i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Energia

Aneel leiloa 231 projetos de geração

  • PorFernando Jasper
  • 19/12/2011 21:22

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) leiloa hoje as concessões de cinco usinas hidrelétricas de porte médio e outros 226 empreendimentos, entre termelétricas a biomassa, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e parques eólicos. A capacidade total desses projetos, que terão de entrar em operação até 2016, será de quase 6,3 mil megawatts (MW), potência capaz de abastecer 18 milhões de pessoas.

A exemplo do que ocorreu nas últimas licitações, as usinas movidas a vento são maioria. A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do governo federal, habilitou para o leilão 205 parques eólicos, com potência conjunta de 5.149 MW, pouco mais de 80% de toda a capacidade inscrita no certame. A Companhia Paranaense de Energia (Copel) tem interesse na fonte eólica e provavelmente participará do leilão.

Também estão habilitadas 13 termelétricas movidas a bagaço de cana-de-açúcar, que somam 602 MW, e oito PCHs, de 147 MW. Nas modalidades eólica, biomassa e PCH, os empreendedores não poderão cobrar mais de R$ 112 pelo megawatt-hora (MWh) que será gerado.

As cinco hidrelétricas em disputa terão 388 MW. A maior é a de São Roque, no Rio Canoas, em Santa Catarina. O projeto, que prevê uma hidrelétrica de 135 MW no limite entre Vargem e São José do Cerrito, na região central do estado, tem tarifa máxima de R$ 123 por MWh e interessa à Copel. Mas a empresa não confirmou se participará do leilão nem se o fará sozinha ou em consórcio – na semana passada, ela se destacou ao arrematar, em diferentes sociedades, quatro dos nove lotes de transmissão licitados pela Aneel.

Além de São Roque, a agência reguladora vai leiloar a oferta adicional (70 MW) da hidrelétrica de Santo Antônio do Jari, entre Amapá e Pará, por até R$ 82 o MWh; e três usinas com capacidade total de 183 MW no Rio Parnaíba, entre Piauí e Maranhão, a um preço-teto de R$ 101 por MWh.

Outros três empreendimentos que estavam na mira da Copel foram excluídos do leilão por falta de licença ambiental. Todos estão previstos para o Rio Teles Pires, em Mato Grosso, onde a companhia paranaense já constrói a usina de Colíder (300 MW).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.