Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR)
Senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR)| Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O Senado deu aval nesta quinta-feira (2) para a prefeitura de Curitiba contratar dois empréstimos internacionais, com garantia da União. O dinheiro deve ser usado para cobrir parcialmente o aumento da capacidade da linha de ônibus Inter 2 e também para a transformação do bairro Caximba, região que já abrigou o “lixão” da cidade. As duas mensagens, cuja relatoria coube ao senador paranaense Oriovisto Guimarães (Podemos), já seguem para a promulgação.

RECEBA notícias do Paraná pelo WhatsApp

O primeiro empréstimo, para mobilidade urbana, seria feito junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 106,7 milhões. “O ônibus Interbairros corta 35 bairros de Curitiba. Esse projeto vai criar uma linha exclusiva para esse ônibus, que beneficia uma população enorme da cidade. Estações-tubo serão instaladas, haverá também uma ciclovia”, explicou o senador, ao defender a aprovação do texto, durante sessão remota do Senado.

O desembolso ocorreria em parcelas anuais até o ano de 2025. Pelo cronograma estimado, ainda neste ano de 2020 seriam liberados US$ 350 mil pelo BID, mas isso ainda depende da data da assinatura do contrato de empréstimo. Por outro lado, a prefeitura de Curitiba teria quase 20 anos (234 meses) para pagar o empréstimo, depois de uma carência de 66 meses.

Caximba

Já o segundo empréstimo, para a recuperação ambiental e transformação urbana do Caximba, seria feito junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), no valor de mais de 38 milhões de euros (€ 38.141.124,00 milhões).

“Esse projeto é de longo prazo. O programa tem como objetivo preparar Curitiba para os efeitos das mudanças climáticas, principalmente no tocante a alagamentos e à ocupação de áreas vulneráveis, com microdrenagens. Os gastos beneficiarão 10.400 habitantes e, de forma indireta, 668 mil pessoas, inclusive em municípios limítrofes a Curitiba”, defendeu Oriovisto.

A AFD liberaria parcelas anuais até 2024 – no ano de 2020, seriam mais de 5 milhões de euros (€ 5.141.124,00). A prefeitura de Curitiba teria 30 prestações semestrais consecutivas para pagar. A primeira venceria em até 66 meses contados a partir da data de assinatura do contrato de empréstimo.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]