i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
consumo

Agrícolas pressionam atacado

  • Por
  • 14/09/2010 21:23

O forte desempenho dos produtos agropecuários, do lado do atacado, e o retorno dos preços do varejo para o campo inflacionário foram os principais fatores que fizeram com que o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) continuasse se acelerando em sua primeira prévia de setembro, anunciada ontem pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A avaliação é de analistas do Banco Fator e do Bradesco, que acreditam que itens agrícolas seguirão sustentando o indicador. O índice variou 0,99%, acima do 0,42% registrado no primeiro decêndio de agosto e do 0,77% do fechamento do mês passado.

"Contando-se as prévias e indicadores cheios do IGP-M, essa já é a quinta vez consecutiva em que há aceleração (desde o IGP-M fechado de julho)", observaram economistas do Banco Fator. Eles chamaram atenção para a forte aceleração apresentada pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), de 0,75% na primeira prévia de agosto, para 1,44% agora. O arrefecimento do minério de ferro, de 16,92% para 4,98%, foi compensado por itens como algodão, milho e carne bovina – todos abandonaram a deflação mostrada no primeiro decêndio de agosto. O óleo de soja, que havia ficado estável, pulou para uma alta de 23,20%.

Fim da deflação

Os dois bancos também chamaram atenção para a migração do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do campo negativo para o positivo – de -0,40% na primeira prévia de agosto para 0,16% agora. Com isso, o índice interrompeu três meses consecutivos de deflação.

"O 1.º decêndio do IGP-M de setembro mostra que a inflação ao consumidor voltou a acelerar no fim de agosto, com o fim da deflação nos grupos Alimentação e Vestuário. O IPA mostrou que, mesmo com a menor variação do preço do minério de ferro, o IPA agrícola será fonte de inflação ao produtor nos próximos me­­ses", escreveram os analistas do Fator. No Bradesco, os economistas compartilham a visão de que os itens agropecuários seguirão sustentado o índice: "Esperamos continuidade do movimento apresentado pelos produtos agrícolas nessa prévia".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.