i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Indústria

Por que empresas estão deixando a Argentina

  • 21/07/2020 10:30
Fábrica da Honda no Brasil
Fábrica da Honda em São Paulo: montadora decidiu deixar de produzir automóveis na Argentina. Brasil é um dos países que pode receber a demanda.| Foto: Divulgação/Honda

A notícia de que empresas multinacionais estariam trocando a Argentina pelo Brasil, por causa da eleição de Alberto Fernández para presidente no país vizinho, provocou especulações sobre o que seria uma “debandada” do setor produtivo em terras argentinas.

Os casos já anunciados, entretanto, apontam que, na verdade, os movimentos são pontuais, e não constituem uma “migração em massa” de empresas para o Brasil – ao menos por enquanto. Os indicativos, ao contrário, são de que as mudanças dizem respeito a novas estratégias das empresas envolvidas, a maioria ligada ao setor automotivo.

Até agora, são três as grandes companhias que anunciaram a transferência de ao menos parte de suas operações para o Brasil: a alemã Basf e a norte-americana Axalta, ambas do segmento de tinta e resina para automóveis; e a francesa Saint-Gobain Sekurit, que fabrica vidros de para-brisa para veículos.

A montadora japonesa Honda, por sua vez, anunciou que deixará de produzir automóveis na Argentina, mas não definiu ainda para onde irá transferir essa fábrica.

Fora do setor automotivo, a Latam fechou sua subsidiária argentina em junho. O caso da companhia aérea, entretanto, é diferente dos demais: a Latam enfrenta dificuldades em outros países em que opera, por causa da pandemia do novo coronavírus. A subsidiária da Latam no Brasil também está com problemas, e entrou no processo de recuperação judicial da companhia nos EUA. Na Argentina, o fechamento veio depois de anos de crise, agravados pelo subsídio estatal à Aerolíneas Argentinas.

Transferência da produção para o Brasil não implicou fechamento na Argentina, dizem empresas

Entre as três empresas que decidiram transferir parte das operações para o Brasil, além disso, apenas a Axalta afirma ter decidido, de fato, encerrar suas operações na Argentina. Em nota enviada à Gazeta do Povo, a empresa afirma que “se viu forçada” a deixar o país “por conta da situação econômica e do impacto causado pela Covid-19”. A planta da Axalta na Argentina ficava em Escobar, cidade a 50 quilômetros de Buenos Aires, e empregava 100 funcionários.

Nos outros casos, porém, as empresas transferiram parte de suas operações para o Brasil – mas, ainda assim, mantiveram atividade em território argentino. A Saint-Gobain Sekurit, que produz para-brisas e atendia às montadoras Chevrolet e Renault em solo argentino, afirmou, também em nota encaminhada à Gazeta do Povo, que a transferência da produção para o Brasil é temporária.

De acordo com o texto, os ativos industriais da empresa na Argentina foram mantidos, “na expectativa de uma possível retomada do mercado”. “Essa medida foi necessária para garantir a sustentabilidade da operação. A empresa permanece atuando no país, atendendo ao mercado de reposição. (...) A Sekurit garante a continuidade das operações na Argentina, mantendo as atividades da unidade localizada em Tortuguitas, bem como seu compromisso com o mercado local”, completa a nota.

O fechamento da fábrica da Saint-Gobain Sekurit em Córdoba envolveu um plano de demissão voluntária de 150 funcionários, segundo noticiou o jornal argentino Clarín. A empresa mantém, ainda, um armazém na cidade de Tortuguitas (a 40 quilômetros de Buenos Aires) e um distribuidor em Córdoba, que seguem em atividade.

De forma semelhante, a alemã Basf redesenhou suas operações e anunciou que irá transferir a produção de tinta para carros da fábrica em Tortuguitas para São Bernardo do Campo, em São Paulo, no segundo semestre de 2021.

De acordo com o que disse a companhia ao jornal argentino Clarín, o fechamento da planta em Tortuguitas deve afetar 60 colaboradores – mas toda a estrutura comercial, administrativa e técnica que já existe será mantida em território argentino. Outros produtos da empresa do setor químico, além disso, continuarão a ser fabricados no país.

Segundo apurou o Clarín, a mudança da produção para São Bernardo do Campo está relacionada à capacidade ociosa da estrutura mantida pela Basf no Brasil. “Lá [no Brasil] a empresa é mais competitiva e ninguém tem expectativas de que a demanda volte ao nível registrado há alguns anos, quando o Brasil chegou a produzir quase quatro milhões de veículos [por ano]”, disseram fontes do setor ao periódico argentino.

A Basf não respondeu ao pedido de entrevista enviado pela Gazeta do Povo.

Produção do HR-V, da Honda, ainda não tem destino definido

No caso da Honda, por fim, as alterações já haviam sido anunciadas bem antes da pandemia. Em agosto de 2019, a empresa comunicou que a subsidiária argentina, que até então produzia motocicletas e automóveis, deixaria de produzir os carros do modelo HR-V em 2020. Com isso, a planta localizada em Campana (a 80 quilômetros de Buenos Aires) passou a focar suas operações no segmento de motocicletas.

“Visando fortalecer a estrutura do negócio de automóveis, diante das abruptas mudanças da indústria automotiva ao redor do mundo, a Honda tem buscado reforçar a coordenação e colaboração inter-regional, otimizando a alocação e capacidade produtiva de automóveis globalmente”, dizia o comunicado da empresa, no ano passado. O Brasil é um dos países que pode sediar a produção que ocorria na Argentina, mas a decisão ainda não foi tomada pela montadora.

Questionada sobre os casos, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) afirmou que não comenta decisões pontuais de companhias ligadas ao setor.

Mercado consumidor brasileiro é atrativo, mas “migração” não é sistemática

Na opinião de Wagner Parente, CEO da BMJ – consultoria especializada em comércio internacional –, um dos fatores que mais influiu na decisão dessas empresas se relaciona à retomada da economia no período pós-pandemia. "Existe uma perspectiva de determinados setores de que a retomada vai ser mais rápida no Brasil por causa do tamanho do mercado consumidor”, explica.

Já Fernando Ribeiro Leite, professor do Insper, aponta para um reposicionamento nas cadeias globais de valores por parte das empresas transnacionais. “A tendência entre as multinacionais é de priorizar cadeias mais concentradas do ponto de vista geográfico. Essas empresas começaram a compreender que a dispersão geográfica vulnerabiliza a cadeia produtiva. Já que o Brasil é um grande produtor de automóveis, faz sentido deixar os insumos aqui”, avalia.

Ambos descartam que o movimento seja, de fato, uma tendência de "fuga em massa" de empresas da Argentina para o Brasil. “Embora a gente possa lembrar que a Argentina reiteradamente teve crises de fuga de capital produtivo, não só capital financeiro, eu não vejo esse movimento acontecendo agora na economia do país”, completa Leite.

Setor automotivo tem regime de comércio próprio entre Brasil e Argentina

Mais um fator que fortalece a tese de que se trata de um fenômeno pontual do setor automotivo se relaciona ao regime de trocas comerciais entre Brasil e Argentina para exportações e importações de produtos dessa cadeia produtiva. O acordo entre os dois países, chamado “flex”, prevê uma proporção entre importações e exportações de carros e autopeças. Até o ano passado, cada dólar importado pelo Brasil da Argentina deveria equivaler a 1,5 dólar de exportação brasileira ao país vizinho.

A revisão dos termos entre os dois países, em setembro do ano passado, estabeleceu o aumento gradativo do índice até que, em 2029, o setor passe a ter livre comércio. Hoje, a proporção está em 1,8 dólar exportado para 1 dólar importado pelo Brasil. A entrada de carros produzidos em indústrias brasileiras no país vizinho acima da proporção vigente, segundo o acordo, resulta em multas para as montadoras.

“O setor automotivo é muito sensível. Esse arranjo do regime flex foi desenvolvido ao longo do tempo e sempre está sendo rediscutido, com o temor de que todas as empresas argentinas venham para o Brasil, por causa do mercado consumidor. Para o Brasil, interessa manter a Argentina forte, porque é o nosso principal parceiro comercial ”, diz Wagner Parente, da BMJ.

Assim, o acordo flex, segundo ele, é mais um elemento que explica a migração das empresas. “Essa integração sempre foi muito delicada. Como [os presidentes Alberto] Fernández e [Jair] Bolsonaro não têm proximidade, cadeias que dependem de integração produtiva, principalmente o setor automotivo, temem que não haja um aprofundamento dos acordos comerciais do Mercosul", completa Parente.

35 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 35 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • N

    Natan Monteiro

    ± 0 minutos

    Sempre que a esquerda assume o poder na Argentina, estouram casos de corrupção, aumentam a máquina estatal de forma brutal, dão calote nos credores nacionais e internacionais e fazem controle de preços de produtos. Não há país no mundo que aguente isso, e o pior que a população paga o pato. Infelizmente os argentinos pediram isso de volta e já estão sofrendo com a péssima escolha.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Aridney Barcellos

    ± 9 horas

    Parabéns pela reportagem. É desse tipo de imprensa de que precisamos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marcio Martins Cordeiro

    ± 3 dias

    Nenhuma empresa de grande porte quer arriscar seu capital em países com governos comunistas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mário Kume

    ± 3 dias

    O povo colocou a maldita Kirschner no governo. Que os argentinos aguentem...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Salo

    ± 6 dias

    Não se preocupem com a argentina. Se forem aprovados os aumentos de impostos que o Guedes quer para as empresas do Brasil, podem contar que não serão para cá que virão. Com todos os efeitos cascata e tributação de lucros, os impostos passarão de 60%. Não tem empresa que aguente, estes economistas que nunca foram empresários e ficam em gabinetes de Brasilia, nada sabem. E, me surpreende o Afif estar traindo as pequenas e micro empresas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • J

      Jorge Vallim de Medeiros

      ± 23 horas

      Não se surpreenda nem seja pessimista. Já é ruim demais; só pode melhorar. Essa é a proposta e, é o que teremos; um regime enxuto, mais barato de gerir, com ganhos para as empresas e cidadãos, mesmo sem, ainda, reduzir a carga tributária. Impossível agora, em tal cenário de despesas.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • V

    VOTO IMPRESSO JÁ

    ± 7 dias

    ARGENEZUELA ou talvez ARGENCHINA. Mas a elite comunista está bilionária. Pobres hermanos...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Spartacus

    ± 7 dias

    Espero que a Toyota feche fábrica da Hilux em Zarate e comece a produzir a caminhonete em Indaiatuba SP. Baixando o IPVA do veículo que não seria mais considerado importado beneficiará o consumidor da desejada Hilux

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JP

    ± 7 dias

    Trocaram um governo ruim de direita pelo pavor da volta dos socialistas. Mais alguém enxerga alguma coincidência?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    RPM

    ± 7 dias

    Elegeram um presidente socialista. Agora aguentem. Vai ser uma segunda Venezuela.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eder Oliveira Cardoso

    ± 7 dias

    Qualquer crise envolvendo países vizinhos não é boa para o Brasil, más os Argentinos pediram isso. Fazer o que!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paula A S

    ± 8 dias

    Se fossem inteligentes, cultos, não teriam dado essa passo atrás elegendo novamente um governo socialista!!!! Os desempregados do Brasil agradecem, pois estamos precisando de muitas vagas de emprego!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    Bernardo Coelho

    ± 8 dias

    Não consigo acreditar como ainda votam em socialistas. É só olhar ao redor do mundo e ver qual pais deu certo e qual não deu. E quem vier falar que a Escandinávia é socialista, por favor compre um livro de economia.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    MIRIAM CRISTINA

    ± 8 dias

    Lamentável, quanto maior a pujança de nossos vizinhos, melhor seria para o Brasil. Os Argentinos e seus fantasmas do passado. Não aprendem mesmo que devem olhar para frente, país com cultura, educação e capacidade maior do que o Brasil para ser o maior e melhor país da America Latina. Tem que se espelhar no Chile (mesmo com os erros) eles acertaram mais do que nós e por isso estão em outro patamar econômico. E onde começou (reforma da previdencia na metade da década de 70), simplificação do sistema tributário, voucher escolares, e funcionário público ganhando o mesmo que o privado!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Antônio Carlos Portela Leôncio

    ± 8 dias

    É lamentável para a Argentina,mais quando se elege um esquerdista maluco ,sem noção e que fala em tomar o que os empresários conseguiram com trabalho , é difícil de entender ,quem pode sair,vai fazer isso e os argentinos que estão sofrendo com esse governo mau intencionado,faz o que?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jamil Luciano Pastuch

    ± 8 dias

    Que ginástica mental dos "especialistas" para o explicar o óbvio, país que está olhando para o futuro x país que insiste em repetir os erros do passado...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luiz Jr

    ± 8 dias

    Situação difícil a da Argentina, pode ser apenas o começo...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    Gusta

    ± 8 dias

    Todas tem um motivo, segundo a reportagem. Mas é claro, ou vocês acham que a empresa diria....Estou saindo da Argentina antes que exploda! Espertos. Estão saindo na hora certa.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mauricio B.

    ± 8 dias

    Tipo quando caiu o muro de Berlim e todo mundo correu para a Alemanha Ocidental. Bienvenidos!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maquiavel

    ± 8 dias

    A Argentina caminha a passos largos em direção a venezuelização

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    Bundalelê!

    ± 8 dias

    O compromisso do capital é consigo mesmo. Capital é apátrida e vive de oportunidades, preferencialmente boas. O capital vive de oportunidades ruins também, especulando e tirando vantagem de informações privilegiadas. O capital não tem compromisso com ninguém, a não ser em manter-se e crescer. Capital não tem preferência política, capital não tem preferência religiosa, capital não tem preconceitos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    6 Respostas
    • J

      Jorge Vallim de Medeiros

      ± 23 horas

      A doutrinação foi perfeita! Parabens, aprendeu bem. Só que, te enganaram. "O capital", são milhões de diferentes mentes , investindo para vender coisas e serviços, meio a uma concorrência pela clientela. Quem consegue satisfaze-la, lucra. Parece simples. Mas, não é. Exige domínio das mais diversas aptidões, conhecimentos, ciências, tecnologias, além de "savvy" comercial, empreendedor e, de relações humanas. A beleza, está na dificuldade, no desafio diário, no risco.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • I

      IvoHM

      ± 3 dias

      Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • L

      Luigi Tenco

      ± 7 dias

      Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      Alexandre

      ± 7 dias

      Sim. Só esqueceu de mencionar que capital gera mais capital. E todos ganham. Governo, trabalhadores, empresas, bancos... Foi assim que o mundo que realmente investiu no capitalismo ficou rico e desenvolvido. Essa critica em relação ao capital só inspirou países socialistas. E a história nos mostra quem saiu ganhando.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      RPM

      ± 7 dias

      Esse não é só raivoso. É também burroso.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • M

      Maquiavel

      ± 8 dias

      Você aplicaria teu dinheiro para ter prejuízo?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Roberto De Oliveira

    ± 8 dias

    Que materia confusa. Informa que grandes empresas estão saindo da Argentina, mas são caso pontuais??? Há anos o nosso vizinha definha. Dá maior economia da America Latina para o desemprego em massa. Sinto porque é um dos grandes parceiros comerciais do Brasil e isto não é vantajoso para nossa economia.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    LC

    ± 8 dias

    Crise geral na Argentina. Hahaha!! Crônica de uma morte anunciada. Ainda em 2019, sem o " terror da pandemia ", os argentinos sabiam que Cristina " a louca " estava voltando. Estão rumo a venezuelização.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Plínio

    ± 8 dias

    Manter a operação no país é quase uma obrigação. Até em tempos ruins. Existe um mercado de reposição que precisa ser atendido e a necessidade de manter a presença territorial, ou o concorrente o fará. O ponto a ser considerado é para onde vai o capital em investimento? E não é na operação, que tem despesa operacional baixa. Vamos ser claros, nenhuma sai do país pelas portas do fundo. Um dia podem voltar.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • V

    VBSB

    ± 8 dias

    Só não parem de produzir Malbec

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    Nikoski.M.A

    ± 8 dias

    Vou encerra a produção na Argentina , mas não a operação na Argentina... Não confere... Matéria paga por segmentos que não querem deixar transparecer os fatos...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Fernando

    ± 8 dias

    Triste saber disso. Um país lindo e com povo culto sofrendo agora, bem do nosso lado. Porém, o lado positivo é aumento de empregos no Brasil.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    DENISSON HONORIO DA SILVA

    ± 8 dias

    Nossa Giulia. O problema argentino é o descontrole inflacionário. O Brasil já passou por isso e lembro que na época que houve fuga de empresas. O que mantem muitas empresas naquele país é seu poder aquisitivo, maior que do Brasil. E também sua constante moratória que indiretamente afetam as empresas na remessa de dólares para as matrizes.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    MAURO JOSE KUMMER

    ± 8 dias

    as empresas capitalistas estão fugindo da argentina porque não vão aguentar a competição das empresas cubanas, venezuelanas que ali se instalarão em breve.... kkkkkkkkkkkkkkk hoje estou muito irônico kkkkkkkkkk melhor parar por aqui kkkkkkkkkkkkk não me aguento kkkkkkkkkkkkk

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.