O ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira, que era o maior controlador do Banco Santos, falido e liquidado pelo Banco Central, continua preso na Carceragem da Polícia Federal em São Paulo. Sem poder receber visitas, neste domingo o ex-banqueiro recebeu duas malas com roupas e livros que foram levadas à cadeia por seu advogado, Arnaldo Malheiros Filho.

Malheiros entrou neste sábado no Tribunal Regional Federal (TRF) com um pedido de hábeas-corpus na tentativa de libertar seu cliente, mas a desembargadora de plantão no TRF neste sábado analisou o pedido e não despachou. Uma decisão pode sair a qualquer momento, mas a expectativa é que Cid Ferreira permaneça na carceragem da PF mais alguns dias.

Nesta segunda-feira, a PF decide se ele permanecerá na carceragem ou se poderá ir para uma cadeia comum, onde deverá cumprir prisão preventiva decretada pelo juiz da 6a. Vara Criminal Federal.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]