Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Curitiba
  3. Chuva e ventos de 100 km/h deixam dois mortos e rastro de destruição em Itaperuçu

Tragédia

Chuva e ventos de 100 km/h deixam dois mortos e rastro de destruição em Itaperuçu

Simepar descarta que tenha sido um tornado e diz que o fenômeno que atingiu a cidade de Itaperuçu foi uma microexplosão, em que um forte jato de vento desce ao solo de uma única vez, causando estragos

  • Da Redação
Algumas casas ficaram completamente destruídas | Lineu Filho/Tribuna do Paraná
Algumas casas ficaram completamente destruídas Lineu Filho/Tribuna do Paraná
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Depois dos estragos causados pelo temporal de ontem, o sábado (1.º) tem sido de muito trabalho para os moradores de Itaperuçu, município de 28 mil habitantes que fica a cerca de 30 quilômetros de Curitiba. Todos os bairros da cidade tiveram casas destruídas pela força do vento e da chuva. A situação mais grave aconteceu em Jardim Itaú, onde dois adolescentes de 14 e 16 anos morreram no momento em que um muro desabou sobre eles durante a tempestade.

Cerca de 13,7 mil residências ainda estavam sem energia elétrica em Itaperuçu, Bocaiúva do Sul e na área rural de Rio Branco do Sul. De acordo com a Copel, as equipes trabalham desde a madrugada para recompor o sistema elétrico nestes municípios, que foram fortemente atingidos pelo temporal que atingiu a região de Curitiba nesta sexta-feira (30).

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/12/01/Curitiba/Imagens/Cortadas/WhatsApp Image 2018-12-01 at 01.00.51-kZmC-ID000002-1024x682@GP-Web.jpeg
Muro desabou sobre dois jovens de 14 e 16 anos, que morreram soterrados.Lineu Filho/Tribuna do Paraná

Foi um tornado?

Pelo tamanho dos estragos, a suspeita era a de que a cidade teria sido atingida por um tornado. A informação foi descartada pelo Simepar. De acordo com o meteorologista Samuel Braun, com base nas informações e imagens disponíveis dos estragos observados nos municípios, é mais provável que Itaperuçu tenha sigo atingida por uma microexplosão, um fenômeno meteorológico menos conhecido, porém, muito semelhante a um tornado. A principal diferença segundo Braun é que, basicamente, na micro explosão não há a formação do cone.

“A microexplosão é como se toda aquela quantidade de chuva que está condensada na nuvem caísse no solo de uma única vez, acompanhada de fortes rajadas de ventos”. Esse fenômeno provoca um forte estouro, muito semelhante a uma explosão e costuma provocar muitos estragos, explica.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/12/01/Curitiba/Imagens/Vivo/47465402_384020509035513_2870694782743609344_n.jpg
Vento forte deixou um rastro de destruição.Lineu Filho/Tribuna do Paraná

O fenômeno extremo que causou estragos na região é compatível com a linha de instabilidade que se formou ao longo do dia, composta pelo avanço de um frente fria na região e pelo tempo muito quente e abafado. De acordo com Braun, os dados da estação meteorológica de Cerro Azul, uma das mais próximas de Itaperuçu e Rio Branco do Sul, os ventos alcançaram os 78,5 km/h entre as 19 e 20 horas. “Há uma chance enorme de termos tido ventos acima de 100 km/h, mas ainda não sabemos quanto”, disse ele

Na sexta-feira (30), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) colocou o Paraná em alerta laranja. O aviso previa que a chuva poderia acompanhada de ventos intensos e até mesmo queda de granizo em pontos isolados.

Neste sábado, o dia amanheceu com muita nebulosidade em todo o Paraná, porém, com poucos registros de chuva. Não há previsão de ocorrências semelhantes ao temporal registrado na sexta-feira na região metropolitana de Curitiba.

Segundo Braun, do Simepar, o fenômeno já se afastou do estado em direção ao Sudeste.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/12/01/Curitiba/Imagens/Cortadas/WhatsApp Image 2018-12-01 at 01.09.43-kQ7F-U204110888062Al-1024x682@GP-Web.jpeg
Lineu Filho/Tribunal do Paraná

Chuva em Curitiba

A chuva forte causou alagamento e quedas de árvore em Curitiba e região. A Rua Visconde de Nácar, no Centro de Curitiba, voltou a alagar na tarde de sexta-feira.  Segundo a prefeitura da capital, a Defesa Civil do município registrou 19 ocorrências entre 17h30 e 22 horas, todas para quedas de galhos e de duas árvores

As ocorrências foram nos bairros CIC, Portão, Pinheirinho, Bairro Novo e Boqueirão. Além dos galhos, quatro casas na CIC tiveram danos nos telhados e receberam lonas da Guarda Municipal. No Parolin, uma família ficou desabrigada e foi atendida pela Fundação de Amparo Social (FAS).

Cerca de 25 mil imóveis chegaram a ficar sem energia elétrica na capital, mas a situação foi totalmente normalizada ainda na noite de sexta (30), de acordo com informações da Copel.

Durante a madrugada deste sábado, equipes da Prefeitura de Curitiba trabalharam na limpeza da cidade, recolhendo galhos e entulhos trazidos pela chuva.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE