i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Bob's x Burger King

Guerra dos hambúrgueres chega ao reino vegetal

    • Estadão Conteúdo
    • 17/09/2019 12:03
    Foto: Bigstock
    Foto: Bigstock| Foto:

    A "guerra do hambúrguer" chegou ao mundo vegetal. Com apenas quatro dias de diferença, Bob's (primeiro) e Burger King lançaram no mercado brasileiro as suas versões de sanduíches com hambúrgueres "à base de plantas com gosto de carne". A batalha promete ser sangrenta - mesmo que o sangue, neste caso, seja de beterraba.

    A rede carioca lançou o Tentador Zero Beef em 30 de agosto em lojas do Rio de Janeiro e de São Paulo. O produto foi desenvolvido especialmente para o Bob's junto com a foodtech Fazenda Futuro - que em maio colocou nas prateleiras de alguns supermercados a sua versão de hambúrguer de carne vegetal. O processo de produção levou mais de um ano, de acordo com o diretor-geral do Bob's, Antonio Detsi. "Estamos buscando alternativas e parcerias para esse mercado há muito tempo", diz.

    A marca está de olho em um público crescente que deixou - ou tenta deixar - de consumir carne vermelha e aqueles que querem, pelo menos, diminuir a frequência. Um mercado que deve abocanhar 10% da trilionária indústria frigorífica no mundo - algo em torno de US$ 140 bilhões nos próximos dez anos, de acordo com analistas do Barclays, banco de investimentos.

    Números que, para Detsi, só devem aumentar. "Não se trata de moda. É um nicho. E a aceitação do nosso hambúrguer está sendo muito boa. Estamos com o produto em 150 restaurantes, e em breve vamos expandir para toda a rede", diz, sem revelar a fatia de público que espera ver aderir ao hambúrguer de carne vegetal.

    Concorrência quer ganhar o Brasil

    Depois de Estados Unidos e Suécia, o Brasil é o terceiro mercado de atuação do Burger King a ganhar um sanduíche de hambúrguer vegetal. Os dados corroboram a estratégia. Pesquisa Ibope divulgada em 2018 mostra que 14% dos brasileiros, ou 30 milhões de pessoas, se declaram vegetarianos. Outros 60% dos entrevistados afirmaram que consumiriam produtos veganos similares aos de origem animal se tivessem o mesmo preço.

    "Hambúrgueres à base de planta são uma tendência global", afirma o diretor de Marketing e Vendas do Burger King Brasil, Ariel Grunkraut. "Mas em pesquisas conduzidas com consumidores percebemos que o interesse e a disposição em comprar produtos à base de plantas no Brasil chega a ser maior do que em países como China, Estados Unidos e Inglaterra", aponta.

    O Rebel Whopper vendido aqui foi desenvolvido especialmente para o paladar brasileiro, processo que levou três meses e incluiu "desenvolvimento do hambúrguer, adaptações na linha de produção, planejamento e aquisição dos ingredientes", segundo Grunkraut.

    Lançado no dia 3 de setembro, desde o dia 10 deste mês o sanduíche pode ser encontrado em 75 lojas Burger King. A ideia é que já a partir de outubro ele esteja em todos os estabelecimentos da marca no estado de São Paulo e chegue ao restante do país a partir de novembro.

    Presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira, Ricardo Laurino vê toda essa movimentação como positiva. Mais do que popularizar a ideia de um hambúrguer sem carne, diz, o produto à base de plantas deve mudar a percepção dos consumidores a respeito do vegetarianismo. "Deve fazer com que as pessoas vejam que é uma alimentação acessível e fácil de ser adotada", afirma.

    Ele, no entanto, acredita que o público-alvo das redes de fast-food devem ser as pessoas que comem carne, querem diminuir o consumo, mas não encontram opções atraentes para serem convencidas disso. "Esses hambúrgueres devem fazer com que elas saciem a vontade de comer carne sem abrir mão do sabor", destaca.

    4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 4 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    • N

      Neto

      ± 0 minutos

      Eu prefiro o Mc Jack in the Bob's.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • Máximo 700 caracteres [0]

    • E

      Emerson Karas

      ± 1 horas

      Serão utilizadas grelhas/chapas independentes? Já que existe a frescura de que não poderá ter nenhum residual. Ou terão que por um aviso que pode conter traços de carnes de origem animal?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      2 Respostas
      • D

        DG

        ± 1 horas

        Excelente notícia. Cada vez mais opções aos que querem deixar de consumir (ou reduzir o consumo) de derivados de animais. Os animais agradecem.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

      • D

        DG

        ± 1 horas

        Essas restrições (de não usar os mesmos utensílios) geralmente se aplicam aos intolerantes à proteína do leite e não é frescura. Não confunda as coisas.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

      • Máximo 700 caracteres [0]

    Fim dos comentários.