i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
dicas

Saiba como identificar se as árvores de Curitiba correm ou não risco de cair

  • PorGazeta do Povo
  • 14/03/2019 20:30

A cada nova tempestade, é a mesma história: diversas árvores caem e complicam o trânsito e a vida do curitibano. No temporal de 6 de março não foi diferente. Segundo balanço da prefeitura, pelo menos 11 árvores tombaram, inclusive dentro de casas e sobre carros — e, por sorte, ninguém ficou ferido. Em seu perfil no Facebook, o prefeito Rafael Greca chegou a compartilhar algumas dicas de segurança para casos assim e uma das recomendações é que a população fique atenta à saúde da arborização urbana. Mas como se faz isso?

Para o biólogo responsável pela Gerência de Arborização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), Luiz Felipe Moscaleski Cavazzani, qualquer pessoa pode identificar se uma árvore está ou não saudável a partir de uma rápida observação em busca de possíveis problema. Segundo ele, isso permite que a população informe a prefeitura os pontos de perigo, minimizando os riscos.

Restaurante Jatão: onde a noite decolava em Curitiba ao som da Disco Music

Danos físicos

A primeira coisa que uma pessoa deve procurar na hora de observar a saúde de uma árvore é a situação do tronco em si. “Para o leigo conseguir fazer uma pequena análise da sanidade da planta é [preciso] ver se tem algum dano físico”, explica Cavazzani. Entre os sinais mais aparentes de problemas são buracos ou mesmo a presença de alguma parte oca.

Memorial da Cultura Cigana: Curitiba deve ganhar mais um espaço em homenagem a um povo

“Se você vê uma coloração diferente no tronco ou no galho, é um sinal. Além disso, se você passa a mão e percebe que a madeira está esfarelando, é outro indicativo de que algo está errado”, exemplifica o especialista.

Outro ponto que pode ser identificado apenas com o olhar é a própria inclinação da estrutura. Segundo o biólogo, algumas árvores têm naturalmente algum tipo de inclinação e não há nada de errado com isso. Contudo, se você perceber que aquela árvore na frente da sua casa está com uma angulação diferente, isso pode significar que tem algum problema na raiz, por exemplo.

Movido a dejetos: Curitiba vai testar ônibus que usa material orgânico como combustível

Impermeabilização do solo

De acordo com Cavazzani, um dos problemas mais recorrentes com as árvores de Curitiba é causado pela própria população. “Quando a pessoa cimenta a calçada próximo do tronco, isso acabar causando um prejuízo para toda a árvore. Ela não vai conseguir pegar nutrientes do solo e isso acaba apodrecendo a raiz”, explica o especialista. Segundo ele, esse tipo de situação é bem comum principalmente por questão de desconhecimento.

Por isso, ele diz que o ideal é que as calçadas sejam colocadas em um raio de um metro da base do tronco, o que garante que o solo próximo à raiz receba a água necessária para que a planta se mantenha saudável. “Além disso, o corte de raízes também não é recomendado. Mesmo quando elas atingem as calçadas, o ideal é fazer algum tipo de elevação e se adequar à estrutura da árvore”, afirma. “Só isso, já ajudaria muito a diminuir problemas”.

Agentes externos

Outro problema bastante comum em relação às árvores da cidade são os agentes externos. São pragas que atacam a planta e comprometem toda sua estrutura. Isso inclui insetos, fungos e até mesmo outros vegetais — e que nem sempre são identificados na primeira olhada.

Segundo Cavazzani, o parasita mais comum nas árvores de Curitiba é a erva de passarinho, uma outra planta que se fixa no tronco e passa a roubar nutrientes da hospedeira. “É muito difícil para uma pessoa leiga identificar a erva de passarinho, porque ela é um tipo de cipó que fica no meio da planta”, explica o biólogo, que destaca que a praga não chega a matar a árvore, mas pode gerar outros tipos de problemas. “Ela vai pesar e derrubar galhos, por exemplo”.

Uma forma bastante eficiente de saber se a sua árvore está sendo atacada pela erva de passarinho é procurar por folhas diferentes. Além disso, se a árvore perde as folhas em determinada época do ano e somente uma pequena parte permanece verde, pode ser um indicativo de que ela tem um parasita por ali. Nesses casos, é preciso ligar para o 156.

Já insetos e fungos são mais fáceis de observar, seja pela presença de pequenos pontos no tronco que revelam a existência de pragar internas ou mesmo por cogumelos — como a orelha-de-pau.

O que fazer

Seja qual for o problema identificado, a recomendação da SMMA é que a pessoa sempre ligue para a Central 156 para informar a condição da árvore. Somente as equipes da prefeitura podem fazer a poda ou o corte.

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 5 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • R

    RONALD PEDRO CATARINO

    ± 0 minutos

    A busca de informação consolidará nossas decisões.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • K

      Klin

      ± 143 dias

      É uma bela aula para a identificação das árvores doentes. Pena que quando se chama a prefeitura para fazer a poda ou remover tais árvores só aparecem quando elas realmente caem e impedem o trafego ou interrompem o fornecimento de energia.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • R

        Ricardo

        ± 143 dias

        Perguntei uma vez para um biólogo que trabalhava para a Prefeitura sobre os tipos de árvores, relacionadas ao problema de quedas. Ele respondeu: são dois tipos - as que caíram e as que vão cair. Piada à parte, quis ele dizer que muitas árvores ainda iriam cair e não era preciso nenhum especialista para ver quais eram. As podas irregulares, as espécies inadequadas, fazem de muitas ruas de Curitiba verdadeiras armadilhas. Outro ponto que não observam é que muitas estão plantada nos lados das ruas que têm fios de telefone ou luz; e continuam plantando assim as novas árvores. Qualquer um vê que isso está errado. Vai exigir podas que as tornarão desequilibradas, além de impedir a luz dos postes.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • F

          Francisco Krupa

          ± 143 dias

          A grande maioria corre risco de queda. São árvores enormes e não sao nativas daqui.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • J

            JOSE DE PAULA

            ± 144 dias

            SERA QUE OS FUNCIONARIOS DA PREFEITURA NÃO PODERIAM FAZER UM FAVOR AO POVO E EXAMINAR AS ARVORES ..AFINAL PRA QUE SE PAGA IMPOSTO .....

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            Fim dos comentários.