i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
meio ambiente

Tartarugas gigantes ameaçadas de extinção morrem no Litoral do PR

Animais foram encontrados nas duas últimas semanas e preocupam biólogos, já que a espécie é a mais ameaçada de extinção

  • PorMarcos Xavier Vicente
  • 22/11/2018 17:56
Tartaruga de couro encontrada em Guaratuba tinha 1,50 m de carcaça. | Colaboração/
Tartaruga de couro encontrada em Guaratuba tinha 1,50 m de carcaça.| Foto: Colaboração/

A morte de sete tartarugas de couro nas últimas duas semanas no Litoral do Paraná preocupa os biólogos. Também conhecido por tartaruga gigante, por ser a maior espécie em todo mundo, o animal está extremamente ameaçada de extinção. A cada mil filhotes que nascem, apenas um, em média, chega à vida adulta, quando pode chegar a medir 2 metros de comprimento e a pesar 500 kg.

Vídeo mostra remoção das tartarugas mortas da orla

“Cada tartaruga dessa que chega à vida adulta é uma vitória, porque ela leva 20 anos para crescer, em média. São verdadeiras sobreviventes. Por isso a preocupação é grande”, enfatiza a bióloga Camila Domit, do Centro de Estudos do Mar da Universidade Federal do Paraná (CEM-UFPR), que vai comandar a necropsia de cada um dos sete répteis recolhidos para tentar descobrir a causa das mortes. Em um dos animais, a equipe do CEM-UFPR já encontrou plástico no início do sistema digestivo, o que indica que o animal se alimentou de lixo no mar.

A mais recente tartaruga de couro morta nas praias do Paraná foi encontrada quarta-feira (21) na Praia de Coroados, em Guaratuba. O animal também é o maior das sete encontradas, com a carcaça medindo 1,50 m, o que leva a equipe do CEM-UFPR a deduzir que ela tinha entre 20 e 25 anos. De tão grande, terá que ser removida da orla com a ajuda de uma retroescavadeira.

Os outros seis animais foram achados ao longo da orla entre Matinhos e Pontal do Paraná. Duas estavam em estado avançado de decomposição, o que dificulta o exame da causa da morte.

- Leia também - Ibama decide capturar macaco que feriu bebê: família está em choque

Camila explica que com a proximidade do verão, as tartarugas em geral se aproximam das praias pelo avanço das águas vivas, que servem de alimento para elas. Entretanto, como nos últimos dias houve uma incidência maior de ventos no sentido oceano-continente, o volume de águas vivas pode ter sido maior, o que trouxe mais tartarugas para perto da orla. Consequentemente, mais animais têm sido encontrados mortos, de todas as espécies de tartarugas, não só a de couro. “Alguns destes animais podem ter morrido no mar e a carapaça vindo com esse vento”, aponta a bióloga.

- Veja mais - Curitiba terá fogos de artifício sem barulho na comemoração do Natal

Ação humana

Mesmo assim, Camila não descarta que as tartarugas tenham sido vítimas da ação humana. Além da probabilidade de ter plástico no sistema digestivo, elas podem ter morrido presas em redes de pesca. Das sete tartarugas de couro encontradas mortas, duas tinham raspões na cabeça que indicam que podem ter ficado presas a redes. O CEM-UFPR entrou em contato com centros de preservação de tartarugas em Santa Catarina para que também fiquem atentos às condições da tartarugas de couro que frequentam o litoral de lá.

Camila lembra que uma tartaruga de couro que costumava depositar ovos em Pontal do Paraná foi encontrada morta em 2015 após ficar presa em uma rede de pesca. O animal depositou ovos em Pontal por três anos seguidos.

Vídeo mostra remoção das tartarugas mortas da orla

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.