa, o Barreado de Morretes, o Carneiro no Buraco de Campo Mourão, entre outros, sempre na ponta da língua para onde fosse.

Há três anos, ele firmou uma parceria com a Gazeta do Povo através do programa Gastronomia do Paraná para ser um dos pilares da campanha de incentivo ao turismo no estado. A ideia era promover o potencial turístico de 14 regiões estabelecidas, como as Rotas do Pinhão ao redor da capital, os Campos Gerais, o Litoral, entre outras.

O próprio Prêmio Bom Gourmet de 2020 avançaria para estas regiões, como uma forma de reconhecer as iniciativas desenvolvidas. Na época, Aldo disse em entrevista ao Bom Gourmet:

“A gastronomia é o setor do turismo que mais emprega e gera recursos. Até mais que a hotelaria e serviços de transporte. O turista busca hoje o que a gente chama de ‘turismo de experiência’, de experimentar a comida típica, e é isso que incentivamos no programa da mesma forma que o Prêmio Bom Gourmet faz em Curitiba”.

A parceria com o Bom Gourmet fez parte desde o início do planejamento de dez anos do desenvolvimento do turismo no Paraná, de 2016 a 2026, criando uma identidade forte para a gastronomia paranaense ser um forte atrativo turístico.

“Queremos que a nossa gastronomia seja reconhecida até mesmo fora do país, mas feita por quem é daqui e com ideias e conceitos pensados por gente nossa”, disse na época.

Diretor-executivo da seccional paranaense da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PR), Luciano Bartolomeu conta que um dos feitos mais importantes de Aldo Carvalho foi no estabelecimento de convênios para o treinamento de colaboradores do serviço de alimentação, principalmente durante a Copa do Mundo de 2014.

“Como o Festival Brasil Sabor, na época o Bem Receber Copa, ele e o Sebrae nos ensinaram muita coisa para que pudéssemos melhorar o serviço tanto no turismo como na gastronomia, além de levar os chefs daqui para os eventos de promoção turística do Paraná no restante do país”, lembra.

Breve interrupção

Os planos de 2020 para a gastronomia e o turismo paranaense foram interrompidos pela pandemia da Covid-19, mas já estavam caminhando novamente para voltarem aos trilhos do desenvolvimento.

“[Aldo] conhecia o Paraná como ninguém, contribuiu para fortalecer nossos atrativos para o mundo, tornando o Estado um dos mais visitados do Brasil. Neste momento, trabalhava para a retomada do setor no pós pandemia”, disse o Governo do estado em nota nesta manhã.

Já Patrícia Albanez, que sucedeu Aldo no cargo de coordenador de turismo do Sebrae-PR, conta que ele foi o pioneiro em integrar todas as ações que eram desenvolvidas pontualmente na instituição. Foi a partir das iniciativas dele que produtos como a bala de banana de Antonina, o barreado e a cachaça de Morretes, entre outros, estão em processo de obtenção do selo de Indicação Geográfica.

Ele também alçou o litoral do estado em roteiros de turismo internacional, com forte presença da gastronomia como principal atrativo turístico. Atualmente, ele trabalhava com o Sebrae-PR, a Fecomércio-PR e a Paraná Turismo para a retomada do setor no estado.

“Setenta por cento dos prestadores de turismo do nosso estado são ligados à gastronomia, à alimentação. O Aldo teve um papel muito importante nisso, e estávamos trabalhando na capacitação de todos eles para voltarem a atender o turista doméstico, principalmente, dentro das novas condutas de segurança por conta do coronavírus. Agora vamos continuar ainda mais, pelo legado deixado por ele”, disse.

Patrícia conta que foi também graças ao pioneirismo de Aldo que o Paraná alcançou a segunda colocação no ranking nacional da visitação de turistas estrangeiros, com a promoção de Foz do Iguaçu. O estado também é o segundo destino brasileiro do chamado “turismo de negócios”, atrás apenas de São Paulo.

Aldo foi sepultado na manhã desta segunda (14) no Cemitério Jardim da Saudade, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Ele deixa esposa, dois filhos e três netas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]