i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Funcionalismo

Aposentados invadem Petrobras e pedem reajuste em pensões

A intenção dos manifestantes é dormir no local até serem atendidos pela presidente da estatal, Graça Foster

  • PorFolhapress
  • 30/09/2014 18:58

Um racha no movimento sindical dos petroleiros sobre a proposta de reajuste da Petrobras resultou na noite desta terça-feira (30) na invasão de sede da estatal, no Rio, por de cerca de 80 aposentados e pensionistas da companhia. Eles invadiram o saguão do prédio e tentaram pular catracas e invadir a área elevadores para chegar ao andar da diretoria da estatal. Eles foram impedidos por seguranças da empresa, que também não permitiram a entrada de colchonetes no edifício. A intenção dos manifestantes é dormir no local até serem atendidos pela presidente da estatal, Graça Foster.

A divisão no movimento sindical ocorre porque a maioria dos funcionários da ativa e inativa da Petrobras são ligados à Federação Única dos Petroleiros (FUP), que já aprovou o acordo salarial deste ano proposto pela Petrobras (9,71% de reajuste). Os aposentados não têm direito a esse percentual e seu salário é corrigido apenas pela inflação do período (6,51%).

Já os sindicatos ligados à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), que conta com menos filiados, ainda quer negociar um aumento superior ao oferecido pela estatal (9,71%) para os trabalhadores atuais da empresa. Dirigentes da entidade dizem que a FUP fechou o acordo com a Petrobras para não prejudicar a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). A FUP, ligada à CUT e ao PT, conta com 13 sindicatos.

Já a FNP, cujo principal sindicato é o dos petroleiros do Rio de Janeiro, se alinha ao PSTU. A federação tem cinco sindicatos.Segundo a FNP, o objetivo do encontro com a presidente da estatal é obter o compromisso de Foster de pressionar a Petros (fundo de pensão da estatal e responsável pelo pagamentos de aposentados e pensionistas) a voltar a conceder o mesmo reajuste dos funcionários da ativa -inclusive retroativo aos anos em que os benefícios foi desvinculado.

Em nota, a Petrobras disse que "apresentou sua última proposta para o Acordo Coletivo de Trabalho 2014 no dia 24" e que ela "está sendo aprovada nas unidades da companhia."Sobre a manifestação, a estatal afirmou que a área de Recursos Humanos da companhia, responsável pelas negociações trabalhistas, "já se colocou à disposição para recebê-los."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.