Pedreira do Orleans deverá fornecer água para o sistema do Passaúna por quatro meses
Pedreira do Orleans deverá fornecer água para o sistema do Passaúna por quatro meses| Foto: Divulgação / Sanepar

A água acumulada no lago da Pedreira Orleans, em Campo Magro, na região metropolitana de Curitiba, está sendo bombeada para o Rio Passaúna a uma velocidade de 150 litros por segundo. Do rio, a água escoa para o reservatório da Barragem do Passaúna, um dos principais para abastecimento de Curitiba.

RECEBA notícias do Paraná pelo WhatsApp

A operação, iniciada na última sexta-feira, é considerada estratégica pela Sanepar, porque, além de obter água de alta qualidade e em grande volume, oferece um diferencial logístico: não há necessidade de construção de adutoras para transferir a água, somente uma ligação por dois dutos de 150 metros de extensão já é suficiente.

A empresa ainda explica que toda a produção será escoada no leito do rio que levará, por um trecho de sete quilômetros, até o reservatório. Os 150 litros por segundo representam 8% da capacidade de reservação do Passaúna e a operação deve durar quatro meses.

Para o diretor de operações da Sanepar, Paulo Dedavid, esta é mais uma medida adotada pela companhia neste período de estiagem, para garantir a reserva do sistema abastecimento. “Essa é uma estratégia da Sanepar”, disse Dedavid.

Segundo ele, a primeira pedreira usada de maneira semelhante foi a da Malhada, em São José dos Pinhais, que joga água direto no Rio Miringuava e contribui com a estação de tratamento.

“A do Orleans tem um volume de 1,7 milhão de metros cúbicos suficientes para o funcionamento de 12 dias da Estação de Tratamento de Água Passaúna, que produz 2 mil litros/segundo. Vai economizar água represada da Barragem do Passaúna nesse período de estiagem”, afirmou o diretor de operações da Sanepar.

Miringuava

Em outra frente, a Sanepar acelera as obras da Barragem do Miringuava, em São José dos Pinhais, também na região metropolitana de Curitiba. Prevista para ser concluída em dezembro deste ano, com investimentos de R$ 160 milhões, a barragem vai adicionar 38 bilhões de litros de água na reservação do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba (Saic), formado pelas barragens Iraí, Passaúna, Piraquara I e Piraquara II.

A capacidade de produção de água do Miringuava passará dos atuais 1.000 litros/segundo para 2.000 litros/segundo, abastecendo cerca de 650 mil habitantes. “

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]