i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
VÍDEO SOB DEMANDA

Legendas erradas da Netflix e TV a cabo incomodam e viram piada

Aumento da demanda por filmes e séries legendados tem prejudicado qualidade da tradução e provoca casos bizarros nos canais por streaming e de TV a cabo

  • PorRicardo Sabbag
  • Especial para a Gazeta do Povo
  • 27/12/2016 09:56
“Es cute duro”: tradução literal é um dos problemas das legendas de Scott Pilgrim Contra o Mundo na Netflix | Universal/Reprodução
“Es cute duro”: tradução literal é um dos problemas das legendas de Scott Pilgrim Contra o Mundo na Netflix| Foto: Universal/Reprodução

A popularização dos serviços de vídeo sob demanda por assinatura no Brasil, como a Netflix e o recém-lançado Amazon PrimeVideo, mexeu também com o mercado de tradução e legendagem no país. O volume grande de lançamentos e a necessidade de simultaneidade com a exibição de séries no exterior estão obrigando exibidores, distribuidores e produtores a acelerar a confecção de legendas em Português brasileiro para atender a demanda do público. O problema é que essa aceleração está custando a qualidade das legendas em PT-BR.

Guerra do streaming: Amazon se prepara para competir com Netflix no mundo todo

A Netflix tem acumulado reclamações sobre a qualidade das legendas disponíveis em seu serviço. Somente em um filme de seu catálogo, Scott Pilgrim Contra o Mundo (2010), a Gazeta do Povo contou 46 erros de legendagem, entre falhas de digitação, tradução errada, tradução literal, ortografia e afins (confira aqui os erros). Em uma das cenas, por exemplo, o personagem Todd Ingram (Brandon Routh) diz, no original, em inglês: “Your will is broken”, cuja melhor tradução se aproximaria de “sua força de vontade está fraca”. A legenda da Netflix, no entanto, traduziu literalmente a frase como “sua vontade está quebrada”, que sequer faz sentido em Português.

Os problemas com as legendas da Netflix já fizeram surgir denúncias de que a empresa estaria se apropriando de legendas feitas por grupos de legendeiros amadores da internet. Recentemente, o canal de TV por assinatura AXN foi flagrado utilizando legendas produzidas por um conhecido grupo de legendeiros da internet em uma das séries exibidas por ele, mantendo inclusive o crédito da equipe de tradutores amadores, cujas legendas costumam abastecer versões de filmes e séries piratas disponíveis na rede.

Golem ou galinha: tradução confunde ser folclórico com galináceo em Bastardos Inglórios.Reprodução

A um assinante que reclamou da qualidade das legendas de Scott Pilgrim Contra o Mundo, a Netflix respondeu que a responsabilidade pelas legendas é da produtora e distribuidora do filme, a Universal Pictures do Brasil. A empresa também já se manifestou publicamente sobre reclamações de assinantes afirmando que a maioria dos títulos disponibilizados pelo site não pertence à Netflix: “Quando um contrato é assinado, concordamos com todas as características do título, como legenda e dublagem. O tipo de legenda e os idiomas disponibilizados são decididos pela empresa que é dona do filme ou do programa de TV”. A Netflix não respondeu aos questionamentos da Gazeta do Povo até o fechamento desta reportagem.

How I Met Your Mother: erro crasso de português.Reprodução

Qualquer usuário frequente da Netflix pode encontrar outros exemplos de legendas bizarras espalhadas pelo catálogo do serviço. Em um episódio da sétima temporada da série How I Met Your Mother, por exemplo, a legenda escreve incorretamente: “Agaichesse bem”, quando deveria escrever “agache-se”.

Na legenda de Bastardos Inglórios, enquanto o diálogo original diz “ninguém acha que o Urso Judeu é um golem” (figura do folclore judaico que ganha vida a partir de material inanimado), a tradução escreve: “ninguém acha que o Urso Judeu é uma galinha”. A Netflix disponibiliza a seus assinantes um link ao lado de cada filme ou episódio para que sejam relatados problemas de qualquer ordem na exibição do arquivo.

  • O processo de produção das legendas não é apenas traduzir mecanicamente o idioma. Neste caso, “listen hard” foi traduzido literalmente
  • O correto é “Scott Pilgrim está namorando?”. Um clássico erro de revisão
  • No áudio original a personagem diz “get ready for combat” ao enunciar que lutará pelo amor de Scott. O resultado final é sem sentido para o espectador
  • Cadê a letrinha “S”? Faltou atenção e revisão nesse caso
  • O “se” está fora de lugar e causa um estranhamento natural. A conjunção está empregada de forma equivocada aqui
  • Mais um exemplo de tradução literal que em português não faz sentido.
  • A frase foi construída erradamente e não tem nada a ver com a frase original em inglês: “Yes. I really came’
  • O personagem interpretado por Chris Evans chama-se Lucas Lee. Em uma sequência de cenas com o Sr. Lee aparece, de repente aparece “Sr. Leia”
  • No caso, o substantivo “crônico” deve acompanhar o numeral “um”, ambos masculinos
  • Na cena, o personagem Scott desafia o valentão Todd, que acaba se dando mal. A legenda traduz o jargão espanhol “muchacho” para o “menino”
  • A segunda frase está claramente equivocada. Falta um verbo de ligação (estão) e é impróprio o uso do “de”
  • Scott Pilgrim mostra a música que fez para a namorada Ramona e fala: “Escrevi uma canção sobre você”
  • O melhor seria: “eu não fui claro?”
  • Todd, interpretado por Brandon Routh, diz à ex-namorada que Scott queria intimidá-lo. Ou seja, neste o verbo “to funk” não foi traduzido
  • A falta do pronome “eu” e do verbo “estou“ causa estranhamento ao espectador
  • Scott diz ao ver o Sr. Lee, uma celebridade de Hollywood que ele “é famoso, e fala comigo”. Logo, o pronome “eu” está errado
  • “Broken hearts” pode ser traduzido como “corações despedaçados”. O adjetivo “quebrado” não soa bem nesta construção semântica
  • De fato “bad” é mau em português. Entretanto a função do tradutor é de se manter fiel ao sentido e não as palavras. O melhor é : Isso é muito, muito ruim
  • Falta a preposição “para” na frase. Sem ela a frase fica sem sentido e causa estranheza ao espectador

Legendar é diferente de traduzir, diz especialista

Para as empresas especializadas em tradução de audiovisuais, o aumento da demanda é bom para o mercado, embora não haja profissionais qualificados em número suficiente para atendê-la: “O número de profissionais qualificados e atuantes na área ainda é pequeno se compararmos à demanda de tradução audiovisual atual”, afirma a tradutora Leilane Papa, uma das proprietárias da Dispositiva, empresa carioca especializada em legendagem, fornecedora de trabalhos para a Globosat, entre outras empresas.

Leilane destaca que existe uma diferença importante entre a mera tradução de uma língua estrangeira e a adaptação de diálogos para legendas: “Quando lemos um livro, nós estamos diante apenas da tradução. Somos consumidores apenas da obra traduzida. Quando o assunto é legenda, já é bem diferente. O telespectador está ouvindo o original, vendo a imagem e comparando em tempo real com a tradução”, diz. Para Leilane, uma legenda bem feita é aquela que não atrapalha a experiência do espectador. “Assim como um livro que quando é lido em português não deve soar como tradução”, completa.

Um bom profissional de tradução e legendagem, diz Leilane, deve dominar muito bem o Português e fazer um curso especializado em tradução para legendas, para aprender as técnicas. “O tradutor precisa ser curioso e sempre querer aprender mais. Um dia a pessoa está traduzindo uma comédia romântica, no dia seguinte já é um documentário científico. Ou seja, a pesquisa tem que ser sempre bem feita para que o profissional não caia em armadilhas”, afirma. “Cada tipo de programa vai exigir um tipo de linguagem”, conclui.

Colaborou Beatriz Peccin

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.