Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Despedida

Com a casa lotada, Sandy e Junior se despedem de Curitiba

Chuva não desanimou fãs, que já estavam na fila desde o início da tarde

  • Angela Antunes - Especial para Gazeta do Povo Online
 |
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Nem mesmo a chuva desanimou os fãs da dupla Sandy e Junior, que passaram horas na fila para ver o último show da dupla em Curitiba, nesta sexta-feira (9). Com a casa cheia, o Curitiba Master Hall foi palco da despedida dos cantores na capital, que de agora em diante seguem em projetos solo.

Fabiana Flores, 19 anos, acompanhou a carreira da dupla desde 1992. "Eles fizeram parte da minha vida toda, desde a infância", disse ela. Fabiana chegou na fila às 16h, e não deixou o lugar mesmo sob forte chuva. "Prefiro me molhar e ficar mais perto deles", acrescentou.

“Nada como um banquinho para um acústico”, disse Junior Lima na apresentação do show da “Turnê Acústico MTV Sandy e Junior: a última”. Durante 1h30, os fãs, pais e casais de namorados cantaram ao som dos grandes sucessos da dupla, como “Desperdiçou”, “As Quatro Estações” e “A Lenda”. Os portões abriram às 20h15, e desde então o local não parou de encher. O atraso foi de 30 minutos.

O show foi uma das apresentações mais simples da dupla. O cenário, composto de apenas um telão, é totalmente o oposto de turnês anteriores, como “As Quatro Estações”, em 2000. As músicas seguem os mesmos arranjos do mais novo e também último trabalho dos cantores – o “Acústico MTV”. Além do repertório já visto no CD lançado em agosto, a dupla também cantou sucessos como “Replay”, “Vamo Pulá” e “Eu Acho Que Pirei”. Até mesmo a primeira música da dupla, que está no CD apenas como faixa bônus, entrou no repertório da apresentação. “Maria Chiquinha" encerrou o show, que em seguida terminou ao som do público gritando: inseparáveis.

Antes da apresentação, a dupla recebeu a imprensa e também membros de fã-clubes no camarim. Depois do atraso de mais de uma hora para a entrevista coletiva – com uma pausa para um jantar de comida japonesa – a dupla respondeu algumas perguntas sobre o último trabalho e também projetos futuros. A dupla foi atenciosa, mas com tempo limitadíssimo e uma produção bastante rígida.

“O Acústico foi a única maneira que a gente encontrou para fazer uma releitura do nosso repertório”, disse Sandy sobre a escolha do “Acústico MTV” como último trabalho em dupla. Mesmo canções como “Inesquecível” não foram deixadas de lado, e foi uma das mais emocionantes do show. Quando questionados sobre o apoio dos fãs com relação ao fim da dupla, Junior disse que a princípio todos levaram um susto, mas depois apoiaram a decisão. “Eles vão estar com a gente independente do que a gente fizer”, acrescentou.

Sobre a possibilidade de voltarem a tocar em parceria, Sandy disse que não tem como saber se a vontade de trabalhar juntos pode surgir no futuro. Além disso, por serem irmãos, esse estilo de parceria sempre pode acontecer. “Não é uma coisa impossível”, afirmou.

Carreira

A carreira de Sandy, hoje com 24 anos, e Junior, 23, tem números que impressionam. A dupla contabiliza 17 anos de carreira, 15 álbuns e mais de 15 milhões de discos vendidos. A dupla cresceu aos olhos dos brasileiros, que acompanharam os irmãos desde a infância até a fase adulta, com inúmeros sucessos, shows, e apresentações na televisão. O fim da carreira, anunciado em abril desse ano, já era temido por fãs desde que os irmãos chegaram na adolescência. Nesse período, o estilo musical sofreu alterações, e ambos foram acrescentando experiências musicais para evoluírem não só na idade, mas também na música.

A primeira música dos cantores foi “Maria Chiquinha”, cantada pela primeira vez na televisão em 1989, no programa Som Brasil, da Rede Globo. Acompanhados do pai Xororó no violão, e da mãe Noely na platéia, Sandy, com apenas seis anos, e Junior com cinco, cantaram a música que viria a ser uma das mais importantes de sua carreira. A faixa não deixou nem mesmo o “Acústico MTV”, e entrou no repertório em cima da hora.

Outra música bastante marcante na carreira da dupla é "Não Ter", versão da cantora italiana Laura Pausini. A faixa, segunda música de trabalho do sexto disco da dupla, “Dig-Dig-Joy”, de 1996, rendeu um dueto alguns anos depois com a própria Laura, em uma passagem da cantora pelo Brasil.

O primeiro passo para a fase adulta foi com a 14ª música de trabalho, “No Fundo do Coração”. A faixa também se trata de uma versão em português, desta vez do sucesso “Truly, Madly, Deeply”, da dupla australiana Savage Garden. Dentro do oitavo disco da carreira, a música rendeu um clipe que marcou uma grande evolução estética da dupla, que alcançou um perfil mais adulto e profissional.

Sandy e Junior marcaram não só o cenário musical, mas também participaram dos domingos da Rede Globo com um seriado, que durou quatro anos. Esse programa foi um dos primeiros trabalhos de vários atores que estão até hoje na televisão, como Paulo Vilhena, Fernanda Paes Leme e Daniele Suzuki.

Com um CD lançado internacionalmente (Love Never Fails foi número um na MTV da Itália), um show no Rock In Rio em 2001, uma novela (Estrela-Guia, 2001) e um longa-metragem (Acquária, 2004), Sandy e Junior garantem a sua trajetória como uma das mais importantes do cenário da música brasileira, com números ainda não alcançados por vários artistas nacionais renomados.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Caderno G

PUBLICIDADE