i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Inflação

Alimentos pressionam IGP-M, mas energia e salário compensam

  • PorReuters/Brasil Online/Globo Online/ Globo.com
  • 30/07/2007 07:26

A inflação pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) acelerou apenas ligeiramente em julho, mês em que a contínua alta dos custos de alimentos foi contrabalançada pelo fim do efeito dos dissídios salariais na construção.

O indicador avançou 0,28 por cento, ante alta de 0,26 por cento em junho, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira. Analistas consultados pela Reuters projetavam avanço de 0,25 por cento.

O Índice de Preços por Atacado (IPA) subiu 0,26 por cento, acima da alta de 0,01 por cento no mês anterior.

O IPA agrícola elevou-se em 1,75 por cento em julho, contra 0,11 por cento em junho. Já o IPA industrial acelerou a queda, para 0,21 por cento, ante baixa de 0,03 por cento no mês passado.

As principais altas individuais no atacado foram de bovinos (+5,84 por cento), leite in natura (+9,73 por cento), soja em grão (+2,31 por cento), aves (+8,84 por cento) e ovos (+4,18 por cento).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou 0,34 por cento em julho, ante elevação de 0,35 por cento em junho.

Os custos de Alimentação aceleraram e registraram a maior alta entre os grupos do IPC, de 1,23 por cento, devido às elevações do leite longa vida (de 16,60 por cento em julho ante 11,80 por cento em junho), mamão papaia, manga e cigarro.

Por outro lado, refletindo a queda da tarifa de energia elétrica em São Paulo, os preços de Habitação declinaram 0,24 por cento neste mês, seguindo a alta de 0,40 por cento.

A tarifa de energia foi a maior queda individual no varejo, de 2,56 por cento.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou um aumento de 0,21 por cento, bem abaixo do salto de 1,67 por cento do mês anterior.

Os custos de Mão-de-Obra subiram 0,07 por cento, depois do forte aumento de 2,94 por cento em junho, mês em que os salários costumam ser reajustados em várias capitais do país.

"A desaceleração foi consequência de impactos decrescentes de reajustes salariais, por ocasião da data-base, nas cidades de Brasília, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Rio de Janeiro e São Paulo", disse a FGV em nota.

"Ao mesmo tempo, começaram a ser captadas elevações nas cidades de Curitiba e Porto Alegre."

O IGP-M de junho corresponde à variação dos preços entre os dias 21 de maio e 20 de junho.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.