Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Maria de Fátima (Glória Pires) e Raquel (Regina Duarte): relação conturbada | Bazilio Calazans/Divulgação
Maria de Fátima (Glória Pires) e Raquel (Regina Duarte): relação conturbada| Foto: Bazilio Calazans/Divulgação

Você pode achar as roupas e os cabelos engraçados; estranhar os valores em "cruzados" e a ausência de celulares e computadores (o suprassumo da tecnologia então eram os enormes telefones fixos sem fio, daqueles que você tinha que puxar a antena antes de falar); pode se surpreender ainda com a trilha sonora, em que clássicos do rock nacional dividem espaço com obscuras músicas da década de 80; e achar curioso ver estrelas da tevê na flor da idade – como Glória Pires, Regina Duarte e Antônio Fagundes, por exemplo.

Mas, se tiver a oportunidade, não deixe de ver uma das melhores novelas da televisão brasileira – Vale Tudo, de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, que está sendo reprisada pelo Canal Viva desde o último dia 4, à 0h45, com horário alternativo ao meio-dia. Para você que não tinha idade suficiente ou não quis vê-la em 1988, quando foi ao ar originalmente na Globo, é a famosa história que parou o país com o mistério "quem matou Odete Roitman?".

Passados 22 anos, o que mais impressiona – e entristece – é a atualidade da trama. O mote da história é a corrupção em suas mais variadas formas, incluindo a "Lei de Gérson" (aquela que apregoa que devemos levar vantagem em tudo) e o famigerado "jeitinho brasileiro". Mas o mais interessante é que, como na vida, essa moral mais "elástica" não aparece só nos personagens ricos ou naqueles identificados como vilões.

Ela está nas grandes armações de Marco Aurélio (Reginaldo Fa­­ria), César Ribeiro (Carlos Alberto Riccelli) e Maria de Fátima (Glória Pires), mas também nas pequenas "malandragens" de pessoas do bem: a secretária Aldeíde (Lília Cabral), que leva para casa os rolos de papel higiênico do banheiro da empresa; a psicóloga Leila (Cássia Kiss), que tenta ficar com ingressos para um show entregues por engano ao marido Ivan (Antônio Fagundes); e até o taxista que tenta explorar Raquel (Regina Duarte) assim que ela chega ao Rio de Janeiro.

Outro diferencial da novela é o seu realismo à brasileira, traduzido na impunidade de praticamente todos os vilões – com a exceção óbvia de Odete Roitman (Beatriz Segall): Maria de Fátima e César vão morar na Europa, enquanto Marco Aurélio dá um desfalque na empresa e foge do Brasil. No país em que a corrupção continua proliferando nos mais altos escalões do governo, mas também entre os motoristas que subornam guardas de trânsito e nos jovens que falsificam carteirinhas de estudante, a famosa "banana" de Marco Aurélio no último capítulo continua valendo.

Serviço

Vale Tudo – de segunda a sexta-feira, à 0h45 (horário alternativo ao meio-dia), no Canal Viva.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]