O Brasil foi a economia emergente que mais sofreu com a mudança na política americana e com a postura do Fed (Banco Central dos Estados Unidos) em relação à recuperação de seu mercado. Dados divulgados neste final de semana pelo Banco de Compensações Internacionais (BIS) revelaram que, apenas no segundo trimestre de 2013, bancos internacionais retiraram US$ 20 bilhões do mercado financeiro do Brasil, o volume mais importante de recursos em todo o mundo em desenvolvimento. No mundo, os créditos concedidos por bancos sofreram uma redução de US$ 515 bilhões nesse período, totalizando US$ 28,3 trilhões. A queda foi a primeira desde o fim de 2011 e voltou a mostrar como bancos e instituições financeiras tem hesitado em emprestar. Nos mercados desenvolvidos, a contração foi de US$ 470 bilhões. No Brasil, empréstimos estrangeiros denominados em dólares mais que dobraram de 2009 a 2013, chegando a US$ 237 bilhões. Os créditos de bancos americanos para a América Latina também dobraram, chegando a US$ 130 bilhões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]