i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Câmbio

Banco Central negocia U$ 630 milhões para conter alta do dólar

Banco tem feito, com frequência, operações de swap cambial tradicional, para tentar conter a alta do dólar

  • PorAgência Brasil
  • 08/08/2013 12:02

O Banco Central (BC) realizou nesta quinta-feira (8) uma operação de swap cambial tradicional, que funciona como a venda de dólares no mercado futuro. Foram ofertados 20 mil contratos, com duas datas de vencimento. Para 1º de novembro de 2013, foram negociados 8,7 mil contratos, no valor de US$ 432,3 milhões. Para 2 de dezembro de 2013, foram 4 mil contratos negociados, totalizando US$ 198,6 milhões.

O banco tem feito operações de swap cambial tradicional, para tentar conter a alta do dólar. Na última terça-feira (6), o presidente do banco, Alexandre Tombini, disse que o BC também poderá ofertar o chamado leilão de linha – venda com compromisso de recompra, a qualquer tempo, se julgar necessário.

O mercado financeiro global enfrenta turbulências por causa da perspectiva de que o Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos Estados Unidos, reduza os estímulos monetários para a maior economia do planeta. O Fed poderá aumentar os juros e diminuir a injeção de dólares na economia global, caso o emprego e a produção nos Estados Unidos mantenham o ritmo de crescimento e afastem os sinais da crise econômica iniciada há cinco anos. Se houver redução de estímulos, o volume de moeda norte-americana em circulação cai, aumentando o preço do dólar em todo o mundo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.