Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Escolher a cadeira correta, que respeita aspectos ergonômicos, traz conforto e qualidade para a execução do trabalho, e evita problemas como LER e DORT.
Escolher a cadeira correta, que respeita aspectos ergonômicos, traz conforto e qualidade para a execução do trabalho, e evita problemas como LER e DORT.| Foto: Divulgação
  • Por OfficeLab
  • 22/12/2021 19:09

Quem passa horas em frente ao computador sabe a diferença que uma boa cadeira faz. Com o home office, muitas vezes em ambientes improvisados, sobretudo em virtude da pandemia da Covid-19, cerca de 50% das pessoas que trabalharam de casa em 2020 sentiram alguma dor no pescoço, costas ou ombro, segundo uma pesquisa realizada pela FGV (Fundação Getulio Vargas), em parceria com o Institute of Employment Studies, do Reino Unido.

Uma cadeira que não observa aspectos ergonômicos pode levar à postura inadequada e a outros problemas, como o enfraquecimento de regiões como pulso, ombros, coluna e região lombar. O resultado pode ser o comprometimento de todo o sistema osteomuscular e a temida Lesão por Esforço Repetitivo (LER), assim como os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT).  Por isso, é fundamental estar atento para que, tanto no ambiente corporativo quanto em casa, você tenha ergonomia e conforto durante o período de trabalho.

Especializada em mobiliário da mais alta qualidade para escritório, empresas e home office, a OfficeLab traz cinco dicas importantes que precisam ser levadas em consideração na hora de escolher a cadeira perfeita.

É preciso experimentar a cadeira para avaliar se ela oferece apoio lombar, mantém as pernas quem a utilizar em um ângulo de 90° e se o apoio dos braços está na altura correta.
É preciso experimentar a cadeira para avaliar se ela oferece apoio lombar, mantém as pernas quem a utilizar em um ângulo de 90° e se o apoio dos braços está na altura correta. | Divulgação

Experimentar o produto

É importante fazer um “test drive”: sentar-se na cadeira para avaliar se a mesma oferece apoio lombar, se as pernas de quem estiver testando estão dobradas em um ângulo de 90° e se o apoio dos braços está na altura correta.

“Costumo dizer que uma cadeira pode ser considerada como um item pessoal: você precisa experimentar e sentir”, afirma André Luiz Ferreira, gestor de Negócios da OfficeLab. “Aqui, nossos consultores têm conhecimento e conseguem apresentar a cadeira ideal para cada usuário. Afinal, uma cadeira que comporta corretamente uma pessoa que mede 1,60m de altura não funciona da mesma maneira para alguém com 1,90m. Por isso, a nossa consultoria é um ponto que pesa para o cliente, pois ele terá a certeza que levará a cadeira perfeita”.

Além disso, experimentar o produto possibilita que o cliente avalie qual o material mais lhe agrada. Uma cadeira com encosto em tela, por exemplo, proporciona um conforto térmico maior do que uma cadeira com outro tipo de revestimento. No caso do uso de tecido, ele tem a vantagem de ser mais resistente às variações de temperatura, enquanto o couro ecológico apresenta mais resistência, além de ser um dos materiais mais sofisticados do mercado.  A escolha do tipo do revestimento varia muito de acordo com o gosto de cada usuário, é preciso experimentar, porque todos terão a mesma qualidade, durabilidade e vão atender tanto o ambiente corporativo quanto o residencial”.

Mecanismos da cadeira

Os mecanismos mais em são os de regulagem de altura da cadeira e regulagem da altura dos apoios para os braços. Porém, existe mais um para ser levado em consideração: a regulagem do encosto, tanto em profundidade, quanto em altura. “As pessoas possuem biótipos diferentes, por isso essas regulagens são necessárias para se encontrar a posição correta e garantir que o usuário não desenvolva problemas na coluna lombar”, explica André.

Segundo o gestor, o tempo que cada pessoa passa sentado é indiferente, pois o assento sempre precisa ser ergonômico. O que muda é a quantidade de mecanismos necessários. “por exemplo, uma cadeira que será usada por 8 horas por uma pessoa, precisa apresentar todas as regulagens, diferente de uma cadeira para uma sala de reuniões, em que não é necessária a regulagem do encosto. Mas, todas sempre precisam ser ergonômicas e ter a regulagem de altura”. E claro, junto com os aspectos ergonômicos, é importante também ficar atento aos intervalos regulares durante o período de trabalho, para evitar problemas já citados anteriormente, como LER e DORT.

Fabricante das cadeiras disponíveis na OfficeLab oferece seis anos de garantia, tanto para a estrutura quanto para a base.
Fabricante das cadeiras disponíveis na OfficeLab oferece seis anos de garantia, tanto para a estrutura quanto para a base. | Divulgacão

Garantia

André explica que três anos é o mínimo de tempo que o usuário deve considerar para a garantia de uma cadeira razoável. “Aqui na OfficeLab, nosso fabricante oferece seis anos de garantia, tanto para a estrutura quanto para a base, ou seja, garante toda as trocas de peças. Costumo dizer que em nenhuma outra fábrica nacional o cliente vai encontrar uma garantia tão longa e terá  a certeza da qualidade do produto e de que, no mínimo, essa cadeira essa irá ter uma vida útil de dez anos”, afirma.

Classificação hierárquica

Existem diferentes tipos de cadeiras para diferentes cargos, como as cadeiras para presidente, para diretores e gerentes, e as cadeiras operacionais. “O que diferencia, principalmente, é a altura do encosto: a cadeira para presidente possui o encosto um pouco mais alta do que uma cadeira para diretor, e assim sucessivamente. Mas, é importante ressaltar que a questão ergonômica segue a mesma. Uma cadeira operacional também deverá proporcionar conforto e postura correta ao usuário” enfatiza.

Qualidade

É preciso estar atento à qualidade da cadeira e às classificações dos mecanismos. “Trabalhamos com a excelência dos produtos do nosso fabricante, a Cavaletti. As cadeiras produzidas por eles apresentam uma classificação de atender a 70 mil batidas de pistão, um dos componentes da cadeira. Já as cadeiras de menor qualidade, baixo custo e que normalmente são vendidas pela internet ou em grandes supermercados, por exemplo, tem uma classificação bem baixa e muitas vezes com 100 batidas o pistão já apresenta problemas”, explica André.

Por isso, a OfficeLab preza por fábricas que tenham comprometimento com o desenvolvimento do produto, com a entrega e sobretudo com o usuário final. “A Cavaletti é nossa parceira, com uma média de 23 linhas. Além disso, todas as cadeiras são produzidas em conformidade com a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), o que traz a garantia de qualidade ergonômica e faz com que o cliente saiba que, se ele tiver uma mesa dentro das normas, a cadeira se encaixará perfeitamente a ela”.

Para conhecer toda a linha de cadeiras oferecidas pela OfficeLab, acesse www.officelab.com.br/cadeiras/