Receitas & Pratos

Competição

Direto de Lisboa: aprenda a receita de um pastel de nata premiado

Com duas medalhas de bronze em concurso especializado em Portugal, dono da Pastelaria Batalha ensina como preparar o doce português preferido dos brasileiros

por Mada Pereira, de Lisboa, especial para o Bom Gourmet Publicado em 03/04/2019 às 13h
Compartilhe

Na sua última viagem a Portugal você se deliciou com os pastéis de nata e agora sonha em comê-los de novo? Pois fomos a Lisboa saber como eles são tradicionalmente preparados e conseguimos uma receita premiada. O chef João Batalha, da Pastelaria Batalha, dono de duas medalhas de bronze (2016 e 2018), na Prova Nacional do Pastel de Nata, abriu a cozinha e mostrou ao Bom Gourmet como se prepara esta delícia.

“O pastel de nata que faço para o concurso é exatamente o da minha produção diária para os clientes. Além de ingredientes de qualidade, o mais importante é o empenho e nunca se contentar com o que foi feito. Devemos sempre melhorar para oferecer um doce conventual cada vez mais perfeito”, disse o chef Batalha, que espera para 2019 nada menos que o primeiro lugar no concurso (ver abaixo). Ele conta que esta receita existe na família há 20 anos e é a mais tradicional.

Então, preparado para fazer em casa um pastel de nata premiado e surpreender a família? Os ingredientes são simples. Mãos à obra!

Pastel de nata

Foi em um convento que surgiu o doce mais conhecido de Portugal. Foto: Mada Pereira/especial para a Gazeta do Povo.

Massa

Misture bem em uma vasilha 700 g de farinha de trigo e 15 g de sal. Só depois adicione 350 ml de água fria. Bata em batedeira com gancho, em velocidade baixa por 5 minutos e depois em velocidade alta por mais 5 minutos. Esta quantidade dá um quilo de massa, o suficiente para 50 pastéis de nata.

Abra a massa de forma grosseira e acrescente 500 g de manteiga sem sal, de alta qualidade e gelada. Faça um ‘pacote’ da massa com a manteiga dentro. Polvilhe com farinha, pegue um rolo de abrir massa e bata nesta mistura para envolver a gordura.

Em seguida estique a massa até ficar com 0,5 cm de espessura. Dobre um terço da massa, a partir da ponta para o centro (da direita para o centro e da esquerda para o centro), de modo que a massa fique com três camadas.

Depois estique a massa no rolo. Corte as pontas irregulares para deixar a massa em formato retangular. Neste ponto é possível ver todas as camadas do preparo, a massa e a manteiga.

Para ajudar a enrolar, a massa deve ser molhada com água. Dobre levemente para dentro a para inferior do retângulo. Depois desta dobra, enrole até o final, formando um canudo ou um rocambole.

*Importante: à medida que enrolar, aperte levemente para tirar o ar entre as camadas. Envolva em papel manteiga e leve para a geladeira por 45 minutos.

>> Leia também: Itália faz olimpíada para escolher melhor pizza napolitana; e tem etapa no Brasil

Recheio (creme)

Misture à mão 1 quilo de açúcar e 200 gramas de farinha. O açúcar ajuda a farinha a cozinhar e evita que ela vá para o fundo, formando grumos. Leve ao fogo 2 litros de leite semidesnatado, dois paus de canela e casca de dois limões sicilianos. Quando levantar fervura, adicionar a mistura seca. Mexer com batedor sem parar até ter consistência de creme. Adicionar de 10 a 12 gemas somente quando o creme estiver frio.

Montagem

Na sequência, corte a massa resfriada em rodelas de cerca de 3 cm e coloque em forminhas (tipo forma de empada média). Com o polegar aperte o pedaço de massa e puxe em direção a borda. Repita o movimento até distribuir a massa em toda a forminha (estas forminhas nunca devem ser lavadas, mas apenas limpas com pano seco).

Coloque o creme até encher a forma. Coloque as forminhas em um tabuleiro e leve ao forno pré-aquecido, com temperatura de 250 ºC, entre 12 e 20 minutos.

Uma dica para saber se o pastel está pronto: agite o tabuleiro com as forminhas e se o creme não vazar é sinal de que está no ponto.

Depois de assada, as camadas da massa devem ser bem visíveis e o recheio tem uma leve crosta dourada e irregular. Desenforme e sirva com canela em pó e açúcar. Para acompanhar, um bom vinho português, um café ou uma ginja (licor obtido a partir da maceração da ginja).

Pastel de nata

Quem participa do concurso costuma ver o movimento aumentar consideravelmente depois. Foto: Mada Pereira/especial para a Gazeta do Povo.

Concurso premia melhor  Pastel de Nata de Lisboa

Nos últimos 11 anos, Lisboa escolhe o melhor pastel de nata da cidade. Neste ano, os integrantes do júri têm a difícil decisão de analisar cinco atributos, numa escala de zero a 10: aspecto, toque de massa, sabor e consistência da massa, recheio e sabor global.

São 34 participantes, o maior número de inscritos desde a criação da Prova Nacional do Pastel de Nata.
O vencedor será definido no dia 10 de abril, durante os festejos do Peixe em Lisboa, evento gastronômico com foco em peixes e mariscos portugueses, organizado pela Associação Turismo de Lisboa. E vencer representa notoriedade e aumento significativo nas vendas, em alguns casos de mil por cento na semana seguinte ao resultado.

O preço do Pastel de Nata varia de 1 euro a 1,90. É um doce barato, saboroso, delicado e que rende filas de turistas em frente às pastelarias de Lisboa.

>> Leia também: Esqueça a essência artificial! Aprenda a fazer extrato de baunilha caseiro

 

Compartilhe

8 recomendações para você