Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Comunidades FoodCo
As comunidades do FoodCo. serão abertas em seis estados, em um primeiro momento.| Foto: Bigstock

Criado para conectar, capacitar e desenvolver de forma coletiva o mercado brasileiro de food service, o FoodCo. está lançando seis comunidades online voltadas para a discussão e a troca de experiências entre empresários e operadores de restaurantes e demais serviços de alimentação. São grupos gratuitos que serão abastecidos diariamente com notícias e informações relevantes para o desenvolvimento e a evolução deste segmento da economia, tão importante neste momento de início da retomada pós-pandemia.

As comunidades do FoodCo. funcionam dentro do aplicativo de mensagens WhatsApp e são divididas por estados. Inicialmente serão lançadas comunidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os interessados de outras regiões do país podem sugerir a abertura de comunidades em seus estados, que serão criadas de acordo com a demanda.

O objetivo das comunidades é aproximar empresários para que apresentem os desafios que estão passando nos seus negócios e assim troquem soluções, ideias, experiências e dicas. Uma forma de desenvolvimento e crescimento coletivo de acordo com Talita Boros Voitch, head do FoodCo.

“A ideia das comunidades do FoodCo. é fomentar e estimular o sentimento de pertencimento dos donos das operações, tornando o mercado mais forte coletivamente com essa troca de experiências”, afirma Talita.

Diariamente a equipe do FoodCo. enviará uma curadoria de conteúdo da imprensa nacional e internacional especializada sobre gestão e operação de negócios em gastronomia nas comunidades. A ideia é que os empresários que fazem parte da comunidade recebam em primeira mão tudo o que precisam saber no dia para tornar seus negócios mais competitivos.

Os membros da comunidade também serão abastecidos com pesquisas e enquetes que permitirão o fomento de discussões relevantes para a superação dos impactos trazidos pela pandemia do coronavírus – e convidados a participarem da construção de soluções úteis e rentáveis para suas operações.

Para participar das comunidades do FoodCo, basta clicar aqui. Se o seu estado ainda não faz parte da rede, não se preocupe. A equipe avaliará a abertura de novas comunidades de acordo com a demanda dos interessados.

Melhores empreendedores

Podem participar das comunidades gratuitas do FoodCo. todos os integrantes da cadeia do food service, como os próprios empreendedores, os gestores ou funcionários das operações, os fornecedores deste segmento, os trabalhadores da indústria de alimentos e bebidas e os consultores da área. E não apenas eles, mas também os interessados em empreender no food service e aqueles que são apenas entusiastas ou que buscam conhecer mais deste mercado podem se inscrever nas comunidades.

As discussões nas comunidades do FoodCo. permitirão a construção de um mercado de food service mais forte e competitivo, fazendo jus ao importante papel prestado na economia brasileira. Dados estatísticos de entidades de classe apontam que este setor é responsável por cerca de seis milhões de empregos.

“O mercado brasileiro de gastronomia tem muito potencial para ser mais rentável e profissional, e o papel do FoodCo. será o de fomentar e ajudar os participantes de toda a cadeia envolvida a superar os desafios tão visíveis e impactantes vividos pelo mercado nestes últimos 16 meses”, completa Talita Boros Voitch.

Lançamento

A abertura das comunidades faz parte da série de ações de lançamento ao mercado do FoodCo., que será no dia 26 de julho, às 17h, com um bate-papo exclusivo com o chef e empresário Junior Durski.

Fundador do Grupo Madero, Durski vai contar detalhes do seus segredos de gestão e operação dentro do grupo que nasceu como uma pequena hamburgueria gourmet em Curitiba e se transformou em um dos principais players brasileiros do setor.

As inscrições gratuitas para o bate-papo online com Junior Durski podem ser feitas aqui.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]