i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
CD

Tetê Espíndola reúne passado e presente em álbum duplo

  • PorFolhapress
  • 17/03/2014 13:27

Para muitos, ela é a voz aguda dos anos 1980 que ganhou festival com a canção "Escrito nas Estrelas". Para quem a acompanha de perto, é a artista que lançou quase 20 álbuns, com música sofisticada, às vezes beirando o experimental, e letras que falam de vida interiorana, mato, rios e bichos. Esses dois públicos podem se interessar pelo CD duplo que Tetê Espíndola, 60, acaba de lançar e leva seu nome. Ele traz na mesma embalagem dois discos, "Pássaros na Garganta", de 1982, e o inédito "Asas do Etéreo". "Eu fui conversar com o selo do Sesc para discutir o lançamento do CD de "Pássaros', que só existia em vinil", conta Tetê. "E aí falei que tinha um novo disco pronto. A ideia de juntar os dois surgiu ali." "Pássaros na Garganta" misturou gravações de estúdio e sons da natureza, com ajuda de Arrigo Barnabé nessa ousadia musical. O álbum antigo e o novo partem de uma mesma base, a voz de Tetê e sua craviola, instrumento que ela apresentou ao grande público. Mais uma vez ela buscou apoio em parceiros que agregassem a cada faixa uma colaboração. Vieram, entre outros, os violões do Duofel, o piano de Egberto Gismonti, o trombone de Bocato, o baixo de Paulo Lepetit (um dos maiores responsáveis pelo projeto, diz Tetê), a escaleta de Hermeto Pascoal e o violoncelo de Jaques Morelenbaum. "Escolher o que gravar foi um mergulho no baú da compositora tenho ainda umas 80 inéditas", conta Tetê. A mais antiga a entrar foi "Beijo nÁgua", de 1982, que gravou com o vibrafone de Felix Wagner. Não por acaso, ele tocou em muitas faixas e fez arranjos em "Pássaros na Garganta". A música mais recente é "Menina", de 2012. Tetê deixou dois convidados cantarem. Um é o filho, Dani Black, que também toca guitarra em "Trigo do Amor". O outro é Arrigo Barnabé, responsável pelo alinhamento da mato-grossense com a chamada Vanguarda Paulista nos anos 1980. Ele canta aos urros em "Diga Não". Shows diferentes Tetê apresenta as músicas do CD duplo em dois shows em São Paulo, nesta quarta-feira e na quinta, no Sesc Vila Mariana.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.