Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
PM acompanha mobilização do Sindicato dos Metalúrgicos em Curitiba desde o dia 10 de setembro.
PM acompanha mobilização do Sindicato dos Metalúrgicos em Curitiba desde o dia 10 de setembro.| Foto: Colaboração

A Polícia Militar (PM) acompanha há uma semana a mobilização do Sindicato dos Metalúrgicos na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Desde o dia 10 de setembro, trabalhadores de pelo menos quatro indústrias estão em paralisação. Porém, uma decisão da Justiça permite que os funcionários que quiserem trabalhar possam entrar nas fábricas.

RECEBA NOTÍCIAS DE CURITIBA NO WHATSAPP

Na manhã desta sexta-feira (17), ao menos seis viaturas da PM estavam em frente a uma das empresas. Além disso, o Batalhão de Choque também estava no local. Segundo o comando da Polícia Militar, os policiais acompanham a movimentação para garantir o cumprimento de um interdito proibitório expedido pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que permite a entrada dos funcionários que queiram trabalhar. De acordo com a PM, não há até o fim da manhã desta sexta-feira registro de nenhuma ocorrência, apenas desentendimentos menores.

Policiais do Choque chegaram a se posicionar no portão de uma das empresas da CIC nesta sexta.
Policiais do Choque chegaram a se posicionar no portão de uma das empresas da CIC nesta sexta.| Colaboração

Sobre a presença do Choque, a PM informa que o batalhão só foi chamado quando houve ameaça de tumultos. Na manhã desta sexta, os policiais do Choque chegaram a se posicionar no portão de uma das fábricas, mas não houve confronto.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, o calendário é de negociação da data-base dos trabalhadores dos setores de máquinas e metalurgia. Porém, o sindicato patronal não teria aceitado abrir a negociação, fazendo com que o sindicato tentasse abrir um canal diretamente com as empresas. A reportagem procurou a empresa onde houve manifestação nesta sexta e aguarda o posicionamento.

O Sindicato dos Metalúrgicos convocou assembleia-geral com os trabalhadores de uma das fábricas para às 10h deste sábado (18). Na pauta, as decisões sobre que medidas serão tomadas a respeito da paralisação.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]