Baixa Gastronomia

Baixa Gastronomia

Uma iguaria: coxinha de farofa

Desvende os sabores do salgado típico da Lapa

por Guilherme Caldas e Rafael Martins Publicado em 08/04/2015 às 22h
Compartilhe

A rainha das coxinhas

Foto: Acervo Baixa Gastronomia

A coxinha de farofa custa R$2,75. Foto: Acervo Baixa Gastronomia

Sempre que nos perguntam quais os pratos típicos paranaenses, respondemos no singular: o barreado. Engano nosso: a Lapa nos brinda, há décadas, com a menos famosa mas igualmente gostosa coxinha de farofa.

Já conhecíamos de ouvir falar, mas nunca havíamos provado a iguaria. A chance para isso surgiu no terceiro fim de semana de março, quando a cidade promoveu uma festa para seu mais ilustre quitute.

Segundo dizem, a coxinha de farofa surgiu no final dos anos 1940, numa festa dedicada a São Benedito. Como sobravam massa de pastel e um recheio de frango à base de farinha de milho, Maria da Gloria Kuss decidiu juntar tudo num salgado em formato de coxinha. Foi um sucesso.

Mas só era possível comer uma coxinha da farofa nas festas religiosas lapeanas. Foi D. Rosa Mazur Kugeratski, 68, arrendatária da tradicional panificadora Zeni, que passou a produzir as coxinhas regularmente. Desde então, a casa vende dezenas de salgados por dia. Outras panificadoras e pastelarias da cidade aderiram. Na festa, elas saíram às centenas, com recheios variados, como bacalhau, maçã ou brigadeiro.

Curiosamente, a coxinha de farofa lembra bem mais a samosa, o pastel indiano, que o tradicional salgado que inspirou seu nome e formato. A massa é bem fina (de pastel, afinal), e o recheio é farto, úmido e saboroso. Por si, valeria uma visita periódica à Lapa. Mas a cidade tem muito mais (inclusive pro estômago). Tá esperando o quê?

Onde

Avenida Manoel Pedro, 2.078, (41) 3622-1763, Lapa. www.padariazeni.com.br

Atende

De segunda a sábado, das 6h30 às 20h. Domingos e feriados, das 7 às 12 e das 15 às 20h.

 

Comida tropeira

A Lapa também é conhecida pela culinária tropeira, herança dos viajantes que usavam a cidade como pouso nas viagens entre Rio Grande do Sul e São Paulo. Segundo nossas gentis anfitriãs na cidade, as irmãs jornalistas Lenise e Lorena Klenk, ao menos dois restaurantes preparam os pratos (virado de feijão, arroz carreteiro, quirera lapeana, entre eles) conforme a tradição – Lipski e Espaço Único, este instalado numa bela praça do centro histórico.

Onde

Restaurante Espaço Único. Praça General Carneiro, 326,  Lapa — (41) 3622 8114. Prato típico, servido à vontade, por R$ 22 (segunda a sexta), R$ 26 (sábado) e R$ 30 (domingo).

Restaurante Lipski. Avenida Manoel Pedro, 1.855, Lapa — (41) 3622 1202. Prato típico a R$ 36 por pessoa, servido à vontade.

Atende

Restaurante Espaço Único. De segunda a sexta, das 11 às 14h30 (sábados e domingos até as 15h).

Restaurante Lipski. De segunda a sábado, das 11h às 14h30. Domingo e feriado, até 16h. Terça a sábado, também à noite, das 18h30 às 22h.

Compartilhe

8 recomendações para você