i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Paralisação

Aeronautas e aeroviários aguardam conciliação do TST

  • PorDa Redação, com Reuters
  • 22/01/2015 21:16
Funcionários da aviação civil protestaram em Congonhas | Vic Mart/Fotos Publicas
Funcionários da aviação civil protestaram em Congonhas| Foto: Vic Mart/Fotos Publicas

Aeronautas e aeroviários de todo o país suspenderam a greve que paralisou os aeroportos por uma hora na manhã de ontem para aguardar a mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que tem audiência marcada sobre o caso para hoje. "A assembleia aprovou por unanimidade a suspensão da greve e vai aguardar agora os trâmites no Poder Judiciário", disse o vice-presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Rodrigo Spader.

As duas categorias cruzaram os braços entre 6 e 7 horas, o que gerou atrasos e cancelamentos. Em balanço divulgado às 20 horas, a Infraero informou que 17,7% dos voos que saíram dos aeroportos operados pela estatal – que não inclui o de Guarulhos (SP) e o de São Gonçalo do Amarante (RN) – sofreram atrasos e 7,7% foram cancelados. Entre os voos internacionais, de acordo com a Infraero, houve 7,8% de atrasos e nenhum cancelamento. No Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, 23% dos voos atrasaram e 9,2% não decolaram. "A categoria entendeu que já demonstrou sua força hoje [ontem] com adesão quase total dos aeronautas, paralisamos quase todas as operações aéreas no período estipulado."

As categorias reivindicam 8,5% de reajuste salarial, enquanto as empresas apresentaram proposta de 6,5%. Durante a paralisação, trabalhadores realizaram protestos com faixas no saguão de alguns aeroportos. Passageiros que tentavam embarcar tiveram de aguardar em longas filas até a volta dos funcionários ao trabalho.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.